Bode expiatório | Fábio Campana

Bode expiatório


Lula virou bode expiatório na Justiça. Num julgamento onde a juíza Gabriela Hardt teve sua imagem devidamente reabilitada pelo TRF-4, o procurador Maurício Gerum decidiu acrescentar nova acusação ao ex-presidente Lula. Ele seria culpado – quem diria – pelo “grave desequilíbrio político que permite que hoje se chegue ao cúmulo de se dar alguma atenção a ideias terraplanistas”. Ainda Lula: no próximo julgamento do ex-presidente em primeira instância, em Curitiba, envolvendo a compra de um terreno para o Instituto Lula, o juiz será Luis Antônio Bonat.

Condenando a mais 17 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula terá somadas as penas de ambos os casos para definir progressão de regime. O cálculo de cumprimento de um sexto da pena será 25 anos, 11 meses e 10 dias de prisão. Ele terá direito a dois recursos protelatórios, mas não será admitida produção de provas: a sentença está definida.


4 comentários

  1. Aprigio Fonseca
    sexta-feira, 29 de novembro de 2019 – 20:25 hs

    Até o Lula morrer vai ser assim,

  2. Larry de Camargo Vianna Nascim
    sábado, 30 de novembro de 2019 – 8:09 hs

    Este vadio tem que apodrecer na cadeia

  3. NÃO VOTE EM QUEM JÁ FOI
    sábado, 30 de novembro de 2019 – 23:07 hs

    A figura do Lula me lembra uma carniça em adiantado estado de putrefação.

  4. domingo, 1 de dezembro de 2019 – 11:23 hs

    Vai Cortar uma Grama Molhada vai,,,Caracas Pare de Encher o Saco;;;;;;;;

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*