Pesquisa mostra que desemprego é menor no interior do estado | Fábio Campana

Pesquisa mostra que desemprego é menor no interior do estado

Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a partir dos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) revelou um retrato inédito do mercado de trabalho no interior do Paraná. As informações do primeiro trimestre de 2019 mostram que o desemprego no interior do estado é menor que na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), mas que a renda de quem trabalha no interior também é mais curta. As informações são do Bem Paraná.

Para chegar a esse recorte territorial, o IBGE considerou como interior todos os municípios do estado, excluída a região metropolitana e a capital. No Paraná, a taxa de desocupação no interior é de 8,3%, ao passo que na RMC o índice chega a 10,1%. Na comparação com a taxa de desocupação do país, de 12,7%, apenas 10 regiões de interior tiveram desemprego maior que o índice nacional.

Esse resultado, no entanto, não quer dizer que as condições do mercado de trabalho sejam melhores fora dos grandes centros urbanos. Pelo contrário, 69,1% das pessoas que trabalham na informalidade estão no interior, ou seja, 1,079 milhão de trabalhadores sem carteira assinada (empregados do setor privado e trabalhadores domésticos), sem CNPJ e sem contribuição para a previdência oficial (empregadores e por conta própria) ou sem remuneração (auxiliam em trabalhos para a família). No Paraná todo, 27,5% da população ocupada está em uma dessas condições de informalidade – na RMC, a taxa é de 23,8%. No interior, de 28,9%.

Os microdados da PNAD Contínua ainda mostram que o rendimento médio mensal dos ocupados no interior é 30,2% menor em relação aos ocupados na região metropolitana. No Paraná, enquanto um trabalhador do interior recebia R$ 2.331, um da RMC ganhava R$ 3.035. Se o trabalhador for de Curitiba, a diferença fica ainda maior: R$ 3.688, ou 58,2%.

A boa notícia, por outro lado, é que o Paraná aparece, ao lado de São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, como um dos únicos estados em que o trabalhador do interior tem rendimento mensal acima de R$ 2.000.

Diferenças
8,3% taxa de desocupação no interior do Paraná
10,1% taxa de desocupação na RMC
27,5% da população ocupada do Paraná está na informalidade
23,8% da população ocupada da RMC está na informalidade.
28,9% da população ocupada do interior do Paraná está na informalidade
R$ 2.321 é o salário médio do trabalhador no interior do Paraná
R$ 3.035 é o salário médio do trabalhador na Região Metropolitana de Curitiba.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*