Censes do Paraná são referência nos cuidados ao Covid-19 na gestão Ratinho Junior / Ney Leprevost | Fábio Campana

Censes do Paraná são referência nos cuidados ao Covid-19 na gestão Ratinho Junior / Ney Leprevost

Ratinho Jr. convida Ney Leprevost para reassumir cargo no governo; decisão  pode tirá-lo da eleiçãoOs Censes – Centros de Socioeducação da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho se tornaram referência em prevenção da COVID-19, comprovando a importância em adotar procedimentos em conformidade com os documentos norteadores da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) e demais órgãos de saúde. “No início da pandemia adotamos procedimentos importantes, como a suspensão de visitas aos Centros de Socioeducação do Estado”, disse o secretário Ney Leprevost, lembrando do esforço conjunto de servidores e adolescentes, que levaram ao êxito.

Apenas 11 dos 456 adolescentes que cumprem medida socioeducativa nos 28 Censes testaram positivo para o coronavírus, sendo monitorados, isolados e tratados de acordo com as recomendações de de protocolos emitidos pelas autoridades sanitárias. Foram estabelecidos espaços (alas / alojamentos) destinados para isolamento inicial, de casos sintomáticos, de casos confirmados com a COVID-19 e o espaço de adolescentes em cumprimento de medida que não apresentarem sintomas, pós isolamento inicial sem sintomas, pós isolamento inicial testado negativo e adolescentes recuperados da COVID-19, com devida autorização médica.

Para preservar a saúde dos adolescentes e servidores, foram adotadas medidas preventivas para evitar a transmissão do vírus e a sua disseminação no âmbito das Unidades Socioeducativas. Das 1.136 vagas existentes nos Censes, 577 foram interditadas em função das medidas para enfrentamento da Pandemia COVID-19, estabelecidas na Recomendação 62/2020 – Conselho Nacional da Justiça, e na Recomendação Conjunta 01/2020 – Tribunal de Justiça do Paraná, que orientaram os juízes para a aplicação preferencial de medidas socioeducativas em meio aberto e a revisão das decisões que determinaram a internação provisória.

Os adolescentes da Semiliberdade, foram na maioria liberados para cumprir a medida em casa, sendo acompanhados pelos servidores, que dependendo da necessidade, vão até a casa do adolescente, para orientação e acompanhamento. “Não podemos baixar a guarda”, diz o diretor do Dease – Departamento de Atendimento Socioeducativo Coronel David Pancotti, observando que é preciso preservar a saúde dos adolescentes e dos servidores.

Ney informa que também foram realizadas neste governo Ratinho Junior capacitações para disseminar informações de prevenção e cuidados referentes à pandemia, com orientações sobre fluxo, manejo, proteção e higienização das mãos, uso correto de EPIs, limpeza e desinfecção de ambientes e superfícies.

Nas Unidades foi garantida a limpeza correta, frequente e diária das superfícies mais tocadas (maçanetas de portas, cadeados, telefones, mesas, interruptores de luz, entre outros) e das áreas comuns, dormitórios e outros ambientes utilizados pelos acolhidos.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*