Fábio Campana | Política, cultura e o poder por trás dos panos. - Part 2

Bolsonaro diz que houve “propaganda muito forte” da Covid-19

Durante videoconferência com líderes católicos e deputados da Frente Parlamentar Católica Apostólica Romana nesta quinta-feira (21), o presidente disse não ver motivo para tanto alarde da doença. De acordo com Bolsonaro, a covid-19 deveria causar preocupação apenas a idosos e pessoas com doenças pré-existentes.

“O governo federal faz o que é possível para entender o nosso povo na situação que vive com a questão do coronavírus. Se bem que, no meu entender, houve uma propaganda muito forte em cima disso. Trouxe o pavor para o seio da família brasileira. E obviamente nós sabemos da gravidade das pessoas idosas e daqueles que têm algumas doenças, uma vez sendo acometido pelo vírus”, comentou o mandatário.

Receita de ICMS cai 33,4% na primeira quinzena de maio

A arrecadação do Governo do Paraná segue em queda em razão da pandemia da Covid-19. Nos primeiros 15 dias de maio, a receita com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foi de R$ 1,26 bilhão. O montante é R$ 631,4 milhões menor em relação ao mesmo período do ano passado, já corrigido pela inflação e sem contabilizar entradas relativas a combustíveis, energia e parcelamentos.

As perdas aos cofres públicos alcançaram 33,4% nas duas primeiras semanas do mês, período que corresponde, em média, a 73% do total de receitas esperadas para maio. O deficit no conjunto das primeiras quinzenas de janeiro a maio alcança 7,2%. Os dados compõem o novo boletim conjuntural, divulgado nesta quinta-feira (21). O estudo é realizado semanalmente pelas secretarias de Planejamento e Projetos Estruturantes e da Fazenda.

Leia Mais »

Coronavírus já alcança mais da metade das cidades do Paraná

O novo coronavírus alcançou mais da metade dos municípios do Paraná nesta quinta-feira (21), exatos 71 dias depois dos primeiros casos surgirem em Curitiba e Cianorte. Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde, 201 dos 399 municípios (50,3%) já registram ao menos um caso e 52 ao menos um óbito (13%). No total são 2.810 casos e 141 mortes. Os dados informam ainda que 1.680 pessoas se recuperaram da doença.

A Regional de Saúde mais impactada é a da Curitiba e Região Metropolitana, com 1.108 casos confirmados (39% do total), seguida pela de Paranavaí (Noroeste), com 307 registros, e pela de Londrina (Norte), com 265 diagnósticos positivos. Apenas cinco Regionais ainda não contabilizaram óbitos pela doença no Estado: Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória e Telêmaco Borba.

Leia Mais »

Bolsonaro pede veto ao aumento de salário dos servidores públicos

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (21) que o objetivo da reunião por videoconferência com governadores é minorar os efeitos sobre os afetados “na ponta” pela crise do novo coronavírus, sobre a qual “não sabemos o tamanho da sua dimensão”.

“Temos que trabalhar em conjunto a sanção de um socorro aos senhores governadores, de aproximadamente R$ 60 bilhões, também extensivo a prefeitos”, disse o presidente na abertura do encontro. “O que se pede apoio aos senhores é a manutenção de um veto muito importante”, seguiu.

Leia Mais »

Doria: “Vamos em paz, presidente. Vamos pelo Brasil e vamos juntos”

O Antagonista

João Doria estendeu a bandeira branca a Jair Bolsonaro na reunião dos governadores com o presidente.

“Quero cumprimentar a forma com que essa reunião está sendo conduzida, para a união de todos. O Brasil precisa estar unido para vencer a crise e proteger a saúde dos brasileiros”, disse o governador de São Paulo.

“Fico feliz, presidente Jair Bolsonaro, por perceber em todas as intervenções, a começar da sua, que este é o sentimento. […] Vamos em paz, presidente. Vamos pelo Brasil e vamos juntos.”

Bolsonaro retribuiu:

“Obrigado pelas palavras, governador João Doria, e parabéns pela posição de Vossa Excelência.”

