Ministério Público pede para não reabrir o comércio em Curitiba | Fábio Campana

Ministério Público pede para não reabrir o comércio em Curitiba

O Ministério Público Estadual pediu à Justiça para impedir que o prefeito Rafael Greca libere o comércio em Curitiba a partir de amanhã. E encaminhou ofício ao prefeito para que apresente indicando os critérios técnico-científicos que embasaram a abertura de serviços considerados não essenciais.

O MP segue com a orientação geral às Promotorias de Justiça em todo o estado para que promovam medidas dirigidas a garantir que, em todos os municípios, sejam observadas as determinações sanitárias estadual e federal de manutenção da política de isolamento social como forma de conter o avanço do coronavírus. Especialmente as restrições ao funcionamento do comércio e serviços. Estão vetadas as atividades consideradas não essenciais.

A determinação é válida desde o final de março, a partir de nota técnica e por meio de circular expedida pelo Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção à Saúde Pública dirigidas a todos os agentes ministeriais com atribuição na área da saúde, foi referendada em nota pública emitida no dia 13 de abril pelo Gabinete Integrado de Acompanhamento à Epidemia do Novo Coronavírus (Giac-Covid-19) no Estado do Paraná, órgão criado por ato da Procuradoria-Geral da República e integrado por diversas entidades.


7 comentários

  1. Gustavo Reis
    quinta-feira, 16 de abril de 2020 – 19:00 hs

    O que o ministério público entende de Saúde pública ou de vírus?
    Como sempre querem governar, mandar e atrapalhar sem ter sido eleitos para nada.
    Ta faltando uma PEC pra enquadrar esses concurseiros.

  2. João manzano
    sexta-feira, 17 de abril de 2020 – 8:42 hs

    Resta saber se o ministério público abrirá mão de seus salários altíssimos para também cooperar com corona viros.ai sim comecariamos no mesmo patamar os empresários aqueles que pagam os salários de todos os funcionários públicos inclusive os deles através dos impostos altíssimos que já sacrifica a todos chega a ser quase impossível pagar mas em fim pagamos somos obrigados aí com certeza falariamos á mesma língua todos sem produzir todos em em casa sem receber olha que espetáculo

  3. JM
    sexta-feira, 17 de abril de 2020 – 9:10 hs

    Chega de palhaçada, vamos voltar ao sistema normal, com cuidado.

  4. Eleitor
    sexta-feira, 17 de abril de 2020 – 11:54 hs

    Para quem pertence a uma Ilha de Prosperidade, é confortável ficar em quarentena. O Ministério Público e Judiciário deveriam concordar com a diminuição dos repasses milionário que o Estado faz a essas instituições. Procurem saber o quanto eles tem em aplicações.

  5. FERNANDO
    sexta-feira, 17 de abril de 2020 – 13:20 hs

    Caro Fabio, tendo em vista que o Ministério Público e o Judiciário, ganham mais de 35.000,00 mensais, sugiro que eles façam a doação pelo menos da metade de seus salários, para ajudar o Coronavirus. Fabio, hoje a única classe que está na zona de conforto são os Juízes e Ministério Público, faça chuva ou sol, todo mês o salário deles entra. Sugiro que na atual situação que o Brasil hoje está passando o Judiciário fique quietinho e deixe o povo trabalhar para poder pagar os seus impostos e pagar essa corja e parasitas que são o judiciário.

  6. Clovis Antunes
    sexta-feira, 17 de abril de 2020 – 23:04 hs

    Boa hora para reduzir o número de municípios, para reduzir em 50%os salários do MP e dos demais poderes….organização

  7. SERGIO SILVESTRE
    domingo, 19 de abril de 2020 – 15:46 hs

    Uma boa chance de se livrar de uns idiotas,se os 36% que apoia o Bozo ir para as ruas e se infectar uns 2 milhões vão bater com as 10,quem sabe esses idiotas depois mudam de ideia.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*