Coletivo de arte usa 'cabeça de Bolsonaro' como bola de futebol | Fábio Campana

Coletivo de arte usa ‘cabeça de Bolsonaro’ como bola de futebol

Um vídeo do coletivo de arte Indecline que mostra uma escultura ultrarrealista da cabeça do presidente Jair0 Bolsonaro (sem partido) sendo usada como bola de futebol gerou polêmica nesta segunda (14). A ação foi divulgada no Instagram oficial do grupo e faz parte do projeto ‘Freedom Kick’ (“chute de liberdade”, em português), que também tem peças similares à imagem de Donald Trump e Vladimir Putin.

No texto da publicação, o coletivo afirma: “Embora aqueles que têm o poder gostem de tratar política como uma brincadeira, para muitos, há muita coisa em jogo. Futebol sempre foi um esforço coletivo, algo que envolve comunidade e organização, enquanto a ditadura é mais individual. É como dizem, só há uma bola. Essa é uma metáfora perfeita para os nossos chefes de Estado; e o nosso trabalho é chutá-los até encontrarmos uma maneira de transformar nossos esforços individuais numa vitória coletiva”. As informações são da TV Cultura.


4 comentários

  1. tadeu rocha
    quarta-feira, 16 de setembro de 2020 – 13:32 hs

    isso é uma vergonha fazer isso com presidente, arte do PT, MUDA brasil, ele esta fazendo muito outro o que

  2. Freddy Kruger
    quarta-feira, 16 de setembro de 2020 – 16:21 hs

    Falta de Civismo e amor a Pátria, além de um grande desrespeito a figura do Presidente, sendo ele qualquer um que seja. Só podia ser coisa de Petista e aliados. Em tempo: se formos analisar os maiores ditadores do mundo, estão sempre ligados à esquerda socialista.

  3. SERGIO SILVESTRE
    quarta-feira, 16 de setembro de 2020 – 18:04 hs

    Deveria ser a cabeça dele de verdade ,a se esse Pais tivesse povo,

  4. bs
    quarta-feira, 16 de setembro de 2020 – 19:02 hs

    Pelo menos a musica escolhida diz a verdade. Para tirar o Brasil dessa baderna somente quando o Morcego doar sangue, ou o Saci cruzar as pernas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*