Prefeito de Varginha renuncia após impasse sobre comércio | Fábio Campana

Prefeito de Varginha renuncia após impasse sobre comércio

Valor Econômico

Após uma série de críticas e questionamentos por ter determinado a reabertura do comércio na cidade mineira de Varginha, o prefeito Antônio Silva (PTB) decidiu renunciar ao cargo nesta segunda-feira.

Silva havia assinado um decreto na semana passada que determinava que a, partir desta segunda, todos os estabelecimentos comerciais da cidade poderiam voltar a funcionar. Assim como todos os municípios de Minas Gerais, Varginha, no sul do Estado, tinha decretado o fechamento do comércio não essencial como forma de reduzir o risco de disseminação do novo coronavírus.

A decisão pelo fechamento foi assinada em 20 de março pelo vice-prefeito Vérdi Lucio Melo (Avante). Segundo a imprensa local, Silva estava em férias quando e Melo era o prefeito em exercício.

Na semana passada, de volta à prefeitura, Silva decidiu atender à demanda dos comerciantes de Varginha e assinou um novo decreto que permitia que as lojas voltassem a funcionar seguindo algumas restrições, como o distanciamento entre funcionários e clientes e o de limitação de número de clientes por loja.

A posição de Antônio Silva coincide com a que vem sendo defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo quem os governadores e prefeitos devem começar a autorizar a reabertura dos estabelecimentos comerciais. Bolsonaro também questiona a necessidade de que escolas públicas e privadas sejam mantidas fechadas pelo país por causa da pandemia.

Porém, em Varginha, a decisão provocou uma grita entre autoridades públicas e parte da população, fazendo com que o prefeito voltasse atrás.

Em um novo decreto assinado no sábado, Silva listou as posições manifestadas pelo Ministério Público de Minas, pela Secretaria Estadual de Saúde, pelo Conselho Municipal de Saúde, pela Associação Médica de Varginha, pelo Sindicato dos Médicos de Minas Gerais, pela Comissão de Prevenção, Controle e Enfrentamento do Coronavírus do Estado, todas contrárias à reabertura do comércio.

Antônio Silva mencionou até que a Associação Comercial de Varginha se eximiu da responsabilidade de ter solicitado a reabertura do comércio à prefeitura.

De acordo com o boletim divulgado na manhã desta segunda-feira pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais, em Varginha há quatro casos confirmados e nenhuma morte por covid-19. A cidade tem 135,5 mil habitantes. No Estado, são 525 casos e 9 mortes até o momento.

No decreto de sábado, o prefeito manteve o comércio fechado por pelo menos mais 15 dias. Para evitar confusão sobre o que estaria valendo, a prefeitura colocou um comunicado em seu site sobre a série de decretos e uma nota explicativa sobre a manutenção do fechamento do comércio.

Vendo-se contestado publicamente e tendo de recuar, Silva – que havia sido eleito em 2016 – renunciou.

“Não sou prefeito, apenas estou prefeito. Mas, nas atuais circunstâncias e por razões de foro íntimo, reconheço não ter condições de continuar administrando a prefeitura”, escreveu na carta de renúncia remetida ao presidente da Câmara dos Vereadores de Varginha.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*