Ratinho Jr defende agenda positiva | Fábio Campana

Ratinho Jr defende agenda positiva

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou neste sábado (25), em Gramado (RS), da terceira reunião do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que reúne os sete estados das duas regiões. Ele ressaltou que o fórum tem como prioridade a criação de políticas públicas e o debate de soluções entre os estados para assuntos de impacto econômico.

Ratinho Junior lembrou que o consórcio trabalha para construir uma agenda positiva para o Brasil. “Discutimos questões tributárias, queremos diminuir a guerra fiscal para que os estados não fiquem competindo entre si e acabem se prejudicando”, reforçou. “Essa é nossa responsabilidade, já que os estados do Sul e Sudeste respondem por cerca de 70% do PIB nacional”, concluiu.

No encontro, também foi divulgada a Carta de Gramado e formalizada a constituição de uma comissão gestora do Consórcio. Além de Ratinho Junior, participaram os governadores Eduardo Leite (RS), Carlos Moisés (SC), João Doria (SP), Renato Casagrande (ES) e Romeu Zema (MG). Do Rio de Janeiro esteve presente o vice-governador, Cláudio Costa.

Na carta, os governadores reafirmam o apoio às reformas estruturais e voltaram a falar sobre a Reforma da Previdência, com a manutenção dos estados e municípios na proposta em debate. O documento reforça a importância de o Brasil estabelecer metas para a modernização do agronegócio, para o avanço da indústria 4.0 e para a oferta de serviços baseados em tecnologias avançadas.

COMPROMISSO – Ratinho Junior reafirmou o compromisso do Paraná com o equilíbrio fiscal, desenvolvimento sustentável e combate a desigualdades. Ele enfatizou a importância do trabalho em conjunto para atingir os objetivos.

“No Paraná, os consórcios municipais funcionam muito bem. Os recursos públicos são otimizados e agilizam soluções para problemas regionais. Portanto, essas reuniões de governadores do Sul e Sudeste facilitarão a nossa busca por respostas na área de gestão”, disse.

PREVIDÊNCIA – Para Ratinho Junior, as mudanças na previdência são fundamentais para o País. “Nós estamos deixando claro nossa posição porque esse é um grande problema para o Brasil. Países europeus já tem o costume de repensar a previdência a cada 20 ou 30 anos. Essa medida é necessária para que o País volte a crescer e os estados a se desenvolver”, disse Ratinho Junior.

O governador gaúcho ressaltou que a condição de retomada econômica do Brasil passa por assegurar a investidores que o País não vai quebrar, e a Reforma da Previdência é essencial para isso. “Se não houver essa compreensão, fragiliza-se qualquer reestruturação econômica do Brasil”, declarou Eduardo Leite.

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria, há unanimidade entre os governadores em relação à vinculação da Reforma da Previdência aos estados. “A desvinculação não é adequada e não corresponde aos interesses dos estados de legitimidade e cidadania”, disse.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*