MEC deve anunciar plano de mensalidade para universidades federais | Fábio Campana

MEC deve anunciar plano de mensalidade para universidades federais

Na quinta-feira da próxima semana (18), o MEC convocará os reitores das universidades federais para uma reunião em que apresentará a Reforma Administrativa que deve ser implementada pelo governo de Jair Bolsonaro.

Segundo informações divulgadas em um evento privado na noite de sexta-feira (12), as instituições públicas deixarão de ser administradas sob o regime jurídico de direito público, fazendo com que seja implementada uma política de cobrança de mensalidade para cursos que são gratuitos.

O secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Arnaldo Barbosa de Lima Júnior, disse ao jornal Valor Econômico que o programa será chamado Future-se e que tem o objetivo de “fortalecer a autonomia financeira das universidades e dos institutos federais”.

Ainda segundo o secretário, o programa será usado como base para a “internacionalização” do Ensino Superior. “Não há cursos gratuitos”, ele afirmou. “Os pagadores de impostos pagam por esses cursos”.

É esperado que instituições como a Universidade Federal do Rio de Janeiro sejam afetadas pela nova medida do MEC.


4 comentários

  1. Joel
    domingo, 14 de julho de 2019 – 0:52 hs

    Demorou, parabéns!

  2. Leco
    domingo, 14 de julho de 2019 – 15:17 hs

    Maravilha!!

  3. domingo, 14 de julho de 2019 – 22:43 hs

    As universidades federais, estaduais e institutos federais tem que cobrar das pessoas que podem agaram SIM ! É só pegar o imposto de renda da familia e analisar quem pode pagar e quem não pode. Pois nas redes FEDERAIS só filhos de ricos que passam em virtude dos mesmos poderem estudarem em escolas particulares e sairem mais preparados que os alunos da rede publica. PAU NA CACHORRADA RICA. jfeio

  4. Ponderado
    domingo, 14 de julho de 2019 – 23:43 hs

    Façamos como nos EUA. Investir muito mais em qualificação de jovens, especialmente em cidades do interior.. E deixar as faculdades para o setor privado explorar..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*