Silva e Luna destaca a importância da Guarda Mirim | Fábio Campana

Silva e Luna destaca a importância da Guarda Mirim

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Joaquim Silva e Luna, defendeu nesta sexta-feira (26) a importância das parcerias e o envolvimento da sociedade para a proteção de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Informações do H2Foz.

Ele citou como exemplo o trabalho da Guarda Mirim de Foz do Iguaçu, que completou 42 anos também nesta sexta e já atendeu 30 mil jovens desde que foi criada, no dia 26 de julho de 1977.

“Ninguém pensa no futuro se não pensar no jovem. E o trabalho que é feito pela Guarda Mirim, desde a época de dona Léa [Vianna, criadora da entidade], até agora, demonstra que existe essa preocupação com o jovem e que também existe resultado”, armou, acrescentando que o apoio da Itaipu à entidade não é apenas uma contribuição, mas “uma obrigação da empresa com a sociedade”.

E o trabalho que é feito pela Guarda Mirim, desde a época de dona Léa [Vianna, criadora da entidade], até agora, demonstra que existe essa preocupação com o jovem e que também existe resultado”, disse, acrescentando que o apoio da Itaipu à entidade não é apenas uma contribuição, mas “uma obrigação da empresa com a sociedade”.

“Nós nos sentimos orgulhosos e totalmente integrados a esse trabalho. Vocês são os verdadeiros ‘anjos da guarda’ da Guarda Mirim de Foz do Iguaçu”, enfatizou, ainda, dirigindo-se aos gestores da entidade.

A confraternização, na sede da Guarda Mirim, reuniu o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, o vice-prefeito, Nilton Bobato (que é ex-integrante da Guarda Mirim), e o diretor administrativo de Itaipu, João Pereira dos Santos, entre outras autoridades.

O presidente da Guarda, Hélio Cândido do Carmo, lembrou que Itaipu sempre contribuiu com a entidade e que essa parceria vem se fortalecendo ao longo dos anos.

“Hoje nós temos na Itaipu aproximadamente 230 adolescentes, na condição de jovem aprendiz, todos eles com seus direitos reconhecidos. Sem contar outros projetos especiais que recebemos apoio”, comentou o presidente, citando a construção da unidade de alimentação e nutrição, que serve de 400 a 500 refeições por dia.

“O trabalho da Guarda Mirim e o trabalho da Rede Proteger, que também tem o apoio de Itaipu, talvez sejam os grandes instrumentos que zeram com que Foz do Iguaçu mudasse seus indicadores [sociais]. Nós tínhamos os piores indicadores do Brasil, há alguns anos, e hoje isso mudou. Esse resultado é fruto do trabalho de prevenção de entidades como a Guarda Mirim”, elogiou o prefeito.

Após a reunião de apresentação, o grupo almoçou no refeitório e depois conheceu os espaços que compõem a sede da Guarda Mirim, como a biblioteca, a sala de informática, a sala de música e o ginásio poliesportivo – que foi inaugurado em fevereiro deste ano e contou com recursos da Itaipu Binacional.

Parceria com Itaipu
Anualmente, a Guarda Mirim de Foz do Iguaçu encaminha mais de 200 jovens para o Programa de Iniciação e Incentivo ao Trabalho (PIIT) da Itaipu.

A entidade é responsável pela triagem, por meio de busca e análise socioeconômica, e encaminhamento dos adolescentes à Itaipu. Seus profissionais (psicólogos e assistentes sociais, entre outros) também ajudam a monitorar os jovens durante a passagem deles pelo PIIT.

A Itaipu desenvolve o programa desde 1988, com o objetivo de abrir as portas do mercado de trabalho para jovens de Foz do Iguaçu e também de Curitiba. Desde então, já foram beneficiados 6,2 mil adolescentes. Participam do PIIT estudantes na faixa etária entre 15 anos e 8 meses e 17 anos e 11 meses que estejam cursando o ensino fundamental ou o ensino médio.

O expediente é feito no contraturno escolar e, para não prejudicar os estudos dos jovens, com carga máxima de quatro horas diárias.

Os jovens recebem um salário mínimo (atualmente R$ 998), vale-alimentação no valor de R$ 225 e, quem não pode vir à Itaipu com o ônibus da empresa, recebe vale-transporte. No fim do ano, recebem mais um salário mínimo a título de cesta de Natal.

Ao final do contrato de dois anos, o adolescente deixa a empresa não apenas mais preparado para o mercado de trabalho, mas também com o aprendizado de diversos valores importantes para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

A Guarda Mirim de Foz do Iguaçu foi criada em 26 de julho de 1977, por Léa Vianna – mãe do ex-diretor-geral brasileiro e hoje conselheiro da Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna. Na época, Léa era a primeira-dama do município, esposa do prefeito Clóvis Cunha Vianna. Em toda sua história, a Guarda Mirim de Foz do Iguaçu já atendeu quase 30 mil adolescentes. A grande maioria deles concluiu o programa ou foi contratada por empresas.

Muitos são hoje pessoas formadas que tiveram seus primeiros passos no mercado de Muitos são, hoje, pessoas formadas, que tiveram seus primeiros passos no mercado de trabalho guiados pela Guarda e servem de exemplo para a nova geração.

Além do vice-prefeito Nilton Bobato, outro exemplo é o gerente da Divisão de Serviços Gerais de Itaipu, Divan Saraiva da Cruz – que passou pela Guarda e hoje tem uma carreira consolidada na empresa.

Atualmente, a Guarda Mirim atende 850 adolescentes por mês, com trabalho focado no tripé escola, trabalho e curso profissionalizante. Também há incentivo para a prática de esporte, lazer e atividades culturais. O custo de cada jovem é relativamente baixo, de R$ 195,13 por mês.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*