Ensino privado volta às aulas presenciais na segunda | Fábio Campana

Ensino privado volta às aulas presenciais na segunda

Os empresários do ensino privado receberam como vitória deles o fim da bandeira vermelha em Curitiba e Região Metropolitana. Com a decisão do prefeito Rafael Greca de rebaixar o risco da pandemia para a situação de alerta, ou seja, a bandeira laranja, ontem, as escolas particulares retomam as aulas presenciais amanhã, segunda-feira. As aulas presenciais serão retomadas com o percentual de 30% dos estudantes.

No caso das escolas públicas, tanto a prefeitura quanto o governo do Estado afirmam que as aulas presenciais só vão retornar depois que professores e trabalhadores da educação forem vacinados contra a Covid-19.

“Nossas associadas estão prontas há muito tempo para a oferta do ensino presencial. Todas essas instituições de ensino fizeram consideráveis investimentos em infraestrutura para seguir os protocolos necessários e apontados pelas autoridades sanitárias. Até mesmo a contratação de novos colaboradores ocorreu para que as turmas pudessem ser divididas”, destaca Douglas Oliani, presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Paraná (Sinepe/PR).

“Continuaremos pleiteando que o percentual de alunos no modo híbrido possa ser o de 50%, pois as escolas se organizaram para atender desta forma e, nesse percentual conseguimos atingir o ponto de equilíbrio econômico para o funcionamento das instituições”, pondera o dirigente.

Oliani ressalta ainda que a Educação é amparada legalmente como um serviço essencial à população. “A essencialidade se dá por duas questões: pela educação propriamente dita e, ainda, para que os profissionais de outras áreas essenciais tenham um local seguro para deixar os filhos durante o horário de expediente”, reforça.


Um comentário

  1. Palpiteiro
    segunda-feira, 5 de abril de 2021 – 10:13 hs

    Nenhum país do mundo civilizado manteve fechadas as escolas por tanto tempo, nem quando foram adotados lockdowns. O sindicalismo militante da desgraça e sofrimento, coçando as partes íntimas, sem trabalhar há mais de ano, goza da estabilidade e da garantia de salário pingando todo mês na conta, rindo-se à larga de quem lhe sustenta com impostos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*