Paraná vai receber R$ 21,4 milhões para cadastrar pacientes do SUS | Fábio Campana

Paraná vai receber R$ 21,4 milhões para cadastrar pacientes do SUS

As 399 cidades do Paraná vão receber R$ 21,4 milhões para cadastrar os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde). O dinheiro é do Ministério da Saúde e as 45 cidades da mesorregião do Norte Pioneiro, base de atuação do deputado Romanelli (PSB), vão receber R$ 1.437.370,97 para as 160 equipes de saúde da família da região. No total, o estado tem 2.405 equipes.

As principais cidades do Paraná – com maior número de equipes – receberão os maiores montantes: Curitiba (198 equipes – R$ 176,7 mil), Londrina e Maringá (79 equipes cada – R$ 705,2 mil cada), Ponta Grossa ( 78 equipes – R$ 696,3 mil), Cascavel e Clevelândia ( 49 equipes cada – R$ 437,4 mil), Apucarana (43 equipes – R$ 383,8 mil), Foz do Iguaçu (40 equipes – R$ 357,1 mil), São José dos Pinhais (R$ 348,1 mil) e Guarapuava (33 equipes – R$ 294,6 mil).

Das cidades da região de Romanelli, Ibaiti (15 equipes) vai receber R$ 133,9 mil, Cornélio Procópio e Santo Antônio da Platina (11 equipes cada – R$ 98,2 mil) e Jacarezinho (R$ 89,2 mil). “Serão R$ 8,9 mil para cada uma das equipes de saúde da família formadas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários que atendem a população nos serviços de saúde da atenção primária – área que cuida dos problemas mais frequentes de saúde como diabetes e hipertensão, através de consultas médicas, exames e vacinação”, diz Romanelli.

Em nota, o Ministério de Saúde diz que os repasses fazem parte do programa “Previne Brasil” com uma nova proposta de financiamento da atenção Primária. Agora, consultas médicas e exames garantirão mais recursos federais. Assim, os serviços de saúde que acompanharem o dia a dia da saúde das pessoas, com consultas regulares e exames, prevenindo doenças ou evitando complicações, serão recompensados.

Um dos novos critérios de financiamento leva em consideração o número de pessoas cadastradas nos serviços de saúde para definir o valor de recursos a ser repassado às secretarias de saúde municipais. Ou seja, quanto mais pacientes acompanhados, mais recursos para os municípios. O objetivo é incluir mais 50 milhões de brasileiros no SUS, com acompanhamento regular da saúde.

Mais saúde
Atualmente, cerca de 90 milhões de pessoas estão cadastradas nos serviços da atenção primária. A meta, a partir do cadastramento da população, é chegar a cerca de 140 milhões de pacientes vinculados à uma equipe de saúde. E, assim, aumentar o número de pessoas acompanhadas nos serviços de saúde, principalmente quem recebe benefícios sociais, crianças e idosos.

Antes, o cadastro dos pacientes no Sistema de Informação em Saúde da Atenção Básica já era uma atribuição dos gestores e dos profissionais de saúde. A novidade é que agora o registro passou a ser um dos critérios para pagamento das equipes de saúde, recursos que vão para a conta dos municípios. E, para facilitar, o cadastro também poderá ser feito pelo CPF do paciente e não apenas pelo Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS).

Esse cadastro pode ser feito nas unidades de saúde ou mesmo durante as visitas domiciliares pelas Equipes de Saúde da Família (ESF), Equipes de Atenção Primária e Agentes Comunitários de Saúde até abril do próximo ano. Isso porque, o primeiro pagamento levando em consideração esse critério, começará a ser feito a partir de maio de 2020.

Os outros dois critérios utilizados para definição dos recursos são: melhora das condições de saúde da população, como impedir o agravamento de doenças crônicas como diabetes e redução de mortes de crianças e mães; e ainda a adesão a programas estratégicos, como o Conecte SUS, para informatização dos serviços, e Saúde na Hora, que amplia o horário de atendimento à população com abertura das unidades durante o almoço, à noite ou aos fins de semana. Desta forma, o Governo do Brasil vai distribuir R$ 2 mlhões a mais no próximo ano para os municípios que melhorarem a saúde dos brasileiros.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*