Rio de Janeiro cria protocolo para flexibilizar isolamento

VEJA

O governo do Rio de Janeiro anunciou nesta quarta-feira, 20, o protocolo de flexibilização do isolamento social. O Pacto Social pela Saúde e pela Economia estabelece três bandeiras: vermelha, amarela e verde para a liberação das atividades econômicas e o retorno da população às suas rotinas. As bandeiras serão determinadas pela curva endêmica da doença e pela taxa de ocupação de leitos em UTI nos hospitais públicos. As bandeiras serão atualizadas às sextas-feiras.

Assim, o estado fica em bandeira vermelha (situação atual) quando a ocupação dos leitos de UTI foi superior a 90% ou se a ocupação for de 70% e a curva de contaminação estiver crescente.

Leia Mais »

Lula pede desculpas

O ex-presidente Lula pediu desculpas nesta quarta-feira (20) por ter dito que “ainda bem” que a natureza criou o coronavírus e, assim, a importância do papel do Estado na solução de crises passou a ter maior destaque. A declaração foi feita em entrevista concedida à revista Carta Capital na 3ª feira (19.mai). Eis o que disse o ex-presidente:

“Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus, porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises”, disse Lula.

Leia Mais »

Mundo registra mais de 5 milhões de casos confirmados de coronavírus

Os casos de Covid-19 confirmados no mundo superaram os 5 milhões nesta quinta-feira (21), de acordo com o monitoramento da universidade americana Johns Hopkins. O marco representa uma nova fase na disseminação do novo coronavírus, com a América Latina ultrapassando Estados Unidos e Europa na última semana em número de novos casos de contaminação.

O número de mortos passa de 328 mil em todo o planeta, ainda segundo a universidade, que faz seu balanço a partir de dados fornecidos oficialmente pelos governos de cada país. Como os testes ainda são limitados e muitos países não incluem mortes fora dos hospitais nas contas oficiais, estima-se que o número de subnotificações seja elevado e o número real de infectados e mortos seja maior.

Maioria quer isolamento social

O apoio ao isolamento social como a melhor medida para frear as infecções pelo vírus está em 76%. Para 7% a quarentena não é a melhor medida. Outros 14% avaliam que o isolamento está sendo exagerado.Para 57%, o isolamento deve continuar até que o risco de contágio seja pequeno. Já foram contabilizadas 17.971 mortes pela doença desde o início da pandemia.

Pesquisa XP Ipespe confirma tendência de reprovação a Bolsonaro

Pesquisa XP Ipespe de maio concluída na terça feira, 19, confirma a tendência de aumento na reprovação ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e de redução na sua aprovação. De acordo com o levantamento, o grupo que considera o governo bom ou ótimo oscilou de 27% na rodada concluída em 30 de abril para 25% agora.

Os que avaliam a gestão como ruim ou péssima foram de 49% e 50%, respectivamente, ante 31% e 42% no levantamento anterior, de 24 de abril. Na mesma linha, também se deteriora a expectativa para o restante do governo, que agora é 48% negativa e 27% positiva ante 46% e 30% em abril.

Movimento semelhante acontece na área econômica, em que o grupo que avalia que a economia está no caminho errado saltou de 52% para 57%, enquanto os que veem a economia no caminho certo passaram de 32% para 28%.

Ainda, 34% afirmaram que alguém em seu domicílio já recebeu o beneficio emergencial de R$ 600 e outros 14% afirmaram que ainda vão receber o dinheiro.

A pesquisa XP Ipespe ouviu mil pessoas em todo o país entre os dias 16 e 18 de maio. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

Leia Mais »

Governo Bolsonaro pensa cassinos
e bingos para reativar economia


A declaração do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, do governo Bolsonaro, admitindo o projeto em estudo para instalar cassinos no Brasil animou o deputado Paulinho da Força, presidente nacional do Solidariedade. Paulinho é um dos parlamentares que se reuniram com Jair Bolsonaro no fim do ano passado para pedir o apoio do presidente à legalização dos jogos.

“Eu sempre fui um defensor da legalização dos jogos no Brasil, acho que é um desperdício [não ter a legalização]. Muita gente sai do Brasil para jogar, muita gente joga online e o Brasil deixa de arrecadar impostos. Além disso, é um entretenimento para as pessoas que gostam. Sou um defensor dos jogos, sempre defendi isso”, disse ele a O Antagonista.

