Economia vai piorar e funcionalismo não terá aumento salarial | Fábio Campana

Economia vai piorar e funcionalismo não terá aumento salarial

Os otimistas devem frear suas expectativas. O secretário Renê Garcia Júnior, da Fazenda, disse ontem na audiência pública de prestação de contas na Assembleia, que a crise econômica brasileira deve se agravar no segundo semestre, e que por isso, o governo não poderá conceder o reajuste aos servidores públicos em 2019. O funcionalismo – que está com os salários congelados desde 2016 – cobra a reposição da inflação dos últimos doze meses de 4,94%.

Para Renê Garcia, não há perspectiva de aumentar a arrecadação em 2019. “Não há possibilidade de aumentar de despesa. A economia brasileira vai ter uma recessão profunda no segundo semestre, de crescimento zero. A economia brasileira está em processo de destruição. É isso que ninguém entende”, disse o secretário. “Eu seria irresponsável se garantisse nesse momento qualquer incremento na despesa que não estivesse previsto na programação orçamentária”, afirmou.

O relatório da Secretaria da Fazenda sobre as contas do Estado nos primeiros quatro meses de 2019 aponta queda na receita. De acordo com os números oficiais, a receita total entre janeiro e abril foi de R$ 16,907 bilhões, o que significa uma queda nominal de 0,8% e real (descontada a inflação do período) de 4,86%, em relação ao mesmo período de 2018.

Razões da queda

Renê Garcia confirmou que entre os principais fatores que determinaram queda da receita estão a redução dos repasses do governo federal. As transferências da União caíram de R$ 1,740 bilhão nos primeiros quatro meses do ano passado para R$ 1,568 bilhão no mesmo período deste ano, uma queda nominal de 9,89% e real de 13,58%.

Houve aumento na despesa de R$ 15,138 bilhões no primeiro quadrimestre de 2018 para R$ 15,580 bilhões, um aumento de 2,92% nominais, e uma queda de 1,30% em termos reais. Os gastos com pessoal nos últimos doze meses, segundo o relatório, foram de R$ 17,081 bilhões o equivalente a 45% da receita líquida corrente. O porcentual ficou acima do limite de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 44% e abaixo do limite prudencial, de 47%.

Sustentabilidade
As finanças do Paraná estão em uma situação relativamente “estável” quando comparada com treze estados brasileiros que, segundo ele, estão quebrados. “Minha preocupação fundamental, eu não vou permitir, e o governador não vai permitir, que o Estado do Paraná caminhe para uma situação de não cumprimento de suas obrigações”, disse. “O desastre na economia chegou. Minha posição é garantir a sustentabilidade fiscal do Estado”, afirmou. Mas a decisão final sobre o reajuste do funcionalismo será do governador.

Calote

Um grupo de servidores públicos que acompanhou a audiência nas galerias da Assembleia se manifestou cobrando o pagamento da data-base, com palavras de ordem como “chega de calote”. Em junho do ano passado, quando a então governadora Cida Borghetti encaminhou à Assembleia Legislativa proposta de reajuste de 1%, 31 deputados assinaram uma emenda para garantir o índice de 2,76%.


4 comentários

  1. Antonio Donizete Bastos
    quarta-feira, 5 de junho de 2019 – 19:15 hs

    Kkkkk alguém está enganando alguém! Todos os levantamentos feito, inclusive pela equipe do governo, diz que o Paraná está bem financeiramente, e tem como pagar a reposição. Já o secretário diz que não dá pra conceder reajuste… Alguém está mal informado, quem sera?

  2. Trabalhador
    quarta-feira, 5 de junho de 2019 – 19:19 hs

    13 milhões de desempregados, redução nos investimentos para saúde e educação, funcionários públicos se aposentando aos 50…

    E ainda se dá espaço na mídia para discutir “reposição de inflação” àqueles que tem estabilidade….

  3. Djair
    quinta-feira, 6 de junho de 2019 – 10:19 hs

    Economia só para o poder executivo, Judiciário, TCE e legislativo é uma ilha de prosperidade. Esse estado é uma máfia, vergonha de políticos corruptos!

  4. Ezequiel Bueno Almeida
    quinta-feira, 6 de junho de 2019 – 14:19 hs

    Absurdo!!!! O que estão fazendo com os servidores, tudo sobre!!! Luz, água, telefone,impostos,e nossa reposição, não acontece!!!! Beto, Cida, Ratinho,todos,nunca estiveram,nem aí com os servidores,e suas angústias!!!! O troco virá,com certeza,nas eleições futuras!!! É uma pena!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*