Em reviravolta, UFPR define Lista Tríplice que seguirá para Bolsonaro | Fábio Campana

Em reviravolta, UFPR define Lista Tríplice que seguirá para Bolsonaro

Plural – Em uma reviravolta de cenários, o atual reitor, Ricardo Marcelo Fonseca, e os professores Marcos Alexandre dos Santos Ferraz e Maria Rita de Assis Cesar irão compor a Lista Tríplice que definirá a próxima gestão da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Os docentes foram os mais votados na eleição interna do Colégio Eleitoral da instituição, nesta quarta-feira (30). Assim, finaliza-se um dos processos mais polêmicos da Casa, refeito às pressas após impasse.

Com o maior número de votos, 32 dos 64, Ricardo Fonseca vai encabeçar a Lista – referendando o que a comunidade acadêmica já havia decidido. Mas com seis votos, o professor Horácio Tertuliano, diretor do Setor de Tecnologia, ficou de fora do documento por ser o menos votado entre os quatro concorrentes inscritos.

Com 13 e 12 votos respectivamente, Ferraz e César pulverizaram votos e empurraram Tertuliano para o final na fila. O diretor do Setor de Tecnologia integrava a única chapa de oposição concorrente do atual reitor no processo que foi praticamente invalidado depois de uma nova diretriz do Ministério da Educação (MEC).

Formalizado na semana passada, o novo posicionamento da pasta insiste em uma Lista com três nomes, e não menos. Mas o processo da UFPR – iniciado em junho, portanto antes da determinação atual – correu com apenas duas chapas inscritas nos prazos determinados por resolução do Conselho Universitário (Coun).

Diante do impasse, o Colégio Eleitoral decidiu abrir novos prazos de inscrição para atingir o número mínimo de candidaturas, e os professores Marcos Ferraz e Maria Rita Cesar se somaram a Fonseca e Tertuliano – que chegou a impetrar mandado de segurança para invalidar a reorganização da Lista e manter seu nome no documento.

Portanto, a reunião desta quarta funcionou como eleição interna, organizada de última hora em encontros anteriores para refazer a tempo o processo dissolvido após as mudanças do governo.

Alinhados de Bolsonaro, Tertuliano e sua candidata a vice, Ana Paula Cherobim, eram potenciais nomes à reitoria da UFPR. Bastava manter nomes na lista, mesmo contra a tradição, já que o novo parecer do MEC dá ao presidente mais liberdade para interferir nas nomeações.

Desde a redemocratização, era acordo informal entre as universidades e institutos federais enviar à presidência da República apenas o nome do concorrente mais votado pela comunidade acadêmica, com a retirada consentida das chapas derrotadas na consulta acadêmica. Dessa forma, o chefe do Executivo Federal assumia um papel secundário, apenas referendando a escolha da comunidade acadêmica – o que não ocorre mais agora.

Em exemplo recente de decisão final, Bolsonaro nomeou o professor Carlos André Bulhões Mendes o novo reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mesmo a chapa do docente tendo sido a menos votada entre as três com candidatura homologada.

Lista completa

Segundo na Lista Tríplice para reitor, Marcos Alexandre dos Santos Ferraz é atual diretor do Setor de Educação da UFPR. Formado em Comunicação Social, o professor tem doutorado e pós-doutorado em Sociologia.

Na terceira posição segue o nome da Pró-reitora de Assuntos Estudantis da gestão de Fonseca, Maria Rita Cesar. A docente é graduada em Biologia e doutora em Educação.

Como candidato (a) a vice-reitor (a), Graciela Ines Bolzón de Muniz, atual vice-reitora, foi escolhida com 33 votos, seguida de Nelson Luis Barbosa Rebellato, do Setor de Ciências da Saúde (14), e Regiane Regina Ribeiro, diretora do  Setor de Artes, Comunicação e Design (12). Ana Paula Cherobim, da Escola de Administração e vice na chapa de Tertuliano, teve 4 votos.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*