Marcelo Álvaro Antônio afirmou, em entrevista ao jornal O Tempo, de Minas Gerais, que o projeto a ser apresentado a Bolsonaro é para autorizar a instalação de cassinos em resorts, principalmente no Nordeste — exatamente como defendem os lobistas do setor no país.

Leia Mais »

Maus bofes


Estou de maus bofes, exasperado. Mergulhado neste enredo de grotesco filme de horror, daquelas produções tipo c de baixo custo, não tenho fígado para a bufoneria de governante inescrupuloso que faz piada, uiva contra a imprensa, nomeia e demite segundo sua vontade despótica, enquanto a pandemia se alastra no Brasil e apresenta índices assustadores de mortalidade. Hoje, Jair Bolsonaro, que se alçou à condição de cientista, atropelou a ciência e liberou o protocolo para uso extenso da cloroquina, contrariando todos as pesquisas e estudos que apontam graves riscos no uso da droga.

Antes disso, logo cedo a pantomima palaciana ofereceu o capítulo da demissão da secretária de cultura, Regina Duarte, que durou 77 dias no cargo. Como se vê, este é um governo de alta rotatividade. Processo que vai se acelerar agora com as mudanças ditadas pelo toma lá dá cá instituído por Bolsonaro para aumentar sua base de apoio no Congresso antes que ali desabem as tempestades anunciadas nas investigações de crimes comuns para uso politico cometidos pelos filhos e que o alcançam. Situação que o levou a forçar a barra para mudar a direção da Polícia Federal. Um ato confesso de interferência que não exige nem vídeo de reunião ministerial nem processo da Procuradoria-Geral da República. Está lá no pronunciamento feito pelo próprio Bolsonaro no dia em que o então ministro da Justiça Sérgio Moro pediu demissão.

Leia Mais »

Setor privado força nomeação de Nise Yamaguchi no Ministério da Saúde

Associações que reúnem hospitais, clínicas e laboratórios privados de São Paulo enviaram carta ontem a Jair Bolsonaro defendendo a escolha de Nise Yamaguchi para o Ministério da Saúde.

A Fehosp, que congrega seis sindicatos patronais da área da saúde, com 55 mil estabelecimentos, destacou o currículo e o trabalho da médica contra o câncer em populações de baixa renda. O SindHosp, também do setor privado, lembrou até o apoio dela à aprovação da lei antifumo no Congresso e destacou “sua sensibilidade de mulher”.

Mas, inexplicavelmente, nenhuma das cartas falou sobre o combate à pandemia da Covid-19, a principal tarefa do cargo hoje. Até o momento, também não há nenhuma manifestação oficial de apoio do setor público, principalmente dos conselhos de secretários estaduais e municipais (Conass e Conasems, respectivamente) com os quais Nise teria de lidar diariamente na gestão do SUS.

Pandemia pode derrubar IDH global pela primeira vez em 30 anos

Segundo relatório divulgado nesta quarta-feira pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) global pode cair neste ano, pela primeira vez desde que começou a ser medido, em 1990.

O IDH é medido a partir dos níveis de educação, saúde, qualidade de vida e outros indicadores de 189 países, entre os quais o Brasil. “O mundo passou por muitas crises nos últimos 30 anos, incluindo a crise financeira global de 2007 a 2009. Cada uma delas afetou fortemente o desenvolvimento humano, mas, em geral, os ganhos de desenvolvimento foram acumulados globalmente ano a ano”, disse o coordenador do Pnud, Achim Steiner. “A Covid-19, com seu triplo impacto em saúde, educação e renda, pode mudar essa tendência.”

De acordo com o documento, já está havendo uma queda nos principais índices na maioria dos países analisados, sejam pobres, em desenvolvimento ou desenvolvidos. A estimativa é a de que a renda per capita global caia 4% neste ano.

