Fábio Campana | Política, cultura e o poder por trás dos panos. - Part 2

Trocando Ideias

Confira, na íntegra, a live que foi ao ar na página do Blog no Facebook nesta noite:

Gilmar pede a Toffoli ‘providências cabíveis’ contra Kajuru

Gilmar Mendes enviou um ofício a Dias Toffoli para que o presidente do STF adote “providências que entender cabíveis” quanto a declarações de Jorge Kajuru, informa o site jurídico Jota.

Em um vídeo que viralizou nas redes sociais, o senador pelo PSB de Goiás fala a um repórter da rádio Bandeirantes e acusa Gilmar de “vender sentenças”. Questionado sobre a soltura de Beto Richa, Kajuru diz ainda: “Beto Richa é sócio dele, Aécio Neves é sócio dele, o Marconi Perillo é sócio dele”. Confira:

Bolsonaro desce a 37% de aprovação

Pesquisa realizada pelo Ipespe mostra uma queda de Jair Bolsonaro.

O governo é considerado ótimo ou bom por 37% dos eleitores e ruim ou péssimo por 24%.

Na pesquisa anterior, de fevereiro, esses números eram 40% e 17%. O saldo entre um grupo e outro caiu 10 pontos.

Um Traiano tranquilo

No mesmo momento que o Gaeco tratava de prender o ex-governador tucano Beto Richa, o seu secretário Ezequias Moreira e o empresário Jorge Atherino, o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, também tucano e que andou arrolado na mesma investigação da Operação Quadro Negro, dava demonstrações de tranquilidade em seu Instagram. Ou seja, dizia a todos que ele não tem nada a temer e que nem está preocupado com as ações do Ministério Público. Veja o vídeo, onde Traiano, à moda Bolsonaro, se mostra um cidadão comum, que toma café e faz exercícios como qualquer trabalhador da estiva. Pouco convincente, mas lá vai:

CPI da Lava Toga é protocolada

O senador Alessandro Vieira protocolou o pedido de criação da CPI da Lava Toga.

Agora é com Davi Alcolumbre, que disse, durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, que a medida não faria bem para o Brasil. “Topo fazer um diálogo em relação à reforma e ao aprimoramento da questão do Judiciário. Não vejo neste momento uma CPI do Judiciário e dos tribunais superiores. Não vai fazer bem para o Brasil”, afirmou.

Alcolumbre também citou o regimento interno do Senado que proíbe esse tipo de CPI. O artigo 146 prevê que CPIs sobre matérias pertinentes à Câmara dos Deputados, às atribuições do Poder Judiciário e aos Estados não serão admitidas. “Seria um conflito que nós criaríamos contra o regimento interno do Senado num momento decisivo da história do Brasil”, disse ontem Alcolumbre.

Obstrução justificou nova
prisão de Beto Richa

A possibilidade de que Beto Richa e sua gente atrapalhasse as investigações que levou o Gaeco a pedir a terceira prisão do ex-governador e de dois outros envolvidos na Operação Quadro Negro, o ex-secretário do Cerimonial Ezequias Moreira e o empresário e empresário Jorge Atherino.

A defesa do ex-governador diz que o Gaeco não apresentou fatos novos que justifiquem a prisão preventiva, mas os procuradores do Ministério Público mostram que, no passado, Beto agiu para dificultar a apuração e encobrir sua participação no caso de desvio de R$ 22 milhões de dinheiro público que deveria ter sido utilizado para construção de escolas.

O Gaeco acredita que, soltos, os réus continuem atuando para obstruir a ação da justiça. A denúncia de obstrução também foi aceita pelo juiz da 9.ª Vara Criminal de Curitiba, Fernando Bardelli Fischer. Veja a íntegra da denúncia:

O comunicado de Bolsonaro e Trump

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que chegou a Washington no domingo, foi recebido na Casa Branca, junto com sua comitiva, nesta terça-feira. Ele teve um encontro privado com Donald Trump no Salão Oval e os dois fizeram uma declaração conjunta à imprensa no Jardim das Rosas. O comunicado mencionou a crise na Venezuela e como Brasil e EUA pretendem atuar unidos pela democracia na América Latina, fazendo uma crítica ao “socialismo” de Maduro.

Empresários brasileiros não esperam que a visita do presidente Jair Bolsonaro gere, no curto prazo, medidas concretas que reforcem o fluxo comercial entre os dois países. Este é o resultado de uma pesquisa inédita realizada pela Câmara Americana de Comércio no Brasil (Amcham Brasil) com 252 presidentes e diretores de empresas de companhias atuam em diversos setores do País.

