Ministério muda estratégia e orienta buscar médico aos primeiros sintomas de Covid | Fábio Campana

Ministério muda estratégia
e orienta buscar médico aos
primeiros sintomas de Covid

O Ministério da Saúde mudou sua estratégia e passou a recomendar nesta quinta (9) que pacientes procurem atendimento médico ao sentir qualquer um dos sintomas da Covid-19, mesmo aqueles considerados leves.

Antes, a orientação era a de que quem tivesse os sintomas mais brandos ficassem em casa e procurasse auxílio apenas em caso de efeitos mais graves, atribuíveis à doença, como falta de ar. Além desta última, entre as manifestações mais recorrentes da doença, estão febre, tosse, cansaço, dor no corpo e mal-estar, dor de garganta, dor de cabeça e, em alguns casos, espirro, coriza e diarreia.

Segundo o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, as evidências no Brasil e no mundo mostraram que, quando se busca o atendimento numa fase inicial da doença, é possível evitar o agravamento. As informações são da Folha.

Elcio argumentou que o paciente, ao aguardar em casa, tem chegado ao hospital em quadros clínicos mais graves e isso dificulta a reversão da doença. Reportagem da Folha publicada na terça (7) mostrou um salto de 53% nas mortes naturais ocorridas em casa entre 15 de março e 13 de junho.

“O tratamento precoce tem uma resposta mais assertiva, evitando piora, evitando necessidade de respiradores”, disse.

O secretário ressaltou que o SUS está preparado para receber os pacientes. “Foram criados os centros de triagem, os centros comunitários. Estamos reforçando toda a estrutura de atenção primária com médicos contratados pelo programa Mais Médicos. Isso foi feito para que a população pudesse procurar atendimento precoce.”


2 comentários

  1. PEDROCA DO SUDOESTE
    sexta-feira, 10 de julho de 2020 – 18:29 hs

    Isso que é Ministro da Saúde.Orientações sábias.kkkkkkkkk……Ridículas suas colocações. Deveria se preocupar com a pandemia, estratégias, mecanismos, só fica falando abobrinhas, aliás é um despachante de Saúde.

  2. sergio
    sábado, 11 de julho de 2020 – 6:52 hs

    Meu Deus, só agora o Ministério da Saúde resolveu pelo obvio.
    Quantas pessoas fiaram muito ruim ou morreram pela recomendação anterior de só procurar ajuda em casos mais graves?
    Olha aonde chegamos com a política de Saúde em nosso país.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*