Não reconhecida | Fábio Campana

Não reconhecida


Na viagem de volta de Paris, Dilma Rousseff estava na classe executiva, distante dos mortais e não foi incomodada. No voo de trecho São Paulo-Porto Alegre, em avião de carreira, sentou-se nas primeiras filas, usou um lenço e sobreviveu: escapou de agressões porque não foi reconhecida.


3 comentários

  1. Fernando
    terça-feira, 10 de março de 2020 – 1:29 hs

    Juiz que comete qualquer crime é aposentado compulsoriamente.
    Deputado e senador só respondem processos e são condenados com autorização do congresso… só cai quem realmente não interessa politicamente.
    Os do executivo, nomeiam e controlam orçamentos de todos os tribunais e poderes, MP… já viram folha do legislativo, judiciário e MP atrasar ? Ou ter uma solicitação de reajuste superior a inflação negada ?
    No caso da nossa ex-presidenta, seria igual como qualquer outro político na mesma posição…o problema não é a pessoa é o modus operandi…tudo igual…
    Nunca vi alguém sofrer impichment, manter staff, regalias sem dar qualquer satisfação à ninguém. Viajar o mundo fazendo propaganda política pessoal com nosso dinheiro ?
    E o presidiário então ?
    É assim mesmo…pague e se cale !!!

  2. NÃO VOTE EM QUEM JÁ FOI
    terça-feira, 10 de março de 2020 – 10:52 hs

    Anta tem que viver escondida mesmo.

  3. SERGIO SILVESTRE
    quarta-feira, 11 de março de 2020 – 12:59 hs

    Não deve ter aberto a boca em nenhum instante. Senão seria reconhecida pelas merdas que pronuncia! Não fosse tão obtusa, estaíiamos no poder até hoje.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*