Governadores do Sul e Sudeste pedem ajuda urgente a Bolsonaro | Fábio Campana

Governadores do Sul e Sudeste pedem ajuda urgente a Bolsonaro


Os sete governadores dos Estados do Sul e Sudeste se reuniriam nesta manhã para elaborar um documento com pedidos de ações urgentes ao Governo Federal. Dentre as solicitações estão a suspensão dos pagamentos das dívidas com a União por 12 meses; recomposição de perdas de outras receitas especialmente pelo ICMS; a prorrogação do prazo final dos precatórios por 12 meses com retorno progressivo dos pagamentos das dívidas dos Estados; suspensão dos pagamentos mensais do PASEP ou a quitação deste tributo por meio de gastos com a saúde; e que a União se responsabilize pelos pagamentos a organismos internacionais, como o Banco Mundial e o Banco Internacional de Desenvolvimento.

A carta será enviada no início da tarde de hoje, segundo anunciou o governador de São Paulo João Doria (PSDB), ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ao ministro da Economia Paulo Guedes. Doria pediu que o Governo Federal tenha “um olhar proporcional e correto” para esses Estados, que são, até o momento, os que mais contabilizam confirmações e mortes pela Covid-19.


4 comentários

  1. Janio Mota
    quinta-feira, 2 de abril de 2020 – 17:14 hs

    Como assim? Os governadores modinha, que mandaram fechar tudo, agora reclamam ao governo federal dizendo que a arrecadação caiu assustadoramente? Ora senhores, resolvam o problema que criaram. Continuem com comércio, indústria e serviços fechados e vão se queixar ao bispo!

  2. Moisés Fróes
    quinta-feira, 2 de abril de 2020 – 19:09 hs

    Peçam ao Doria de SP.

  3. marcio
    sexta-feira, 3 de abril de 2020 – 10:34 hs

    Interessante, proibiram o comércio e a indústria e depois reclamam que caiu a arrecadação.

  4. Fernando
    sábado, 4 de abril de 2020 – 12:05 hs

    Deve ser brincadeira !!!
    Dão calote na União e pedem à União reposição de perdas pelo que criaram ?
    Fechem as fábricas, o comércio, as escolas…tudo !
    Depois a União prorrogará os pagamentos das parcelas dos empréstimos próprios, com o BNDES, BANCO MUNDUAL, oriundos da péssima gerência e “inchação” da máquina pública que promovemos nestes longos anos de gestão.
    Se eu fosse presidente, não abriria mão. Isto não é casa da viúva… político é interessante… não tem limites… são até obscenos.
    Vejam o Rio de Janeiro…retrato da incompetência, ladroagem e desfaçatez…nunca pagou qualquer parcela da empréstimo com a União, qquer problema de segurança, vai Exército, Força Nacional…na faixa…e agora quer um adiantamento por conta do vírus !!!
    Tenham dó…
    Tá na hora de rever nossos conceitos de políticos.. já que devem existir, vamos tentar votar em quem pelo menos demonstre ter vergonha na cara…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*