A cruzada de Hauly pela reforma tributária | Fábio Campana

A cruzada de Hauly pela reforma tributária

O ex-deputado Luiz Carlos Hauly, autor da reforma tributária que tramita no Senado, já deu cerca de 243 palestras sobre o tema e mais de 700 reuniões técnicas em quase três anos. É o período que ele tem trabalhado no projeto. As informações são da Coluna Radar, da VEJA.


6 comentários

  1. luis
    quinta-feira, 31 de outubro de 2019 – 16:08 hs

    Cobrar mais dos ricos e menos dos pobres, conta outra Hauly!!!

  2. johan
    quinta-feira, 31 de outubro de 2019 – 23:18 hs

    Caro Fábio, o Hauli como o Hauli Filho, não foram eleitos. Ele está trabalhando de graça na Câmara Federal. Inacreditável. Encontrou uma boquinha no Congresso. Naquele ambiente sempre existe espaço para mais um. Atenciosamente.

  3. sexta-feira, 1 de novembro de 2019 – 10:25 hs

    Ops, Agora ganha para prefeito de LONDRINA.

  4. Luiz
    sexta-feira, 1 de novembro de 2019 – 17:50 hs

    Que triste o sentimento de pessoas como este fake Johan acima. Apenas para estabelecer a verdade caro Fábio, hoje estamos pagando para ir a Brasília e rodar o país para propagar a melhor proposta de reforma tributária: a reengenharia tecnológica tributária, solidária e fraterna.
    Forte abs

  5. Parreiras Rodrigues
    sábado, 2 de novembro de 2019 – 18:42 hs

    O ex-deputado Luiz Carlos Hauly é político-exemplo paranaense.É discreto. Apontem-me quem sabe mais que política tributária do que ele. E de quem conhece mais previdência que o Reinhold Stephanes.

  6. Entendido
    sábado, 2 de novembro de 2019 – 20:00 hs

    Meu caros leitores.
    Em muitas nações sérias o imposto é calculado e debitado na conta bancária dos contribas. E quem não gostar é convidado a ceder sua credencial a outro contribuinte. Não tem chorumelas nem lenga lengas. E isso ocorre com fundamento visto q o ônus do imposto é arcado pelo consumidor. Então não há como haver reclamação.
    Custo de arrecadação praticamente ZERO. Ninguém se utiliza do sistema tributário para se locupletar..
    Ainda, em outras nações desenvolvidas o fisco não multa a empresa (q é considerada de utilidade pública social) e sim multa o seu gestor (por concluir q ele faz mal uso dela). E rapidamente o gestor pede o comando dela. Na Dinamarca p. exemplo a grande maioria das empresas são centenárias.. Devemos caminhar nesse sentido.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*