"Lugar de bandido não é na rua", diz Francischini sobre sistema de reconhecimento facial | Fábio Campana

“Lugar de bandido não é na rua”, diz Francischini sobre sistema de reconhecimento facial

O sistema de monitoramento é uma das propostas do candidato a prefeito de Curitiba Fernando Francischini (PSL) para a área de segurança. O projeto vai integrar imagens de câmeras públicas e privadas para o reconhecimento facial de suspeitos e placas de veículos furtados e roubados.

Francischini afirma que o sistema não vai monitorar a vida privada dos curitibanos, apenas identificar bandidos na cidade.

“Houve grandes debates constitucionais sobre o direito à privacidade quando as câmeras públicas começaram a serem usadas pelas prefeituras. Hoje, ainda bem, isso está ultrapassado porque o sistema não reconhece rostos de quem não está com um mandado de prisão em aberto. O direito de ir e vir sempre vai ser preservado”, analisa.

Ainda segundo o candidato, o efeito do programa de monitoramento será da prevenção.

“Sabendo que as câmeras estão captando imagens, você acha que o bandido vai querer circular por Curitiba”, questiona.

Identificação de placas
Além do reconhecimento facial, Francischini também aposta na tecnologia de identificação de placas. Segundo ele, a implantação será parecida com o sistema já usado para aplicação de multas.

“Quero usar as imagens de câmeras para reconhecer carros furtados. Assim, conseguimos baixar o índice de furtos e outros crimes que seriam cometidos com aquele veículo”, afirma o candidato.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*