Francischini, Marisa Lobo, Opuszka e Zé Boni não assinam termo em defesa dos direitos LGBTI+ | Fábio Campana

Francischini, Marisa Lobo, Opuszka e Zé Boni não assinam termo em defesa dos direitos LGBTI+

Bem Paraná – Dos 15 candidatos e candidatas à prefeitura de Curitiba nas eleições do próximo dia 15 de novembro, 11 assinaram o Termo de Compromisso pela Cidadania e Direitos LGBTI+. O documento pede aos postulantes ao cargo do Executivo Municipal que assumam compromissos e esforços para combate a questões que envolvem preconceito e violência, além da garantia de direitos previstos em leis e na Constituição Federal para a cidadania LGBTI+.

Os candidatos e candidatas que assinaram são, em ordem alfabética: Camila Lanes (PCdoB), Carol Arns (PODE), Christiane Yared (PL), Eloy Casagrande (REDE), Goura (PDT), João Arruda (MDB), João Guilherme Moraes (Novo), Letícia Lanz (PSOL), Rafael Greca (DEM), Professor Mocellin (PV) e Samara Garratini (PSTU). Os candidatos e candidatas que não assinaram o termo são, também em ordem alfabética: Fernando Francischini (PSL), Marisa Lobo (AVANTE), Paulo Opuszca (PT) e Zé Boni (PTC).

Para o diretor do Grupo Dignidade e presidente da Aliança Nacional LGBTI+, Toni Reis, a conquista e garantia dos Direitos Humanos à essa parcela da população depende de todos e todas. “O trabalho que a Aliança e o Grupo Dignidade estão fazendo é levar nossas propostas. Não queremos nenhum privilégio; queremos ser cidadãos e cidadãs com garantia de direitos. A ideia é mostrar que todos os setores da sociedade têm que estar organizados para que tenhamos uma eleição limpa, sem fake news e com propostas. Nossa comunidade está mobilizada e apresentando as propostas”, afirma.

Na opinião do coordenador estadual da Aliança Nacional LGBTI+, Diego Xavier, a assinatura do termo pelos candidatos e candidatas mostra que Curitiba se tornou uma referência em capital que busca e defende a diversidade e todas as formas de amar. “Em um primeiro momento, achamos que seria uma missão difícil, que ficaria mais restrita a partidos considerados de esquerda. Mas procuramos dialogar com todos os partidos. Isso fez com que Curitiba se tornasse a primeira capital do país com maior número de candidatos à Prefeitura comprometidos com a diversidade. Eu, como cidadão LGBTI+ e como coordenador estadual da Aliança, me sinto realizado pessoalmente. Sei que é um passo apenas e temos que garantir que a próxima gestão cumpra o termo e aplique as políticas públicas da população LGBTI+ em Curitiba”, explica.

O termo faz parte do Programa Voto com Orgulho. Entre os compromissos que estão do documento estão o Plano Municipal de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBTI+; Coordenadoria Municipal da Cidadania e Direitos Humanos de LGBTI+; e Conselho Municipal da Cidadania e Direitos Humanos de LGBTI+. Os termo também cita a garantia no orçamento municipal de recursos financeiros para a execução de ações de promoção e cidadania dos direitos LGBTI+; promoção de ações da cidadania e direitos LGBTI+ em parceria com ONGs do setor; apresentação de projetos de lei com penalidades administrativas nos casos de discriminação e preconceito; buscar tornar obrigatório o respeito ao nome social de pessoas travestis e trans na administração pública; vetar leis que firam a igualdade de direitos da população LGBTI+, sancionar e apresentar projetos de lei de garantia, defesa, promoção e proteção da cidadania e direitos de LGBTI+; ampliar e fortalecer a rede de equipamentos públicos voltados à população LGBTI+ em situação de vulnerabilidade; promover e fortalecer a atenção à população LGBTI+; defender a educação pública de qualidade; e zelar pela defesa do Estado Laico.


Um comentário

  1. Mario
    sábado, 31 de outubro de 2020 – 14:50 hs

    Por que será que a homossexualidade incômoda tanto, alguns ditos heterossexuais. Parabenizo os candidatos que assinaram este compromisso. São seres evoluídos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*