Investigações contra Richa sobrecarregam Deltan | Fábio Campana

Investigações contra Richa sobrecarregam Deltan

Radar, VEJA

Procuradores de Curitiba pediram ao juiz Luiz Antônio Bonat, da 13ª Vara Federal, mais prazo para analisar a transferência do advogado luso-brasileiro Leonardo José Muniz de Almeida para Portugal. Ele é investigado por operar para o MDB.

O motivo, afirmam, é a sobrecarga de trabalho.

No documento é assinado por Deltan Dallagnol, Antonio Carlos Welter, Alexandre Jabur e Felipe D’Elia Camargo, os procuradores dizem que o excesso foi trabalho foi provocado pelos desdobramentos da Lava-Jato, como as operações Piloto e Integração, que investigam o ex-governador Beto Richa.


6 comentários

  1. Aprigio Fonseca
    terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 23:00 hs

    Mentira,ele tem tempo até para fazer palestras,corpo mole mesmo.

  2. Edson Luiz
    quarta-feira, 18 de setembro de 2019 – 8:23 hs

    Fico imaginando se o ex-governador fosse do PT se haveria cansaço na investigação!?
    Deve dar muito trabalho mesmo investigar membros de partidos que não do PT (não que aqui não haja muitos casos) pelo volume de casos de corrupção e pelas manobras múltiplas para a não ação penal correspondente.
    Essa ação coordenada de perseguição escancarrada a corrupção só do PT não pode mais ter espaço. Passou da hora de outros partidos serem investigados, denunciados e condenados.

  3. Roberto bechetto
    quarta-feira, 18 de setembro de 2019 – 8:54 hs

    Numa operação de tamanha magnitude não é só juntar papéis ao processo, tem de levantar outros dados como planilhas eoutros procedimentos tão importantes e complexos.

  4. Jose lll
    quarta-feira, 18 de setembro de 2019 – 12:01 hs

    …..E contra o PT….será que o alivia.

  5. luis
    quarta-feira, 18 de setembro de 2019 – 13:09 hs

    Continuam passando recibo para a história!

  6. Palpiteiro
    quinta-feira, 19 de setembro de 2019 – 10:25 hs

    Que pena. Adeus ao rico dinheirinho das palestras e os escorregadores do Beach Park.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*