Para 86% desses empresários, o governo brasileiro está empenhado em uma real aproximação. Dos que se mostraram otimistas, 49% acham que a visita de março ainda não trará efeitos concretos no fluxo comercial, mas 37% acreditam que o encontro resultará em ações práticas. Outros 12% se mantiveram neutros e disseram que ainda é cedo para avaliar os efeitos.

Leia Mais »

Até o dono da Risotolândia
faz delação contra Richa

Pois, pois, até o empresário Carlos Gusso foi arrolado como testemunha de acusação contra Beto Richa. Ele é dono da Risotolândia e, pelo que se sabe, amigo íntimo do ex-governador. Ele está nas fotografias da viagem a Miami em 2014, em comemoração à reeleição de Beto Richa, que foram feitas pelo delator principal da Quadro Negro, Mauricio Fanini. Carlo Gusso, fornecedor do Estado, agora está relacionado como delator, ao lado de Maurício Fanini e Eduardo Lopes de Souza.

MP e Juiz evitam caracterizar
caixa 2 na acusação a Richa

Para evitar a decisão do STF que determinou à Justiça Eleitoral a competência julgar caixa 2 e os crimes de corrupção relacionados, a denúncia do Gaeco e a decisão do juiz da 9.ª Vara Criminal de prender Beto Richa não mencionam desvios de verbas para o financiamento de campanhas eleitorais.

A acusação fala apenas de corrupção passiva no recebimento de propinas pagas pela empreiteira Valor. A defesa de Beto Richa procura mostrar que o dinheiro recebido era de contribuições para campanha eleitoral que não foram contabilizadas, ou seja, ficaram no caixa 2. Com esse agumento vai apelar.

Como o desembargador José Maurício de Almeida em férias, relator da ação penal na segunda instância, caberá ao seu substituto, o juiz Mauro Bley Pereira Jr, apreciar o habeas corpus.

Defesa de Beto Richa diz
que prisão é perseguição

O advogado de Beto Richa, Guilherme Brenner Lucchesi, afirmou que a prisão do ex-governador do Paraná, ocorrida na manhã de hoje, não tem fundamento. “A defesa de Carlos Alberto Richa esclarece que a determinação de prisão exarada hoje não traz qualquer fundamento. Tratam-se de fatos antigos sobre os quais todos os esclarecimentos necessários já foram feitos”, escreveu.

“Cumpre lembrar que as fraudes e desvios cometidos em obras de construção e reforma de colégios da rede pública de ensino foram descobertos e denunciados pela própria gestão do ex-governador Beto Richa. Por orientação do ex-governador, no âmbito administrativo, todas as medidas cabíveis contra os autores dos crimes foram tomadas. A defesa repudia o processo de perseguição ao ex-governador e a seus familiares; todavia, segue confiando nas instituições do Poder Judiciário”, concluiu Guilherme Brenner.

Gaeco faz busca e apreensão
e pode fazer outras prisões


A prisão de Beto Richa, hoje, pela terceira vez, foi feita pelo Procurador que coordena o Gaeco Leonir Batisti e mais quatro policiais. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do ex-governador e também em imóveis da família Richa em Caiobá, no litoral do Paraná, e Porto Belo, em Santa Catarina.

A prisão de Richa é em razão da Operação Quadro Negro, que apura o desvio de mais de R$ 20 milhões de obras de escolas públicas do estado.
Segundo o Ministério Público, as fraudes foram cometidas em aditivos de obras fechados com a Construtora Valor, autorizados pela administração pública. As investigações foram feitas com base nas delações do empresário, dono da Valor, Eduardo Lopes de Souza, e do ex-diretor da Secretaria de Educação, Maurício Fanini, de que os aditivos foram desnecessários e fraudulentos.

A prisão do ex-governador é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado. As primeiras informações são de que testemunhas estariam sendo coagidas e daí o motivo das prisões.

Leia Mais »

Gilmar Mendes de maus bofes

O ministro do STF, Gilmar Mendes, que expediu salvo conduto para Beto Richa impedindo nova prisão do ex-governador, está de maus bofes. O juiz da 9.ª Vara Criminal de Curitiba, Fernando Bardelli Fischer, fez longa contestação dos fundamentos que Gilmar utilizou para conceder habeas e salvo-condutos para o ex-governador e outros réus das operações Integração e Rádio Patrulha.

Nos corredores de Brasília, a prisão de hoje de Beto Richa seria um ato de desagravo do Judiciário no Paraná, aí incluída a Operação Lava Jato do Ministério Público Federal, diante das decisões de Gilmar Mendes e de suas críticas acerbas a Lava Jato.

Gilmar Mendes agora não apita. O relator da Quadro Negro no STF é Luiz Fux.

