Governo poderá aumentar salário de professores e evitar a greve | Fábio Campana

Governo poderá aumentar salário de professores e evitar a greve

O governo acredita que a decisão de greve por parte dos professores da rede estadual de ensino, comandados pela APP-Sindicato, não se cumprirá. Confia nas negociações que ainda estão em curso e que enquanto não se esgotarem, a própria categoria deverá aguardar.

Há possibilidades reais de aumento salarial, informa o governo. Uma posição não admitida pelos governos anteriores, que congelaram os salários do funcionalismo desde 2016.A negociação implica na revisão de outros pontos, entre eles a licença premio. É essa proposta que é preparada por técnicos, pelos secretários da Fazenda, da Educação e da Administração, em reuniões presididas pelo governador Ratinho Jr.

O governo considera o que recebeu dos professores em suas análises, um relatório, reivindicações, condições e expectativas. E tem como ponto de partida a convicção de que há uma margem possível para o aumento, mesmo com a queda de arrecadação e a redução dos repasses da União pelos mesmo motivos.


7 comentários

  1. Rr
    quinta-feira, 20 de junho de 2019 – 13:25 hs

    Aí todas as outras categorias param kkkkkkkkkk,em três anos sem reajuste,não conseguiram diminuir os gastos com pessoal,é porque alguém está ganhando mais do que merece,ou continua assaltando os cofres do estado.

  2. Sandro
    quinta-feira, 20 de junho de 2019 – 16:14 hs

    Os funcionários não estão pedindo aumento, somente a reposição da inflação dos últimos 4 anos. Tudo aumentou, menos o salário dos funcionários públicos do estado do Paraná.

  3. servidor
    sexta-feira, 21 de junho de 2019 – 0:58 hs

    aumenta tudo, mas os salários oh …

    Incrível ! O governo aumento tudo, água, energia elétrica, taxas, tarifas e impostos !

    Até o salário mínimo regional para os “outros” pagarem ! Porém, quando chega a hora de cumprir com seus compromissos (revisão anual de salários) aí necas, não tem pra ninguém !

    Cambada de hipócritas e demagogos !

    Desde jan.2016 a mai.2019 a defasagem salarial já atinge 17,21%. De mai.2016 a abr.2019 é de 4,94% !

    Portanto, direito não se discute, se atende !Lei existe para se respeitada (CF, art. 37, inc.X).

    Data Base, já !

  4. antonio carlos
    sexta-feira, 21 de junho de 2019 – 9:41 hs

    O governador erra quando mantem a “licença-prêmio por assiduidade” porque ela não passa de uma piada. No serviço público federal ela não existe desde o século passado, foi abolida pelo FHC. Quando digo que a licença-prêmio é uma piada porque pouquíssimos são os servidores que fazem jus a ela, difícil é encontrar servidores que faltem o serviço e fique por isto mesmo, tal ausência posterga a concessão da tal “licença”, vi muito disto acontecer quando trabalhei na 2ª RS, gente que tirava 10 dias de férias que viravam 20, mas talvez esta RS fosse uma exceção.

  5. antonio carlos
    sexta-feira, 21 de junho de 2019 – 9:44 hs

    KKK o Betinho também tentou este tipo de armação, se ferrou e levou com ele o tesouro estadual. Aí para não afundar de vez trouxe o Mãos de Tesoura e o seu já esquecido tarifaço. Aumentar salário de professor é uma moleza, difícil é arrumar dinheiro para isto.

  6. Aguirre
    sexta-feira, 21 de junho de 2019 – 9:57 hs

    O doutor ratinho, assim como seus antecessores, também não tem a coragem de enfrentar a chantagem contínua de funcionários públicos. Se a arrecadação do estado está em queda, qualquer aumento será pago às custas da sociedade, cheia de desempregados, e retirará recursos da economia já cambaleante.

  7. Luiz
    sexta-feira, 21 de junho de 2019 – 12:38 hs

    Isso é pura palhaçada. O que os professores tem que os outros servidores não tem. Vão a merda, ou dá para todo mundo ou não dá para ninguém. Fazer seleção cria precedente muito perigoso.

    Então é só fazer greve que ganha? É assim que funciona um governo sério.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*