Fábio Campana | Política, cultura e o poder por trás dos panos. - Part 3

Marina resiste ao fim do Rede

BR18,
A ex-senadora e criadora da Rede Sustentabilidade, Marina Silva, resiste em pôr um fim à legenda e diz que o fato de ficar sem recursos do fundo partidário não é “determinante” para definir se o partido deve ou não se fundir a outra legenda, como o PPS. A decisão sobre o futuro do Rede criou um racha no partido e fez o grupo adiar para março o congresso nacional que discutirá o assunto. O encontro seria realizado neste fim de semana, em Brasília.
Em entrevista ao Valor, Marina afirma que, diante da atual conjuntura, é preciso levar em conta a importância que o partido terá no debate político, especialmente no campo da defesa do meio ambiente. “No momento em que a agenda ambiental está sendo estilhaçada, a Rede tem um papel histórico a cumprir”, disse.

(Foto: Google/Reprodução)

Gleisi para Bolsonaro: ‘Tome vergonha’

Bolsonaro falou sobre o PT e a Venezuela. Acusou o partido de ser um dos responsáveis pela crise no país vizinho.
Gleisi não gostou e rebateu: “De novo atacando o PT! Tome vergonha e explique seu envolvimento com as falcatruas do Queiroz. Explique por que mudou de posição em relação ao foro privilegiado. Comece a governar, diga a que veio!”.

(Foto: SŽergio Lima/PODER 360)

Coordenador do Enem é demitido um dia após nomeação

Murilo Resende Ferreira foi nomeado para o cargo de diretor de avaliação da educação básica do Inep, que o colocou como coordenador do Enem. Ficou um dia no cargo. Onyx Lorenzoni anulou a nomeação.
Mas Murilo, que foi acusado de plágio há alguns dias, já tem novo cargo no governo. Ele agora será assessor da Secretaria de Educação Superior. Essa divisão do MEC é responsável por coordenar a manutenção e administração das universidades e institutos públicos federais e supervisionar as universidades privadas.

(Foto: YouTube/Reprodução)

BNDES divulga lista com 50 maiores tomadores de recursos

O BNDES divulgou hoje de manhã a relação das cinquenta empresas e entes públicos que mais tomaram recursos emprestados da instituição de fomento. A medida faz parte do que Bolsonaro tem chamado de “abrir a caixa-preta” do BNDES.
A campeã da lista dos principais credores do BNDES é a Petrobras, com 62,4 bilhões de reais, seguida pela Embraer (49,3 bi), Norte Energia (25,3 bi) e a Vale (24,8 bi). Em quinto lugar, aparece a Odebrecht, cujos financiamentos ultrapassam 18 bilhões de reais. Outra empresa do grupo de Marcelo Odebrecht, a Braskem, aparece na 21ª colocação, com 7,3 bilhões de reais. A JBS aparece uma posição acima, em 20ª, com 7,6 bilhões.
É possível consultar os 50 maiores credores aqui. Ou saber sobre contratos para obras no exterior aqui.

Em carta a Jean Wyllys, Lula pede ‘enfrentamento’ a Bolsonaro

Jean Wyllys mostrou, feliz da vida, a carta que recebeu de Lula. Ele havia encaminhado seu livro “Tempo bom, tempo ruim” para o ex-presidente.
A resposta não faz menção à obra, mas pede “um forte enfrentamento político com o governo, e ao mesmo tempo, tratar de organizar politicamente o nosso povo”.
No autógrafo do livro enviado, Wyllys escreveu: “Querido Lula, eu te amo, mesmo, você está livre em mim e em milhões de brasileiros. Sem você, não seríamos o que somos. Atravessaremos esse tempo ruim, e, quando vier de novo o tempo bom, dar-te-ei um abraço livre!”.

Ricardo Barros: ‘A quem interessa o ativismo político do MP? Não à democracia’

O ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP/PR) classificou de “ativismo político” o fato de o Ministério Público Federal (MPF) divulgar a denúncia relacionada à compra de medicamentos raros um mês após o protocolo na Justiça Federal, poucos dias depois do anúncio de sua candidatura à presidência da Câmara e já tendo conhecimento da decisão liminar da Justiça Federal que negou o bloqueio dos bens, omitindo a informação na nota à imprensa.
“Esse ativismo político do Ministério Público não ajuda a democracia”, afirma o deputado federal paranaense. Barros adianta que irá protocolar uma reclamação na corregedoria do MPF “para a apuração de responsabilidade da divulgação da matéria”. Leia Mais »

