'Frente Parlamentar do Pedágio' vai revisar contratos, descrever obras e fiscalizar concessionárias no Paraná | Fábio Campana

‘Frente Parlamentar do Pedágio’ vai revisar contratos, descrever obras e fiscalizar concessionárias no Paraná

'Frente Parlamentar do Pedágio' vai acompanhar e fiscalizar a execução das obras em andamento e o encerramento dos contratos de pedágio do Paraná — Foto: Jorge Woll/DERA “Frente Parlamentar do Pedágio” vai revisar contratos, descrever obras e fiscalizar o cumprimento das obrigações das concessionárias no Paraná, conforme foi estabelecidos pela associação de deputados que, junto com representantes da sociedade civil e de órgãos públicos, irá discutir o encerramento dos contratos de pedágio.

Na manhã desta segunda-feira (14), foi lançada em audiência pública – disponibilizada nos canais de internet da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para quem quisesse acompanhar – a frente parlamentar dos contratos de pedágio nos estado. Os atuais contratos encerram em 2021.

O Paraná tem hoje 2,5 mil quilômetros de rodovias pedagiadas em seis lotes, no chamado Anel de Integração. As informações são do G1.

A frente parlamentar também vai propor projetos de lei para a regulamentação dos contratos de pedágio. Além disso, vai monitorar os processos de licitação para a concessão de rodovias localizadas no estado.

Reuniões e relatórios da frente parlamentar

As reuniões da frente parlamentar ocorrerão periodicamente, serão públicas e podem ser feitas de maneira remota. Todas as reuniões vão ser registradas em atas que ficarão disponíveis no site da Alep.

A frente parlamentar entregará relatórios trimestrais à Assembleia Legislativa e um relatório final.

Esses relatórios devem conter a descrição dos trabalhos feitos pelos deputados envolvidos na frente, a síntese das reuniões, das audiências públicas, das informações e das denúncias recebidas e propostas para o encerramento dos contatos de pedágio e para novas concessões.

Quais deputados formam a ‘Frente Parlamentar do Pedágio’?

  • Arilson Chiorato (PT) – coordenador
  • Anibelli Neto (MDB)
  • Boca Aberta Jr (PROS)
  • Dr. Batista (DEM)
  • Gilson de Souza (PSC)
  • Goura (PDT)
  • Homero Marchese (PROS)
  • Delegado Jacovos (PL)
  • Luciana Rafagnin (PT)
  • Luiz Carlos Martins (PP)
  • Luiz Claudio Romanelli (PSB)
  • Luiz Fernando Guerra (PSL)
  • Mabel Canto (PSC)
  • Maria Victoria (PP)
  • Requião Filho (MDB)
  • Paulo Litro (PSDB)
  • Professor Lemos (PT)
  • Soldado Adriano Jose (PV)
  • Soldado Fruet (PROS)
  • Subtenente Everton (PSL)
  • Tadeu Veneri (PT)
  • Tercílio Turini (CDN)
  • Reichembach (PSC)

 

Apesar de a frente parlamentar contar com esses deputados listados, o coordenador do grupo, Arilson Chiorato, afirmou que o pedágio é um assunto de todos os 54 deputados da Casa.

Novo modelo de pedágio

O novo modelo de pedágio prevê tarifa mais barata e mais rodovias duplicadas, de acordo com um estudo que a RPC teve acesso no começo de agosto.

A nova concessão deve ter cerca de 3,8 mil quilômetros de rodovias pedagiadas divididos em até oito lotes.

Esse modelo será adotado por 30 anos e pode ter a participação das atuais empresas concessionárias de pedágio e de organizações internacionais.

 


2 comentários

  1. PitBull
    segunda-feira, 14 de setembro de 2020 – 20:44 hs

    Vão colocar as raposas cuidar do galinheiro ?

  2. Freddy Kruger
    terça-feira, 15 de setembro de 2020 – 21:42 hs

    As empresas atuais que não cumprirem com as clausulas acordadas anteriormente não poderão participar de nova licitação. É o obvio ululante que precisa ser aprovado. Ou vão deixar por isto mesmo. Começo a dar razão para o Pitbull.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*