Morreu a professora Vivi, primeira vítima da aulas presenciais | Fábio Campana

Morreu a professora Vivi, primeira vítima da aulas presenciais


Deu-se o que era esperado. A obstinada persistência dos colégios particulares em voltar às aulas presenciais para recuperar o faturamento fez a sua primeira vítima. A professora Vivian Danielle Niebuh, 44 anos, saudável, sem comorbidades, morreu por complicações da Covid-19 neste domingo (11). Há comoção na categoria dos mestres que repercute em todas as redes sociais. Dezenas de colegas, alunos e familiares lamentam a morte prematura de Vivian. O Colégio Marista Paranaense, em Curitiba, publicou nota de pesar e, como se fosse tudo o que pudesse fazer, suspendeu as aulas e atividades presenciais e remotas nesta segunda (12).

Eis a nota dos maristas, que tratam da morte da professora como se fosse um designio divino e não resultado da imposição de aulas presenciais: “O Colégio Marista oferece sua solidariedade e preces aos familiares e aos amigos da professora Vivian Danielle Niebuh, que faleceu na noite de hoje, 11 de abril de 2021. Abraçamos também os alunos, professores, os colaboradores e as famílias com quem ela conviveu e que lembrarão com muito carinho da presença da professora Vivi. Rogamos ao nosso fundador Marcelino Champagnat e à Maria, a Boa Mãe, que acolham e confortem a família neste momento”.


3 comentários

  1. Palpiteiro
    segunda-feira, 12 de abril de 2021 – 12:37 hs

    Vamos fechar as escolas pelo resto do ano, talvez pelo resto da década… os jovens iletrados e sem oportunidades vão se juntar às multidões de desempregados e famélicos dos lockdowns e outros quais tais… Afinal, para que escolas se não haverá ocupação no mercado de trabalho?

  2. Alessandro
    terça-feira, 13 de abril de 2021 – 11:07 hs

    Lamentável a morte, sem dúvida.
    Antes, porém, morreu o jornalismo profissional, o que é provado pelos inúmeros erros (a começar pelo nome da professora), subentendidos nada sutis e agenda política que traz em uma curta nota de falecimento.
    Quanto e porquê a Itaipu investe aqui?

  3. Pat
    quarta-feira, 28 de abril de 2021 – 19:31 hs

    Um absurdo, a família da professora deveria processar. Esse povo é muito burro, exigem que volte tudo sem fechar. Tem novas cepas criadas no Brasil. O virus não tem idade. Em vez de exigirem dos governantes o retorno dos impostos pagos na forma de auxilio emergencial, ficam falando em comunismo. Curitiba está cheia de capachos imbecis.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*