Greca envia carta para Bolsonaro com ‘dicas’ sobre Previdência

Guilherme Voitch,
O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), enviou uma carta para o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) e para o ministro da Economia, Paulo Guedes, com dicas para a reforma da Previdência. Segundo o prefeito, a situação fiscal do governo federal é semelhante a da capital paranaense antes da reforma fiscal promovida por Greca em 2017.
“A situação aqui era muito complicada. Não havia dinheiro para investimento. Estávamos sufocados. O ajuste que fizemos refloresceu Curitiba. Éramos a pior capital do Brasil em liquidez financeira, nota C. Hoje somos nota A, segundo a Secretaria do Tesouro Nacional (STN).”
Leia Mais »

A reza de Damares

Quem trabalha no Ministério comandado por Damares Alves já sabe: todos os dias ela para o que estiver fazendo às cinco horas da tarde parar rezar.
Alguns ocupantes do entorno participam, uns por fé outros por temor e alguns para manter a boa relação com a chefa. A cada novo adepto, o culto ganha força e Damares fica feliz por o ‘Estado ser laico e ela terrivelmente cristã’.

(Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

 

Gaeco cumpre mandados em casas de policiais

As mortes e o incêndio na Vila Corbélia, na Cidade Industrial de Curitiba, provocaram mandados de busca e apreensão do Gaeco e da Corregedoria da Polícia Militar do Paraná na manhã de hoje em Curitiba, Campo Largo, Guaratuba e Piraquara.
As investigações seguem em sigilo, mas a rádio Banda B garantiu que há mandados em residências de policiais militares.
Oito mandados foram expedidos pela 1ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba (a pedido do Gaeco) e dois pela Vara da Auditoria Militar (a pedido da Corregedoria da PM). Todos os mandados são de busca e apreensão, sem prisões.
As mortes aconteceram no início de dezembro. Na ocasião, um policial militar e dois moradores da Vila foram mortos. Depois disso, um incêndio consumiu mais de 300 casas do local. A Polícia Militar investiga a possibilidade de envolvimento de policiais no incêndio.

(Foto: DS/Banda B)

Ratinho Jr: privatização das cadeias e corte no contrato das marmitas

Em entrevista para o programa Em Ponto, da Globonews, Ratinho Jr afirmou que vai cortar R$ 100 milhões do contrato de fornecimento de marmitas para os presos do estado.
Segundo ele, a redução de custos será anunciada oficialmente nos próximos dias. “A mesma empresa, o mesmo contrato, só renegociando e com a mesma qualidade. Então, a gente vê que o dinheiro era mal gasto. Faltava gestão e pulso firme”, disse o governador.
Ratinho também defendeu a necessidade de privatização da administração de presídios: “Cinquenta por cento dos presídios americanos já são geridos por empresas privadas. Sem tirar a tutela do estado de ser responsável pelo preso, mas a gestão em si é necessário passar para a iniciativa privada […] Estamos gerindo mal o dinheiro e tratando de forma não humana os presos que estão vivendo praticamente empoleirados nos presídios”.

(Foto: Rodrigo Felix Leal/AEN)

Ministro diz que tem remetido ‘ao lixo’ reclamações como as de Flávio Bolsonaro

O Supremo não pode variar, dando um no cravo outro na ferradura. Processo não tem capa, tem conteúdo. Tenho negado seguimento a reclamações assim, remetendo ao lixo“.
Marco Aurélio Mello, ministro do STF que irá assinar, dia 1º de fevereiro, sua decisão na relatoria do caso de Flávio Bolsonaro.

(Foto: Foto: Carlos Moura/STF)

Delegado da Lava Jato assume diretoria da PF

O delegado Igor de Paula, que coordenou a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, foi nomeado para assumir a Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal.
O cargo é considerado um dos mais importantes na hierarquia nacional da Polícia Federal. Essa diretoria investiga os casos de corrupção em Brasília.
A nomeação foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial da União.

Currículo:
Leia Mais »

Em 2017: críticas ao foro privilegiado e ao ministro Fux

No vídeo, Jair Bolsonaro cita o ministro do STF “que está a serviço do PT” como responsável pelo inquérito que o acusava. O relator do inquérito 3932 movido contra Bolsonaro no caso da deputada Maria do Rosário curiosamente foi Luiz Fux.

