Governo do PR suspende serviços não essenciais em sete regionais | Fábio Campana

Governo do PR suspende serviços
não essenciais em sete regionais

Por causa do avanço do coronavírus no estado, o governo prepara um decreto a determinar uma quarentena mais restritiva em sete regionais, que começa a valer nesta quarta-feira (1º), e tem duração de 14 dias.

A quarentena vai atingir as Regionais de Saúde de Cornélio Procópio, Londrina, Cianorte, Toledo, Cascavel, Foz do Iguaçu e a Grande Curitiba. Estas regionais concentram 75% dos casos no estado. O Paraná tem 22 Regionais de Saúde. As medidas vão impactar quase 6,3 milhões de pessoas, em 134 cidades. 

A decisão leva em conta a taxa de incidência da Covid por 100 mil habitantes, o número de mortes por 100 mil habitantes e a ocupação dos leitos de UTI.

Medidas

1. Por 14 dias – prorrogáveis por mais 7, se necessário –, ficam restringidas as atividades econômicas não essenciais (shoppings, galerias, comércio de rua, feiras, salões de beleza, academias, bares, casas noturnas).

2. O transporte público poderá atender somente os funcionários dos serviços considerados essenciais, e os veículos só poderão circular conforme a quantidade de assentos.

3. Também fica proibida a circulação de pessoas em vias públicas das 22h às 5h.

4. O funcionamento dos mercados ficará restrito de segunda a sábado, das 7h às 21h. O fluxo ficará limitado a 30% da capacidade total, devendo ser controlado com a distribuição de senhas. O acesso será limitado a uma pessoa da família e está proibida a entrada de menores de 12 anos.

5. Fica suspenso o funcionamento de serviços de conveniência em postos de combustíveis – exceto nas rodovias.

6. Restaurantes e lanchonetes poderão atender somente no sistema drive-thru, delivery ou take away (retirada no balcão).

7. Reuniões profissionais ou pessoais devem ser realizadas virtualmente e, quando necessário, com no máximo 5 cinco pessoas e afastamento de 2 metros entre si.

8. A abertura de parques, praças e demais áreas coletivas ao ar livre fica a critério de cada prefeitura.

9. A fiscalização será realizada pela Polícia Militar em parceria com as Guardas Municipais, sob pena de multa em caso de descumprimento.

10. Também serão suspensas as cirurgias eletivas diante da escassez de medicamentos anestésicos e relaxantes musculares.

O detalhamento das atividades com restrição será feito em decreto que deve ser assinado ainda nesta terça-feira pelo governador.


5 comentários

  1. Maura
    terça-feira, 30 de junho de 2020 – 17:01 hs

    A culpa por falta de respiradores não é da população…A saúde está num caos faz anos … tem que controlar a terceira idade q vão passear nos shopping…O Brazil está falido … por falta de gestor .

  2. Fernando
    quarta-feira, 1 de julho de 2020 – 0:45 hs

    Tá bom…
    Governador, qual é o resultado esperado destas novas medidas ?
    E depois destas medidas, qual será a próxima ?

  3. Londrinense
    quarta-feira, 1 de julho de 2020 – 7:22 hs

    É governador… A pá de cal na cidade de Londrina. Parabéns. Desisto. Sou pequeno e não vou suportar. Serão mais 5 funcionários dispensados, 5 famílias agora sem ter renda. Nao tenha dúvidas que vou deixar bem claro pra eles que a culpa é sua, afinal não há aqui situação fora de controle.
    PS. Maringá tem mais casos que Londrina e nao fechou. Apucarana tem o mesmo porte de Cambé, e números parecidos, mas não fechou… Será no que é porque se trata da região de origem do governador e do secretário de saúde?

  4. JM
    quarta-feira, 1 de julho de 2020 – 9:10 hs

    O governador e Paraná Previdência, esqueceram de pagar os aposentados, cade o dinheiro.

  5. Adalton Junior
    quarta-feira, 1 de julho de 2020 – 18:19 hs

    Boa tarde!
    Estive lendo o decreto e não encontrei no 4942 nenhuma referencia a circulação de pessoas.
    Poderiam citar de qual decreto, artigo, parágrafo se referem?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*