Paulo Martins articula candidatura à Prefeitura de Curitiba

O deputado federal Paulo Martins (PSC) vem manifestando nos bastidores o desejo de sair candidato à Prefeitura de Curitiba, na eleição de quatro de outubro de 2020. Informações do Blog do Tupan.

A movimentação joga uma pá de cal na transferência de Eduardo Pimentel (PSDB) para a legenda, como desejam alguns assessores de Rafael Greca (PMN).

Bolsonaro e Trump se reúnem hoje na Casa Branca

O presidente Jair Bolsonaro vai se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na tarde de hoje (19), na Casa Branca. Eles se reúnem sozinhos, inicialmente, no Salão Oval e, em seguida, haverá uma conversa ampliada, incluindo as equipes dos governos do Brasil e dos Estados Unidos (EUA). As informações são da Agência Brasil .

Comentário do dia

Meu comentário desta terça-feira.

Ratinho Jr reúne alto escalão para ouvir Paulo Rabello de Castro

Ratinho Jr reuniu o secretariado, dirigentes de estatais e figuras de alto coturno de seu governo para ouvir Paulo Rabello de Castro, economista, ex-presidente do BNDES no governo Michel Temer, contratado para elaborar plano de metas para o governo.

BETO RICHA É PRESO

Beto Richa voltou a ser preso. Ele é acusado de corrupção em desdobramento da operação Quadro Negro, que apura desvios de dinheiro público na construção de escolas no Paraná.

Também foram presos Ezequias Moreira, ex chefe do Cerimonial, e o empresário Jorge Atherino. O

O Gaeco faz busca e apreensão em imóveis da família Richa.

O salvo conduto expedido pelo ministro do STF, Gilmar Mendes, vale apenas para as Operações Rádio Patrulha e \integração.

Na CIA, Bolsonaro fala em estreitar combate ao crime organizado

O presidente Jair Bolsonaro foi na manhã de hoje (18) à Agência de Inteligência dos Estados Unidos (CIA), para uma visita de cortesia. Ele foi recebido pela diretora da agência, Gina Haspel. Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, o encontro sinalizou a disposição do governo brasileiro em estreitar laços com a CIA no combate aos crimes transnacionais.

“Foi uma visita de cortesia para, a partir daí, estabelecer esse foco de cooperação na área do crime organizado, dos crimes transnacionais e, eventualmente, os acordos na área de inteligência”, disse o porta-voz. A visita não entrou an agenda oficial e a imprensa não foi avisada. Rêgo Barros afirmou que a visita foi decidida pelo presidente no avião, rumo a Washington, capital do país. As informações são da Agência Brasil.

Bolsonaro quer apoio americano para ‘libertar o povo’ da Venezuela

O Globo

Em seu primeiro discurso público nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro se comparou diversas vezes ao presidente americano, Donald Trump, e citou a “capacidade econômica e bélica” dos Estados Unidos para resolver questões como o da Venezuela. Bolsonaro falou por dez minutos de improviso e em português, e disse que os dois países devem, juntos, “resolver a questão da Venezuela”:

— Temos alguns assuntos que estamos trabalhando em conjunto, reconhecendo obviamente a capacidade econômica, bélica, entre outros, dos Estados Unidos — afirmou. — Temos que resolver a questão da nossa Venezuela. A Venezuela não pode continuar do jeito que se encontra. Aquele povo tem que ser libertado. E contamos com apoio norte-americano para que esse objetivo seja alcançado. Juntos podemos fazer muito.

Leia Mais »

Flávio Arns apoia CPI da Lava Toga

O senador Flávio Arns enviou ao blog nota de esclarecimento a explicar as razões de sua adesão e apoio à CPI da Lava Toga, que vai investigar O judiciário, especialmente o Supremo Tribunal Federal. É o que segue:

Nota de Esclarecimento

“Estou assinando o requerimento para a criação da CPI da Lava Toga no Senado Federal.
Minha decisão foi motivada pelo grande sentimento de frustração vivenciado pela sociedade brasileira nos últimos dias, principalmente diante do risco de retrocesso em relação à Operação Lava Jato.

Em que pese o impeditivo constitucional de uma CPI investigar o STF, essa será uma oportunidade importante para que possamos debater as competências e relações entre os poderes e a transparência de suas atividades.
Todos clamamos pelo fim da corrupção e das impunidades. Neste sentido, me coloco a favor de uma discussão justa e que leve a resultados concretos para o avanço do nosso País.

Reitero o que tenho dito: a preocupação de todos os brasileiros é a minha: fiscalizar, investigar e punir quem o mereça. É um processo complexo, mas confio que nossas instituições devam estar convergentes aos anseios da população brasileira.”