Estudantes do Paraná repudiam "Escola sem Partido" | Fábio Campana

Estudantes do Paraná repudiam “Escola sem Partido”

O 47º congresso da UPE (União Paranaense dos Estudantes) aprovou neste final de semana, em Curitiba, uma moção de repúdio ao projeto de lei “escola sem partido” que pode ser votado nesta segunda-feira, 16, na Assembleia Legislativa. Os estudantes classificam o projeto como “nefasto” e afirmam que a votação foi suspensa no Paraná graças intervenção de “poucos e aguerridos deputados com o apoio dos movimentos sociais”, diz a moção proposta pela Juventude do PSB aprovada no encontro dos estudantes universitários.

Os estudantes afirmam que na Constituição, no artigo 206, diz o inciso primeiro que o ensino será ministrado com base na “liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.” Já o inciso segundo prevê “pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino”. O inciso quarto determina: “gestão democrática de ensino público na forma da lei e a garantia de padrão de qualidade”, afirma o documento.

“A luta do movimento estudantil sempre será a da garantia da democracia, do respeito a pluralidade e diversidade, do ensino de qualidade, público e universal. O retrocesso das forças reacionárias e conservadoras, sustentado num moralismo de uma minoria poderosa não irá nos calar. Nosso repúdio à lei da mordaça”, completa a nota.

Leia a seguir a íntegra do documento

Moção escola sem partido

O parlamento paranaense passa mais uma vez a debater o maldito projeto “escola sem partido”.

Repete o erro de outros estados e diversos municípios. Isso porque a competência para tal assunto é da União, com um precedente sobre o tema no STF.
Na onda de trevas que ataca direitos de estudantes, trabalhadores e mais vulneráveis visam calar professores para tornar os alunos reféns de uma única visão de mundo.

Sabemos do projeto nefasto que desde 2016, com sua gênese já nas eleições de 2014, governa nosso país, com reflexos em estados e municípios, nos poderes legislativo, executivo e judiciário.

Aqui no Paraná, desde 2015 o projeto é apresentado e barrado por poucos e aguerridos deputados na Assembleia Legislativa, com o apoio dos movimentos sociais.

Esses deputados se sustentam na nossa Constituição Cidadã de 1988, no artigo 206, diz o inciso primeiro que o ensino será ministrado com base na “liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.” Já o inciso segundo prevê “pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino”. O inciso quarto determina: “gestão democrática de ensino público na forma da lei e a garantia de padrão de qualidade”.

Já os favoráveis ao projeto partem de falsas premissas, não conhecem os reais problemas da educação – acreditam que uma placa em sala de aula vai transformar a educação e formar uma sociedade de visão única, que nem eles, falsos moralistas, seguem.

A luta do movimento estudantil sempre será a da garantia da democracia, do respeito a pluralidade e diversidade, do ensino de qualidade, público e universal.

O retrocesso das forças reacionárias e conservadoras, sustentado num moralismo de uma minoria poderosa não irá nos calar.

Nosso repúdio à lei da mordaça.

NÃO PASSARÃO!

Curitiba, 14 de setembro de 2019.


10 comentários

  1. Moisés Fróes
    segunda-feira, 16 de setembro de 2019 – 15:23 hs

    Todos esquerdistas. Querem acabar com a família brasileira. São pau -mandados. Vão pra Cuba que os pariu. Mudem pra lá

  2. valdir bassai
    segunda-feira, 16 de setembro de 2019 – 16:15 hs

    Só comunas querendo doutrinação da criançada nas escolas.
    Escola sem partido sim , escola é local de aprender ler escrever, aprender a fazer uma redação, interpretar texto, tem tanta coisa para aprender e os caras querem ensinar o quê.
    Ah tem que ensinar a não respeitar os professores, ensinar a rebolar e por ai vai.

    Senhores Pai e Mãe fiquem de olho no que seus filhos estão aprendendo nas escolas.

  3. Gladiador
    segunda-feira, 16 de setembro de 2019 – 17:17 hs

    Quero ver publicados os nomes dos deputados aguerridos. Inclusive tem que ser voto aberto, para sabermos quem sao os que querem impor aos nossos filhos e netos o socialismo de genero, numero e…

  4. Alvaro Santos
    segunda-feira, 16 de setembro de 2019 – 17:43 hs

    KKKKKKKKKKKKKKKK tá de piada “jornalista”

  5. Dr Paulo
    segunda-feira, 16 de setembro de 2019 – 19:18 hs

    Jovens guerreiros que conseguem enxergar os fascistas sob a pegide de “moralistas” tentar destruir as instituições, culta, educação e entregar toda a riqueza nacional aos entrangeiros.
    Peço a voces jovens que tirem algum tempinho e ponham a LUPA NO MISSIONARIO que verão os bens deste individuo desde 2008 se multiplicar exponencialmente, mas também ver o seu passado dos processos no tcu stj crimes do colarinho barnco, e em são paulo aonde responde por dezenas de processos de mau pagador.
    vejam a evolução na compra de apos na planta após a cpi das construtoras na alep ( coincidencia mesmo neh), estudem a situação e saberão quem é este estrangeiro que veio aqui se passando por missionario um falso que é fascista mas que nos anos do betinho enriqueceu bastante. #fikaadika

  6. César Alberto Coutinho
    terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 0:42 hs

    Interessante como a fraqueza de ideias nesta fase da vida se faz tão fácil por parte de idiotas manipuladores, a esquerda prova a cada dia sua podridão. O que buscam, o que querem, nunca será bom pra ninguém.

  7. Doutrinador
    terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 8:42 hs

    Engraçado ver os comentários, bando de loucos dizendo que a escola doutrina e para a esquerda ainda. Escola é lugar de política sim, conhecer formas, meios, pensamentos, ou acham que eles irão aprender aonde? Rede Globo? Na Igreja? Com a família esquerdista ou direitista? Se eles aprendem uma forma apenas de pensar, isso sim é doutrina, na escola eles estudam todos os regimes.

  8. TARZAN
    terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 9:10 hs

    Cambada vão estudar, por isso nossa sociedade está um lixo e a maior instituição que é a família está em decadência! Brasil está caminhando em marcha ré! Desde que esse partido o PT deveria ter nascido ” NATIMORTO ” o Brasil só regrediu pois a escória tomou conta!

  9. QUESTIONADOR
    terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 10:33 hs

    -E os pais mais esclarecidos repudiam os professores ensinando a ideologia de gênero, doutrinação política, direitos humanos para marginais, liberação das drogas para seus filhos…
    -Escola é para ensinar português, redação, matemática, inglês/espanhol, história, geografia…nada além disso. Os professores devem se ater a ensinar friamente à matéria de forma que os alunos entendam e assimilem suas explicações…simples…alunos não interessados em educação é expulsão na certa…se não quer estudar…não tire o lugar de quem quer estudar!!!
    -Professores deveria passar por um revalida anual….

  10. Jorge Hardt Filho
    terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 11:07 hs

    UPE, FUP, CUT, organizações criminosas ou de iludidos

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*