Alvaro Dias: "Reforma da Previdência não deve ser comemorada" | Fábio Campana

Alvaro Dias: “Reforma da Previdência não deve ser comemorada”

da Banda B

O senador Alvaro Dias (PR) afirmou que a reforma da Previdência “não deve ser comemorada por ninguém”, e que ela vai exigir um “sacrifício” da sociedade. Em entrevista à Banda B, na manhã desta sexta-feira (19), o senador afirmou que, mesmo assim, a reforma é necessária para garantir a aposentadoria.

“Ela [a reforma da Previdência] vai exigir que as pessoas trabalhem mais, paguem mais, para receber menos. Mas o objetivo é dizer ‘no futuro você não vai correr o risco, você terá a sua aposentadoria’. Isso é que justifica a aprovação dessa reforma da Previdência, que é resultado da incompetência dos governantes, dos desvios de finalidade”, disse Álvaro Dias.

A aprovação da reforma, segundo o senador, ainda deve passar pelos estados e municípios. Se isso não acontecer, Dias fala que a Previdência ficará “mutilada”.”Se você não inclui os estados e municípios, você faz uma reforma insuficiente. Por isso, o senado terá que trabalhar com esta realidade”, esclareceu.

Para que isso aconteça, os estados e municípios precisam aprovar o que já passou pela Câmara dos Deputados. “Nós vamos aprovar [o que veio da Câmara], e isso será promulgado e entrará em vigor”, explicou o senador, também ao dizer sobre a proposta paralela de inclusão dos estados e municípios.

“Nós apresentaremos uma proposta paralela, que vai incluir os estados e municípios. Isso volta para a Câmara [dos Deputados], que terá que aprovar a inclusão”, completou.

Emenda parlamentar
O presidente Jair Bolsonaro liberou, às vésperas da votação da reforma da previdência na Câmara dos Deputados, um valor recorde de emedas parlamentares, que chega a mais de R$ 1 bilhão. Álvaro Dias disse que se o presidente pretende realizar essas ações, deve anunciar com antecedência e transparência.

“Que, se necessário, convoque uma cadeia de emissora de rádio e televisão, primeiramente para agradecer o povo por aceitar essa reforma da Previdência (…) E diga ‘o governo vai liberar tantos milhões, por intermédio dos senadores, para ajudar estados e municípios’. Mas seja transparente, anuncie”, esclareceu o senador, ao falar também da impressão de “toma lá, dá cá” que ficou na Câmara.

“E vai liberar para os que votaram contra a reforma da Previdência. Não se trata de ‘toma lá, da cá’. Por que ficou essa a impressão, que o governo liberou recursos para que os deputados votassem a reforma da Previdência e nós não queremos que isso ocorra no senado”, disse.

Indicação do Eduardo Bolsonaro
Eleitores estão criticando a indicação do filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador nos Estados Unidos. “Não há nenhuma dúvida que eu voto contra, voto favorável a tudo que é bom para o país”, afirmou Álvaro Dias.

O senador também disse que não faz oposição ao governo por prazer. “Ao contrário, estou colaborando com o governo, ajudando o governo. Estou sugerindo, contribuindo, votando favoravelmente ao governo. Mas nesse caso, eu antecipo meu voto”, esclareceu.

Ainda de acordo com Álvaro Dias, ele é a favor da meritocracia e não basta ser filho do presidente. “É a embaixada mais importante do mundo. Não basta ser filho do presidente, não basta ser filho de ninguém. Tem que ser da diplomacia, tem que ter mérito, tem que estar preparado para a função”, concluiu.


5 comentários

  1. povo brasileiro
    sexta-feira, 19 de julho de 2019 – 13:49 hs

    Espero que o Álvaro Dias e o Flávio Arns tenham a honradez de votar contra, porque como possuem belas aposentadorias e certamente não abrem mão delas, ao menos permitam que o povo possa ganhar a sua aposentadoria de fome antes da morte. Os dois recebem aposentadoria a bastante tempo e não são exemplo para ninguém.

  2. Paulo Bueno Netto
    sexta-feira, 19 de julho de 2019 – 14:51 hs

    Tenho 64 anos de idade. Quando eu era jovem, adolecente, meu pai dizia para mim e meus irmãos: não conte com o sistema do governo, nem da iniciativa privada para se aposentar. Eles não honrarão com vocês. Crie seu próprio programa de aposentadoria.
    Pois bem, assim fiz!
    Graças a meu pai, não precisei forjar aposentadoria precoce como fizeram muitos na era FHC. Vi gente de perto fazer isso!
    Não precisei ver meus recursos de aposentadoria minguarem ano após ano, como de alguns amigos vejo acontecer, hoje recebendo pouco mais que o mínimo.
    Todos já sabíamos dessa quebra do sistema há décadas!
    O que aconteceu agora, para salvar o Brasil, foi apenas a materialização do fato.
    Então, aos jovens replico o conselho de meu Pai: crie seu próprio sistema de aposentadoria, para o seu futuro. Não acredite nessa Nação, o que não somos, somos apenas um aglomerado de pessoas, um levando vantagem sobre o outro.

  3. sexta-feira, 19 de julho de 2019 – 15:17 hs

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKk ………o cara não esta equilibrado rsrsrsSENADO para mudanças rsrsrsrs não tem moral nenhuma para falar nada……..para senadora em 2022 Cida Borghety ou Ratinho PAI ……….joao feio

  4. sexta-feira, 19 de julho de 2019 – 19:23 hs

    Senado virou VAQUINHA DE PRESÉPIO da Câmara dos Deputados.

    “Nós vamos aprovar [o que veio da Câmara], e isso será promulgado e entrará em vigor”explicou o senador.

  5. Carlininiavila
    domingo, 21 de julho de 2019 – 20:49 hs

    A REGRA DE TRANSIÇÃO DO PERÍODO DO TEMER ERA DE 5 ANOS E ADO GUEDES E BOLSONARO É DE APENAS 2 ANOS. NOS AJUDE SENADOR. MILHARES DE PESSOAS SERÃO PREJUDICADOS. ISSO É INJUSTO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*