Pergunta que não quer calar | Fábio Campana

Pergunta que não quer calar

Por que o Governo do Paraná manteve a JMK como gestora da frota de 17 mil veículos após a Secretaria Estadual de Administração e Previdência (SEAP) ter recebido 400 protocolos de irregularidades dos órgãos públicos usuários dos serviços, desde 2015, e ainda realizou seis aditivos contratuais? É o questionamento do presidente da CPI da JMK da Assembleia Legislativa, deputado estadual Soldado Fruet (PROS), após a Comissão Parlamentar de Inquérito interrogar, nesta terça-feira (10), gestores de frotas da Polícia Civil e da Secretaria Estadual da Saúde (SESA).

Os depoentes relataram várias irregularidades cometidas pela JMK desde o início do contrato, em 2015, como faturamento de serviços não executados, direcionamento para um número reduzido de oficinas, adulteração de orçamentos – através da instalação de peças alternativas cobradas como se fossem originais, e superfaturamento. “A CPI está apurando estes fatos para verificar de quem foi a responsabilidade pelas práticas irregulares e se houve cometimento de algum crime, para mostrar uma nova modalidade de gestão de frota para o governo”, disse o Soldado Fruet.


4 comentários

  1. kalil Aziz
    terça-feira, 10 de setembro de 2019 – 16:45 hs

    Fácil responder. Por que receberam verbas para campanha!
    Só perguntar para o Mágno e para o Gevert!

  2. terça-feira, 10 de setembro de 2019 – 18:25 hs

    Nao entendi ate agora o por que ???? de empresa gestora da frota do Estado, no caso JMK. Sera que dentro da estrutura do governo nao tenha ninguem que tenha a capacidade de administrar a frota do Estado. Ainda me pergunto como era feito antes? Qual foi a justificativa para admitir terceirizada , para que? Os custos de manutencao da frota para o Governo Estadual abaixaram nesta modalidade? Vai Soldado Fruet acabe com a brincadeira.

  3. Joâo Armindo
    quarta-feira, 11 de setembro de 2019 – 15:30 hs

    Quer entender isso, Deputado?
    Pois então verifique a gestão 2004 a 2010, DETO…As Oficinas…
    Verifique a gestão 2012 a 2015…DETO…Oficinas, preços superfaturado e vejam quem era o galego q ficava encostado lá no DETO.
    2004 a 2008 a SEOGE auditou e investigou os contratos e as oficinas…

  4. Joâo Armindo
    quarta-feira, 11 de setembro de 2019 – 15:32 hs

    DETO, um grande negócio!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*