Requião Filho quer saber sobre inspeções do SAS  | Fábio Campana

Requião Filho quer saber sobre inspeções do SAS 

Preocupado com a situação de servidores do interior do Estado que não estão conseguindo realizar perícias médicas pelo SAS – Sistema de Assistência à Saúde, o deputado Requião Filho (MDB) encaminhou hoje um requerimento solicitando explicações ao Governo do Estado sobre estes transtornos.

Conforme as denúncias, algumas juntas de inspeção do estariam fechadas em razão de concessão de férias ou atestados médicos aos peritos, sem a substituição destes profissionais.

“Para quem ficou doente no fim de dezembro ou no início de janeiro, por exemplo, e necessitou afastamento do serviço público, em ao menos sete juntas de inspeção no Estado, teve que se deslocar para municípios distantes e enfrentar uma série de aborrecimentos e dificuldades para tentar atendimento. Isso não pode ser assim, esse descaso é injustificável. Há muitas reclamações todas as semanas e queremos saber qual o planejamento do Executivo para suprir estas falhas. O servidor não deve pagar pela incompetência do Estado”, questionou o parlamentar.


9 comentários

  1. Intruso
    quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020 – 14:43 hs

    Parabéns Deputado Requião filho pelo seu espírito de ser humano. O servidor do executivo não recebe auxílio saúde, nem alimentação. Ao passo que no Judiciário e TCE e outras intituições ganham até auxílio creche.. Poq tanta distorção???

  2. Rosa Minghini Néia
    quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020 – 22:33 hs

    Exmo Sr. Dep. Requião Filho. Gostaríamos que o SAS volte a respeitar as dores dos seus conveniados COMO ANTES. Íamos ao escritório do SAS e marcávamos as nossas consultas necessárias.e tudo bem,. Hoje, você pode estar no escritório do SAS, que no caso eu moro em outra cidade, as secretárias são orientadas a NÃO marcar ali . Eu tenho que voltar pra casa e aí tentar marcar através do telefone que cham! chama! e… Penso que você Sr. deputado REQUIÃO FILHO, poderá interceder e fazer algo para facilitar que sejamos atendidas com mais eficiência e respeito., Obrigada.!

  3. Francisco
    quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020 – 9:31 hs

    É uma vergonha servidores terem que viajar mais de 300 quilômetros para fazer uma Perícia Médica, principalmente neste período de epidemia de Dengue quando a pessoa está com esta doença e tem que se deslocar para outros centros maiores por falta de profissionais.

  4. Jose
    quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020 – 10:33 hs

    o SAS, está falido, a que ponto chegamos, isso já faz muitos anos, estou aguardando uma cirurgia a mais de 6 meses, consultas tem que se deslocar a Londrina, fica mais caro o gasto o transporte do que a consulta particular.

  5. Rogério
    quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020 – 10:49 hs

    Estes políticos estão mais preocupados em se locupletar com verbas públicas, não estão nem aí pra funcionários públicos, pois não estavam querendo aprovar uma lei criando diária pra políticos que estiverem em seu domicílio, já não chega uma penca de privilégios, mais este tapa na cara do povo paranaense

  6. Junior
    quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020 – 10:54 hs

    Eu desisti do SAS há muito tempo!!
    É um lixo!
    Sacrifico uma parte considerável do que ganho, através do plano privado do meu Sindicato, para ter atendimento médico.
    Assim como eu, todos os que tem condições ou mesmo a custa de muito sacrifício, pagam convênio médico privado para não passarem pelas humilhações e total desorganização do SAS e, pior, pelo que parece, não há qualquer tipo de fiscalização quanto aos atendimentos realizados.
    Se uma grande parte dos servidores paga convênio privado ou recorre ao SUS, não parece razoável presumir que os lucros do SAS devem ter aumentado exatamente enquanto a qualidade do serviço foi caindo.
    Muito mais que um deputado, os servidores precisam do apoio de todos os deputados! Mas, principalmente de uma ampla investigação do Ministério Público, Tribunal de Contas e todos os Órgão pertinentes que possam dar uma resposta do porquê do caos em que se transformou o atendimento à saúde do servidor público do Estado do Paraná.
    No site da SEAD até há um link sobre o SAS (http://www.administracao.pr.gov.br/SAS) que me faz perguntar porque o Estado, em atendimento ao Princípio da Transparência, não divulga ali a quantidade de atendimento e os valores referente às despesas e a quem foram pagos para que todos possamos entender porque está tão ruim o atendimento!!
    No momento, apesar de nunca ter sido fã do clã Requião, que sempre me pareceu extremamente arrogante, sou obrigado a reconhecer que o jovem Deputado Requião Filho merece ser exaltado!
    Com tantos deputados oriundos do serviço público na Assembléia, notadamente de forças policiais, é digno dos mais altos elogios, o comportamento de quem, mesmo não sendo da classe, percebe o desmando que, certamente por receberem assistência médica da casa legislativa, não tem incomodado os legisladores paranaenses soldados, delegados, professores, subtenente, coronel etc..

    Parabéns Requião Filho!

  7. Juliano de Bastos Dallalibera
    quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020 – 14:39 hs

    Queria que o nobre deputado cobrasse do governo uma regulamentação a respeito de nossas licenças especiais vencidas que foram extintas, bem como sobre o nosso PDE dos professores que se encontram parados.

  8. o grande mestre.
    sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020 – 1:06 hs

    se todos é funcionario publico,todos deveria ter os mesmos direitos. Brasil é Brasil e não tem jeito não,o povo já não acredita mais em ninguém.noventa por cento do povo é corrupto,menos os politico que são cidadaõs honestos,trabalhadores,honrados,prestativos de confiaças etc.Nossos politicos não tem defeito e sim qualidade e pessoas de bem,nunca errei meu voto,porque confio nos nossos representantes,porque sei que eles são o espelho de nosso povo.

  9. Maria Neiva de Araújo Maftum
    sábado, 22 de fevereiro de 2020 – 9:57 hs

    Nobre deputado, estamos a mercê de um descaso escabroso nos últimos governos que temos no Paraná.Não temos a mínima consideração.A que ponto chegamos, nós professores que tanto demos de nós pela educação que hoje se encontra relegada a meros espantalhos sem o menor respeito, nem ao menos pela nossa própria saúde!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*