Ex-presidente da Câmara de Brasilândia do Sul tem bens bloqueados | Fábio Campana

Ex-presidente da Câmara de Brasilândia do Sul tem bens bloqueados

do MP-PR

O Juízo da comarca de Alto Piquiri, no Noroeste paranaense, determinou liminarmente o bloqueio de bens, no valor de R$ 19.933,40, do ex-presidente (na gestão 2013-2014) da Câmara Municipal de Brasilândia do Sul (município da comarca) e de uma servidora da casa. Ambos são requeridos em ação civil pública por ato de improbidade ajuizada pela Promotoria de Justiça de Alto Piquiri.

De acordo com a ação, em 2013, o então presidente da Câmara de Brasilândia do Sul, a pedido da servidora, aprovou a contratação pela Casa de uma empresa para prestar serviços de contabilidade que deveriam ser realizados ordinariamente pela servidora.

Na análise do mérito da ação, o MPPR pede a condenação dos agentes públicos às sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa, como perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, ressarcimento integral dos prejuízos causados e pagamento de multa.


Um comentário

  1. NILSO ROMEU SGUAREZI
    segunda-feira, 2 de dezembro de 2019 – 22:09 hs

    Como disse um amigo meu “A CORRUPÇÃO SEMPRE EXISTIU, MAS ANTES ERA ARTESANAL. NA ERA PT VIROU VERDADEIRA LINHA DE MONTAGEM”. Brasilândia um dos 32 municípios que tem menos de três mil eleitores, passa a ser manchete pela corrupção, o que evidentemente deixa seus 2.719 habitantes se perguntando “ONDE FOI QUE NOS ERRAMOS?”
    Errado mesmo foram os Deputados Estaduais e Governadores que aprovaram estes municípios inviáveis como revelam os números. Existem 102 municípios com menos de 5,000 (cinco mil) habitantes e 200 (duzentos) com menos de 10.000 (dez mil). Olhem o que diz o artigo 29 da CF, que municípios com menos de 15 mil habitantes, podem ter um máximo de até 9(nove) vereadores. Repito: UM MAXIMO DE ATÉ 9 VEREADORES.
    Alias dos 5.570 municípios brasileiros, temos nada mais nada menos que 3.260 com menos de quinze mil habitantes, Dou um doce se alguém descobrir um só município brasileiro com menos do máximo dos nove.

    Evidente de que não serão os politicos a mudarem isso, apesar de honrosas propostas neste sentido.
    Mas uma CONSTITUINTE EXCLUSIVA, poderia terminar com dezenas de milhares de vereadores e como o dinheiro que os paga vem dos recursos municipais, estaríamos começando a REVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO, ao invés de 9 vereadores, poderíamos ter apenas 3 ou 5, com a contratação de PROFESSORES E MÉDICOS.

    Combateríamos a corrupção e melhoraríamos a educação e saúde.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*