A hora do espanto | Fábio Campana

A hora do espanto


Os candidatos a prefeito em Curitiba entraram em atividade intensa nos últimos dias. E devem acelerar ainda mais, se é que é possível, pois a data da eleição se aproxima e o quadro pouco mudou nos últimos 45 dias. A situação é aquela: Rafael Greca, do DEM, na frente, com chances de vencer no primeiro turno. Atrás, muito atrás, um bloco que disputa o segundo lugar ao mesmo tempo que olha para as pesquisas e estatísticas torcendo para que dê segundo turno.

Nesse bloco estão Fernando Francischini, do PSL; Goura, do PDT; João Arruda, do MDB. Podemos destacar um terceiro bloco de possíveis surpreendentes, dada a irrisória porcentagem de votos dados aos candidatos de oposição. Paulo Opuszka, do PT, se galvanizar os votos cativos de Lula. Christiane Yared e seus apelos emocionais, que já foram mais convincentes; Camila Arns, que procura herdar o carisma da tia Zilda Arns, heroína da proteção à infância, mais os votos do universo de atenção aos excepcionais. Além de seu pai, e do Trio Los Podemos, Alvaro Dias, Oriovisto Guimarães e o próprio Flávio Arns.

Terrível para eles é o desinteresse do distinto público pela eleição. Nenhum candidato de oposição chegou a empolgar a grande massa. Resultado: há um contingente de indecisos, indefinidos, propensos a abstenção como nunca na história desta cidade. E o tempo é curto para sensibilizar uma população entre os que se preocupam e se atemorizam diante da pandemia de coronavírus e os que vão à farra para esquecer que a covid19 mata.


Um comentário

  1. Silvio Martendo
    segunda-feira, 2 de novembro de 2020 – 11:25 hs

    Não sei o motivo de colocarem o Arruda junto de Francischini e Goura. Até a Yared, segundo TODAS as pesquisas está melhor que ele.
    Machismo? Ou esquema? Expliquem… que está feio essa força de barra, heim imprensa… hahaha.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*