Moro pode sair do governo caso perca o controle da PF | Fábio Campana

Moro pode sair do governo caso perca o controle da PF

Guilherme Amado, Época

Embora tenha topado amaciar o presidente aqui e ali no Twitter, em lives do Facebook e até publicamente, Sergio Moro ainda não se sente entre os seus. Quase não tem interlocutores no governo. Conversa com poucos na Esplanada, entre eles Paulo Guedes e Eduardo Villas Bôas. Com o restante, a relação é protocolar. Sente-se especialmente desconfortável com o linguajar de Bolsonaro sobre uma série de assuntos. Mas, até semanas atrás, tudo parecia valer a pena em nome de colocar de pé, agora no Executivo, estruturas eficazes no combate à corrupção.

Em nome de avançar numa agenda dura de repressão ao crime de colarinho branco, valeria ignorar as frases grosseiras de Bolsonaro, muitas vezes ditas a seu lado, os escândalos do PSL e do gabinete de Flávio Bolsonaro, a bizarrice cometida pelos ministros da selva olavista. Uma cadeira no Supremo Tribunal Federal seria consequência de um bom trabalho no Ministério da Justiça. Mas tudo mudou. Em seu nono mês como ministro, Moro está exaurido. E, segundo pessoas de sua confiança, decidido: se uma canetada de Bolsonaro tirar Maurício Valeixo da direção-geral da Polícia Federal (PF) e não colocar em seu lugar alguém da confiança de Moro, o ministro deixará o governo.

A insatisfação de Bolsonaro com Moro começou quando o presidente, em 26 de maio, no domingo em que convocou a população para ir às ruas defender seu governo, deparou com um boneco inflável do Super-Moro, em Brasília. Ninguém se lembrou do Super-Bolsonaro. Aliás, não havia nem um chaveirinho de lembrança com o rosto do Mito. As pesquisas, que Bolsonaro diz menosprezar, deixaram-no ainda mais enciumado. Moro era e ainda é bem mais popular que ele.

Quando veio a Vaza Jato, Bolsonaro comentou com um de seus filhos que aquilo tinha um lado positivo para ele, pois Moro agora dependeria mais do Planalto, o que, de certa maneira, é verdade. Um ministro da Justiça que nunca teve de se explicar agora precisaria do governo para defendê-lo. Mas a fritura de Moro começou bem antes.

(Atualização às 18:35 de 12 de setembro: Moro escreveu à coluna dizendo que se trata de “especulação de terceiros” a possibilidade de sua saída. A coluna mantém a informação de que Moro afirmou a interlocutores sua disposição de sair do governo caso perca o controle da PF).


7 comentários

  1. Palpiteiro
    sexta-feira, 13 de setembro de 2019 – 9:42 hs

    Ótimo. Vai pra Harvard que é seu lugar ad perpetuam rei memoriam…

  2. Roberto bechetto
    sexta-feira, 13 de setembro de 2019 – 10:11 hs

    Famiglia Bolsonaro traindo Moro e perdendo muito apoio.

  3. Prolixo
    sexta-feira, 13 de setembro de 2019 – 10:29 hs

    Realmente é pouco mais difícil doutrinar mais de 900 mil policiais, do que uns 12 a 15 funcionários de uma vara judicial..
    Acho q ele nem sabe onde se meteu..

  4. Veredicto
    sexta-feira, 13 de setembro de 2019 – 11:37 hs

    Este “pega” entre os dois vai mostrar o rumo que Bolsonaro quer para o Brasil. Não se pode colocar em dúvida a capacidade de Sergio Moro na sua área de atuação. Entretanto, em se falando de Bolsonaro já precisamos pensar duas vezes pois guinada na sua vida política foi muito grande e, cá para nós, teve um choque cultural e de responsabilidade muito grande, o que colocou o presidente em choque com ele mesmo. Cada um de nós sabemos até aonde podemos chegar com nossos pés e até aonde podemos chegar se tivermos a ajuda de bons parceiros e, no caso de um líder como Bolsonaro, bons e confiáveis assessores. Um confronto entre Bolsonaro e Moro perde o presidente e perde o país, pois seria tudo o que a oposição e os “camaradas vermelhos” estão esperando. Refletir antes de agir é uma boa receita. Nossos filhos devem receber nosso apoio quando acertar e nossa crítica quando erram. Mas antes de tudo tem uma nação com mais de 200 milhões de pessoas buscando vida melhor.O presidente pensaria assim? E se Sergio Moro decidir exerceu seu direito e tentar a presidência, já pensaram nisso?

  5. Mustafah
    sexta-feira, 13 de setembro de 2019 – 19:33 hs

    Deixa o ministério e volta ao Planalto como Presidente da República, aliás nesta Província autofagica, paraíso da inveja e do recalque, gostem ou não , o Ministro Moro foi o único que conseguiu colocar a cabeça acima da linha d’agua, com seu trabalho e hoje e um cidadão não só do Paraná mas do Brasil e dos brasileiros

  6. bs
    sexta-feira, 13 de setembro de 2019 – 21:10 hs

    Achou que o Bolsomito iria dar carta branca, mas na verdade esta sendo desgastado aos poucos e logo ninguém mais se lembra que ele foi Juiz,

  7. sábado, 14 de setembro de 2019 – 11:11 hs

    A inveja maltrata, além de ser uma moléstia. Um futuro almejado nem sempre está só em nossas mãos para ser alcançado. O que disseram “Veredicto” e “Mustafah” é uma verdade que expõe a vilania do despreparo à determinadas funções a rigor em se tratando de chefes de Estado…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*