Ratinho Jr não lavou as mãos | Fábio Campana

Ratinho Jr não lavou as mãos

O governador Ratinho Junior percebeu a gravidade do momento e agiu com sensatez para conter a circulação do coronavírus. A iminente falta de leitos para tratamento da doença aliado ao relaxamento da população agravou o quadro da pandemia no Paraná. Ou se restringia agora, apostando no bom senso das pessoas, ou o Paraná corria sério risco de ver repetida aqui as lamentáveis cenas que já fazem parte do dia a dia de outras unidades da federação: o povo clamando por atendimento enquanto espera a fila do SUS que teima em não andar. Isso quando não faltam estrutura, leitos, respiradores e medicamentos.

Ratinho Junior acerta também ao chamar para o centro do debate os demais Poderes do Estado, reforçando uma unidade política que há muito não se via por essas bandas. E dá o exemplo ao priorizar o teletrabalho na administração do Estado, estratégia que encontra ressonância no setor privado. Já ficou claro que não adianta só abrir leitos. A matemática fria mostra que 25% dessas pessoas vão morrer.

É o momento de se resguardar para salvar vidas. Até mesmo em memória dos mais de 11.400 paranaenses que perderam a batalha para a Covid-19. Com uma campanha nacional de vacinação que não decola, a melhor estratégia de salvamento segue sendo o cuidado próprio. Evitar a circulação desnecessária, aglomerações sem sentido e intensificar todo aquele bê-a-bá de proteção sanitária, com uso de máscara, álcool gel e distanciamento. Ou seja, lave as mãos, mas não se faça de rogado.

Já para aqueles que não entenderam o limiar de perigo e os constantes alertas vermelhos, o Governo do Estado precisou agir. Atuou no exato momento para que a situação, obviamente caótica, não desandasse ainda mais. E promete intensificar o rigor contra quem teima em remar contra a corrente, jogando por terra meses de isolamento de quem pensa além do próprio umbigo e cuida do bem-estar da sociedade em geral. Ponto para Ratinho Junior. Se por um lado o governador já foi criticado por muitos (por este que escreve inclusive) , jamais poderá ser acusado de omissão. Mostrou que está mais preocupado com a credibilidade que com a popularidade. Metaforicamente, ele não lavou as mãos


4 comentários

  1. Ivan
    sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021 – 18:32 hs

    Convenhamos que essa decisão atrasou um pouco. Mais vidas poderiam ter sido poupadas e muitas famílias não estariam chorando a perda de entes queridos

  2. sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021 – 22:04 hs

    Nem os pés…

  3. Servidor
    sábado, 27 de fevereiro de 2021 – 9:08 hs

    Triste que alguns Secretários, se escondem atrás das canetas e NÃO liberam o teletrabalho aos servidores.
    Senhor Governador, faça uma visita surpresa em alguma secretaria, irá se deparar com servidores aglomerados.

  4. pilatos
    sábado, 27 de fevereiro de 2021 – 11:14 hs

    PONCIO PILATOS AO MENOS LAVOU AS MÃOS, O GOVERNADOR E O SECRETÁRIO DA SAÚDE ATÉ AGORA SÓ PASSARAM ALCOOL GEL. NÃO FIZERAM NADA. O POVO ESTÁ MORRENDO. O SECRETARIO DA SAÚDE DEVERIA SE CHAMAR “BETO DESCULPA” POIS O MESMO SÓ APRESENTA DESCULPAS ESFARRAPADAS É CLARO.

    É MUITO FÁCIL DECRETAR ISSO OU AQUILO QUANDO NO FINAL DO MÊS O R$ (DINHEIRO, BUFUNFA, PILA) TÁ NA CONTA COMO OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS RECEBEM. QUERO VER QUANDO FECHAR O NEGÓCIO DELES (NÃO TEM CAPACIDADE PARA SOBREVIVER NO SETOR PRIVADO).

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*