Os médicos acordam para Bolsonaro | Fábio Campana

Os médicos acordam para Bolsonaro

Ruy Castro

No domingo último (6), esta coluna se perguntou o que a comunidade médica, através de seus conselhos e sociedades, tinha a dizer sobre o papel de Jair Bolsonaro na tragédia da Covid-19. Já que muitos de seus membros votaram nele —sendo que, por suas qualificações acadêmicas, poderiam ter percebido que estavam elegendo um demente—, a experiência de nove meses de pandemia, a luta nas linhas de frente e o custo de até agora 180 mil vidas talvez lhes dessem finalmente subsídios para um posicionamento.

Esse posicionamento começou a surgir, provocado pela perda nesta semana por Covid do dr. Ricardo Cruz, brilhante cirurgião de cabeça e pescoço, aos 66 anos, no Hospital Samaritano, aqui no Rio. Nada faltou a Cruz em recursos médicos durante semanas de internação. Mas nem assim foi possível salvá-lo —porque o vírus não é uma “gripezinha”.

Em nota oficial há dois dias, a Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro protestou contra a “miopia criminosa”, a “política homicida” e a “desumanidade, negligência e criminosa irresponsabilidade de políticos e mandatários” no combate à doença —sem citar nomes, embora a referência à “falta de liderança” aponte fatalmente para o de Jair Bolsonaro.

É só um começo. Quando Bolsonaro for levado a responder por cada morte causada por suas atitudes diante da pandemia, precisaremos de especialistas para fundamentar as acusações. Mas não se pode esperar. Com quase mil mortes por dia e pelo desatino com que o governo trata a saúde, outras sociedades médicas, principalmente de caráter nacional, deveriam se manifestar.

E, como Bolsonaro não visa destruir somente a saúde, seria o caso de as instituições ligadas à educação, ao meio ambiente, à diplomacia, aos direitos humanos e à própria Justiça também acordarem de seu estupor e saírem em defesa do que acreditam. Ou em breve já não haverá muito o que defender.


9 comentários

  1. Valéria Prochmann
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 13:37 hs

    Apoiaram em peso o candidato e agora estão estupefatos, pois jamais poderiam supor tamabho desastre na saúde pública nacional.

  2. fernando
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 13:38 hs

    Ok…
    Mas o STF destinou aos Prefeitos e Governadores a administração da Pandemia.
    O fato do PR ficar quieto é cumprimento de sentença judicial, ou não ?

  3. Valéria Prochmann
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 13:38 hs

    Apoiaram em peso o candidato e agora estão estupefatos, pois jamais poderiam supor tamanho desastre na saúde pública nacional.

  4. Daniel Fernandes
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 15:54 hs

    A Academia Nacional de Medicina culpou a sociedade de forma genérica.
    Nada de falar de Bolsonaro.
    Os CRMs continuam quietos, bem como o CFM.
    Apoiaram em massa o Bolsonaro. Haverá um mea culpa?
    Lembremos que estes mesmos médicos protestaram contra os médicos cubanos.
    E agora que os médicos cubanos se foram, a população dos rincões ficou desassistida, pois estes mesmo médicos nunca quiseram e ainda não querem ir para estes lugares.
    Mas o que importa, né?

  5. LUIS SANTOS
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 16:08 hs

    Em tese, médicos (as) estariam em outro Patamar, MAS a opção foi juntar-se a MANADA da retórica NEGACIONISTA e sem conteúdo!

    LUIS SANTOS – Joinville/SC

  6. Edson Luiz
    sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 16:15 hs

    Sim Fernando, isso mesmo, você está certinho e sabe da correição de seu pensamento.

    Cinismo tem limites! Por favor!

  7. sexta-feira, 11 de dezembro de 2020 – 20:18 hs

    Fábio, se no cenário da administração federal tudo soa a idiotia, negação, irresponsabilidade, na nossa esfera estadual de igual modo a ilusória competência do governador está apenas mascarando o mais humilhante servilismo ao governo federal quando, sem nenhuma razão administrativa plausível, está agendando a vacinação para março. E isso somado à injustificada inércia em não procurar acordos e convênios com fabricantes de vacinas prestes a serem aprovadas. Tudo para rezar de acordo com a cartilha daquele que está desconstruindo o país. Haja puxasaquismo!!!

  8. Falavinha
    sábado, 12 de dezembro de 2020 – 11:12 hs

    É importante e fundamental que a população na próxima eleição não eleja mais nenhum dos políticos que estão por ora no poder. Estamos cansados de políticos que se aproveitam dos cargos que ocupam e só atrapalham a população !!

  9. Observador Atento
    sábado, 12 de dezembro de 2020 – 19:56 hs

    É estarrecedor ouvir do maior mandatário da nação que a pandemia está no fim, no exato momento em que o número de casos aumentam a cada dia, em todo o Brasil, quase 1000 braileiros morrem vitima do covid 19, diariamente, e as UTIs atingem quase 100% de ocupação em várias regiões.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*