Mudar o Lacen pode comprometer diagnóstico de doenças, diz Requião | Fábio Campana

Mudar o Lacen pode comprometer diagnóstico de doenças, diz Requião

Por: Assessoria Gabinete Requião Filho

O endereço é nobre e de relevância memorável para a capital paranaense. Impossível não se impressionar com a beleza do prédio, que abriga a Unidade do LACEN no Alto da XV, em Curitiba. Sua fachada centenária, muito embora não seja tombada pelo patrimônio histórico, é inclusive utilizada como imagem no selo impresso do Laboratório Central do Estado do Paraná. Com salas dedicadas a Divisão de Laboratórios, Vigilância Sanitária e Ambiental, o local têm realizado importantes trabalhos para pesquisa microbiológica da qualidade de alimentos, detecção de contaminações, bactérias e vírus. Só no ano passado realizou centenas de análises em amostras de alimentos e identificou inúmeros casos de salmonella em carnes presentes nas gôndolas dos supermercados paranaenses.

No entanto, informações recebidas por alguns funcionários nos últimos meses dão conta de que a Unidade pode ser fechada e transferida para outra sede, sem a estrutura física adequada para a continuidade dos trabalhos. Preocupado com uma possível ameaça de comprometimento no resultado das pesquisas realizadas pelo LACEN, o Deputado Requião Filho (MDB) acolheu a denúncia e protocolou um pedido de informações à Secretaria de Estado da Saúde, no final de 2019, questionando as intenções do Governo a esse respeito.

A resposta assinada pela Diretora do Lacen/PR, Célia Fagundes da Cruz, chegou esta semana confirmando o interesse do Governo em efetuar a transferência para a Unidade do Guatupê, em São José dos Pinhais. Entretanto, afirma que a reforma da estrutura para receber as Seções do Alto da XV ainda não está concluída e não tem previsão para isso. Motivo de preocupação para os funcionários que prezam pela qualidade do trabalho realizado pelo laboratório e temem pelo comprometimento de resultados se transferido às pressas para o novo endereço de forma improvisada, mesmo que temporário.

Segundo eles, há pelo menos cinco anos é prometido pelo Governo uma ampliação no Guatupê para abrigar as unidades que serão transferidas. As obras chegaram a ser anunciadas, mas nunca foram realizadas. Teve apenas a pedra fundamental inaugurada nas comemorações dos 120 anos do LACEN, mas o projeto da nova estrutura ficou só no papel.

Inaugurada no Governo Requião, em 2005, a unidade do Guatupê é a responsável por seções ligadas a virologia, bacteriologia e imunologia, como a que identificou o crescimento expressivo no número da dengue no Estado, que só no último ano teve mais de 18 mil casos confirmados, contra 880 no ano anterior. Ou ainda, será a que pode vir a identificar casos do coronavírus, que ainda não chegou no Brasil, mas tem deixado o mundo em alerta. Entretanto, neste momento, o local não tem como a receber mais esta demanda de trabalhos, sem a reforma tão esperada, com sistema de ar condicionado específico ou estrutura para o resfriamento do maquinário de forma adequada.


Um comentário

  1. SERGIO SILVESTRE
    quarta-feira, 29 de janeiro de 2020 – 14:54 hs

    Esse é dos meus, filho do homem forte que apoiado por Lula será o presidente do Brasil.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*