Bolsonaro atrople a ciência e libera protocolo de uso da cloroquina

O Ministério da Saúde divulgou há pouco o novo protocolo para o uso da cloroquina no tratamento de pacientes da Covid-19. Atendendo à determinação de Jair Bolsonaro, a pasta autoriza a utilização do medicamento também para alguns casos de pacientes com sintomas leves e moderados da doença — sempre a critério do médico. Para os pacientes graves, como já acontecia, a cloroquina também está liberada.

“Apesar de serem medicações utilizadas em diversos protocolos e de possuírem atividade in vitro demonstrada contra o coronavírus, ainda não há meta-análises de ensaios clinicos multicêntricos, controlados, cegos e randomizados que comprovem o beneficio inequívoco dessas medicações para o tratamento da Covid-19. Assim, fica a critério do médico a prescrição, sendo necessária também a vontade declarada do paciente”, diz o documento.

Segundo o protocolo, a cloroquina “deve ser usada com precaução em portadores de doenças cardíacas, hepáticas ou renais, hematoporfiria e doenças mentais”.

Entre as contraindicações para o uso do medicamento, estão “gravidez, retinopatia/maculopatia secundária ao uso do fármaco já diagnosticada,
hipersensibilidade ao fármaco e miastenia grave”.

REGINA DUARTE DEIXA SECRETARIA DA CULTURA

Regina Duarte não é mais secretária especial da Cultura do governo de Jair Bolsonaro. Ela se reuniu nesta manhã com o presidente e deixou o cargo. A atriz assumirá o comando da Cinemateca, em São Paulo.

“Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o governo e a cultura brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, tuitou Bolsonaro, que postou também um vídeo ao lado da atriz.

No início do mês, com exclusividade, a Crusoé mostrou que, em conversa com uma assessora, Regina acreditava estar sendo fritada por Jair Bolsonaro (leia aqui e ouça aqui). O nome mais cotado para suceder Regina na Cultura, como noticiamos nos últimos dias, é o ator Mário Frias.

Paraná tem menor taxa de crescimento da Covid-19 do Brasil

O Paraná foi o Estado que apresentou a menor taxa de crescimento de casos de Covid-19 entre 11 e 18 de maio. No período, a variação foi de 27,6% no número de registros confirmados da doença, enquanto a média nacional bateu em 49,5%. No mesmo período, a taxa de crescimento do número de óbitos causados pelo novo coronavírus no Paraná também foi a menor do Brasil: 14,4%.

Os dados fazem parte de um estudo coordenado pelo médico cardiologista José Rocha Faria, que é professor do Centro de Epidemiologia e Pesquisa Clínica (EPICENTER) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). A análise levou em conta os dados fornecidos pelo Ministério da Saúde.

Leia Mais »

Lula e a “necessidade do Estado”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (19) que “ainda bem” que o “monstro” do coronavírus surgiu, demonstrando a necessidade da presença do Estado. Lula deu declaração ao conceder uma entrevista por videoconferência ao jornalista Mino Carta, da revista “Carta Capital”.

Trump não descarta proibir voos brasileiros para os EUA

Em reunião de gabinete aberta à imprensa, o presidente americano Donald Trump se solidarizou com alastramento de covid-19 pelo Brasil e afirmou que a restrição total de voos vindos do Brasil para os Estados Unidos, em especial para a Flórida – destino preferido dos brasileiros – não está descartada.

Questionado sobre a ascensão do Brasil no ranking de pessoas contaminadas, Trump afirmou que “sim, estamos considerando [a restrição de voos originários do Brasil]. Eles [os brasileiros] estão tendo problemas. Estamos preocupados com tudo. Não desejamos que pessoas venham aqui e infectem outras pessoas. Não quero pessoas doentes lá também. O Brasil está tendo problemas, sem dúvida”, afirmou o presidente.

Leia Mais »

Senado aprova adiamento do Enem

O Senado aprovou ontem (19) o projeto de lei que adia a aplicação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2020 e de demais processos seletivos de acesso à educação superior, como vestibulares, devido à pandemia do novo coronavírus.

De autoria da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), o projeto prevê a prorrogação automática “das provas, exames e demais atividades de seleção para acesso ao ensino superior” em casos de calamidade pública ou de comprometimento do funcionamento regular das instituições de ensino do país.

O texto segue agora para votação no plenário da Câmara dos Deputados.