Curiosidades sobre ontem

Pipocam curiosidades de tudo quanto é lado a respeito do pedido do pedido de Flávio Bolsonaro para suspender as investigações do Ministério Público do caso Queiroz.
– A defesa de Queiroz ficou sabendo sobre o ocorrido pelos jornais;
– O advogado Hugo Mendes Plutarco, o que impetrou a reclamação para suspender as investigações contra Flávio Bolsonaro, teve entre seus clientes o ex-ministro petista Aloizio Mercadante;
– Os bastidores do STF estão a pegar foto, os ministros não concordaram com a decisão de Fux;
– Voltaram a circular os vídeos em que os Bolsonaros falam que são contra o foro privilegiado;
– O mundo todo, o da justiça, o da política, o da ninguenzada está esperando para ouvir Moro a respeito do ocorrido;
– O evento uniu PT e MBL num mesmo pensamento.

É verdade esse bilhete:
“Collor é candidato?”

Coluna do Estadão,
Embora o entorno de Jair Bolsonaro declare que o presidente não vai se intrometer nas eleições dos comandos do Congresso, seus aliados identificaram a atuação de pessoas ligadas ao PRTB, partido do vice, Hamilton Mourão, em prol da candidatura de Fernando Collor (PROS-AL) à presidência do Senado. Ao menos cinco senadores relataram ter recebido telefonemas do brigadeiro Átila Maia, filiado à legenda, pedindo votos para o senador alagoano, em nome de Mourão. Procurado, o vice repudiou a ação e disse que Átila “não pertence à sua equipe”.
Foi essa movimentação que motivou o bilhete de Jair Bolsonaro ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, durante evento no Ministério Público Federal. Fotógrafos registraram a pergunta: “Collor é candidato?”
Mourão diz não fazer “militância”. Já o presidente do PRTB, Levy Fidelix, não retornou às ligações e Átila Maia não foi localizado.

(Foto: Dida Sampaio/Estadão/Reprodução)

A comunicação do governo

Editorial, Estadão

O ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, disse que o governo não recorrerá aos serviços de marqueteiros para realizar a comunicação oficial, como era comum em administrações anteriores. “Esse negócio de marqueteiro assumiu uma conotação muito negativa”, disse Santos Cruz ao Estado, referindo-se à sensação de que esses profissionais se tornaram “especialistas em enganar” os cidadãos. Em vez de divulgar os atos do governo, o marketing oficial era feito para “mudar a realidade”, afirmou Santos Cruz. Segundo o ministro, isso tem de mudar, pois é preciso “transmitir a realidade para a população”.

Leia Mais »

Deltan sobre decisão de Fux: ‘Não há como concordar’

BR18

Coordenador da Força Tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol usou suas redes sociais para discordar da decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, que determinou a suspensão das investigações do Ministério Público do Rio sobre as movimentações financeiras atípicas de Fabrício Queiroz. O pedido foi feito pela defesa do senador eleito Flávio Bolsonaro, de quem Queiroz foi assessor.

“Com todo o respeito ao ministro Fux, não há como concordar com a decisão, que contraria o precedente do próprio STF. Tratando-se de fato prévio ao mandato, não há foro privilegiado perante o STF. É de se esperar que o ministro Marco Aurélio reverta a liminar”, escreveu.

Ministro do STF afirma que pedido de Flávio Bolsonaro foi uma confissão de culpa

Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo

O pedido feito pelo senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) para suspender a investigação criminal sobre movimentações financeiras de seu ex-assessor Fabrício Queiroz foi considerado uma “confissão da culpa” por um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo o magistrado, o caso ficou ainda mais grave e a atitude é uma confissão de que o envolvido é o senador eleito e não o motorista. O ministro Luiz Fux acatou a petição do senador nesta quinta (17).

Leia Mais »

Bolsa volta a fechar em patamar recorde

G1

O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta nesta quinta-feira (17), acima dos 95 mil pontos pela primeira vez, puxado pelo avanço das ações da mineradora Vale, mas também pela continuidade de apostas favoráveis para a proposta de reforma da Previdência.

O Ibovespa subiu 1,01%, a 95.351 pontos, marcando novo patamar recorde. Na máxima do dia, foi a 95.681 pontos. No ano, a bolsa de valores já acumula alta de 8,49%.

De acordo com a Reuters, profissionais da área de renda variável citaram como gatilho para o avanço da bolsa notícias de que a equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro, liderada por Paulo Guedes, detalhará a proposta da reforma da Previdência durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, na próxima semana.

Casa fica à deriva em alto-mar após ciclone em Guaratuba

Pescadores de Matinhos encontraram na manhã desta quinta-feira (17), uma casa à deriva no mar, longe da costa. A construção de madeira pertence ao projeto de cultivo de ostras do Emater e fica estacionada na baía de Guaratuba, o local mais afetado pelo ciclone que atingiu a região na tarde de quarta-feira. As informações são de Gustavo Aquino no Correio do Litoral.