PF culpou europeus por desmatamento na Amazônia e lembrou pau-brasil | Fábio Campana

PF culpou europeus por desmatamento na Amazônia e lembrou pau-brasil

Imagem de índios cortando pau-brasil que ilustrou apresentação da PF

Imagem de indígenas cortando pau-brasil que ilustrou apresentação da Polícia Federal

Antes de Jair Bolsonaro nesta terça (17), a Polícia Federal já tinha dito no início do mês a embaixadores que outros países também têm culpa sobre o desmatamento da Amazônia, não só o Brasil. O encontro teve fala dura de um delegado, de que não é a primeira vez que a demanda europeia coloca em risco espécies nativas do país. A frase foi ilustrada com imagem de índios cortando pau-brasil. Agora, afirmou a PF, é a vez do ipê. A polícia disse ainda que a Europa não certifica a madeira que compra aqui.

A PF expôs na reunião países europeus que estavam importando madeira ilegal do Brasil. A lista era resultado de uma operação que fez apreensões no Amazonas. A ação embasou parte do discurso do presidente em reunião dos Brics, como mostrou a Folha.

No encontro do dia 5 de novembro, a PF disse que as exigências de certificação da Europa não funcionam, o que facilita, segundo essa visão, a entrada de madeira ilegal. A legislação que lá existe para controle de carne foi comparada com a de madeira. Segundo os policiais, a primeira é bastante rígida, enquanto a segunda é frágil. As informações são do Painel da Folha.

A questão principal apontada é que, no caso da madeira, a certificação europeia não exige a cadeia de custódia, que é o caminho desde a origem até a venda.

Por causa do desmatamento ilegal, sustenta a polícia, madeiras nobres, como o ipê, são comercializadas lá fora por um preço baixo, comparável ao valor do eucalipto, que é uma árvore que cresce em poucos anos.

Chefe da unidade regional da PF no Amazonas, o delegado Alexandre Saraiva conduziu a conversa. O diretor-geral, Rolando de Souza, estava presente

Presidente da associação de exportadores de madeira do Pará, Roberto Pupo diz que Bolsonaro deu tiro no pé com a declaração.


2 comentários

  1. Ras Tafari
    quarta-feira, 18 de novembro de 2020 – 15:53 hs

    E por que não deu os nomes dos importadores europeus destas madeiras? Aposto que muita gente lá na Europa adoraria saber se o seu país faz parte desta lista de importadores de madeira extraída ilegalmente da Amazônia, mas os nomes o delegado não deu, se deu o público ainda não ficou sabendo.Denúncia deste tipo não denuncia nada.

  2. jose marcos
    quarta-feira, 18 de novembro de 2020 – 22:55 hs

    Mas se a extracao é ilegal nao é importação. É contrabando ou trafico.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*