Vem aí a Butanvac, primeira vacina brasileira contra Covid19 | Fábio Campana

Vem aí a Butanvac, primeira vacina brasileira contra Covid19

O Instituto Butantan, de São Paulo, anunciou a criação da Butanvac, nova candidata a vacina contra a Covid-19. O instituto vai pedir autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar os estudos clínicos em voluntários.

Os testes podem começar em abril se a Anvisa autorizar. A fabricação começaria em maio, e 40 milhões de doses estariam disponíveis a partir de julho, mas dependem de aval da Anvisa para serem usadas. A tecnologia é a mesma da vacina da gripe e já leva em conta a variante brasileira, A promessa é que a de que a vacina produza uma resposta imune maior que as vacinas atuais. O Instituto Butantan é o maior produtor de vacina da gripe do hemisfério sul.

A Organização Mundial da Saúde também receberá nesta sexta todas as informações da Butanvac, para que acompanhe o desenvolvimento do imunizante.


Um comentário

  1. Beto
    sábado, 27 de março de 2021 – 13:02 hs

    Hospital dos EUA diz que desenvolveu vacina anunciada como 100% brasileira pelo Butantan

    Governador de São Paulo, João Doria | Foto: Governo do Estado de São Paulo
    Governador de São Paulo, João Doria | Foto: Governo do Estado de São Paulo
    Reportagem do jornal Folha de S. Paulo afirma que a candidata a vacina contra a covid-19 anunciada pelo Instituto Butantan como sendo o primeiro imunizante 100% nacional, foi desenvolvida nos Estados Unidos, na Escola de Medicina Icahn do Instituto Mount Sinai.

    A informação foi repassada à publicação pelo diretor e professor do departamento de microbiologia do instituto, Peter Palese. “Sim, também temos um acordo com o Instituto Butantan para entrar em testes clínicos no Brasil usando nosso vetor de vacina NVD. Também estamos desenvolvendo vacinas para variantes da covid-19 baseadas nas versões sul-africana e brasileira para o Instituto Butantan”, afirmou.

    Procurado pela publicação, o diretor do instituto paulista, Dimas Covas, afirmou: “o Butantan está fazendo o desenvolvimento integral da vacina a partir de parcerias que temos e com um consórcio internacional”. O Mount Sinai, explicou, teria sido procurado pelo Butantan para fornece o vetor da vacina.

    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta sexta-feira, 26, que a vacina era a primeira feita com tecnologia nacional a entrar com testes em humanos. Em nenhum momento Doria ou Dimas Covas mencionou a parceria com o hospital Mount Sinai. A tecnologia, portanto, é norte-americana, e foi divulgada em duas publicações em revistas científicas em 2020, uma na revista EBioMedicine, em novembro, e outra no periódico Vaccines, em dezembro.

    Afonso Marangoni, Revista Oeste

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*