Ratinho Jr inicia 2º ciclo da reforma administrativa com novos cortes | Fábio Campana

Ratinho Jr inicia 2º ciclo da reforma administrativa com novos cortes

O Governo Ratinho Jr vai protocolar na próxima segunda-feira (3), na Assembleia Legislativa, o projeto de lei que trata do segundo ciclo da reforma administrativa. A informação foi confirmada durante a reunião do governador com todo o secretariado, nesta quarta-feira (29), no Palácio Iguaçu.

Desta vez, a proposta prevê a junção de autarquias, com nova redução da estrutura física do Estado. A estimativa é de corte de R$ 10 milhões por ano nas despesas correntes. De acordo com o governador, a medida dá sequência ao processo de enxugamento da máquina pública e segue a determinação da atual gestão do Estado de impor maior eficiência ao setor público.

“É uma ação que tem resultado financeiro, com economia aos cofres públicos, e que aumenta a eficiência da gestão”, destacou Ratinho Junior. “Nosso foco nunca foi apenas economizar, mas aumentar a agilidade e a eficiência do governo”, completou o governador. A primeira etapa da reestruturação, que agora passa pela fase de regulamentação, diminuiu o número de secretarias de 28 para 15 e eliminou 339 cargos, com economia de R$ 10,6 milhões anuais.

Ratinho Junior pediu à equipe celeridade na execução de ações das secretarias e demais órgãos estaduais. Ele ressaltou que as próximas reuniões de secretariado serão dedicadas à prestação de contas e apresentação de planos de trabalho de todas as áreas de governo. “Houve tempo para todos se assentarem. Agora precisamos fazer balanços e estabelecer metas”, ressaltou.

AGRICULTURA – O chefe da Casa Civil, Guto Silva é quem vai protocolar o projeto de lei, junto com o líder do governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri. A segunda fase da reforma vai começar pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, além de envolver o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) e a Paraná Projetos.

“Vamos partir agora para as empresas de economia mista, realizando fusões ou mesmo extinções, reduzindo a estrutura para gerar economia e garantir recursos para investimentos prioritários à população”, ressaltou Silva. “Algumas dessas empresas perderam o sentido, perderam a função com o decorrer do tempo.”

Guto Silva revelou que quando a reforma administrativa estiver completa, com a implementação ainda de um terceiro ciclo, o Estado vai poupar R$ 160 milhões ao longo dos quatro anos da gestão, apenas com o corte no custeio. “É uma economia bem considerável, o que nos permitirá realizar investimentos e aumentar a qualidade de vida dos paranaenses”, ressaltou.

PRIMEIRA FASE – O governo cortou 261 dos 2.515 cargos em comissão da administração direta durante a primeira etapa da reforma administrativa. As funções de gestão pública passaram de 906 para 857, redução de 49. Na Receita Estadual houve um corte de 29 cargos, passando de 89 para 60.

No total, foram eliminados 339 cargos. Além disso, com a renegociação e cancelamento de contratos, o Executivo economizou cerca de R$ 85 milhões. “Este é o ritmo que vamos adotar até o fim da nossa gestão”, afirmou o governador Ratinho Junior.

PRESENÇAS – Além de secretários e dirigentes de empresas e autarquias, o líder do governo na Assembleia, Hussein Bakri, e o vice-líder, Tiago Amaral, participaram da reunião, que também contou com a presença do prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos.


12 comentários

  1. Aderbal Silva Soares
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 14:48 hs

    Cortes ?
    que tiver tempo de uma olhada no Portal da Transparência, as pessoas estão saindo, MAS sendo nomeadas em outros lugares….

  2. estadista da silva
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 18:11 hs

    QUERO VER É CORTAR NO LEGISLATIVO, JUDICIÁRIO, MINISTÉRIO PÚBLICO. METE A CARA RATO. SEJA HOMEM.

  3. Pedro Di
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 19:10 hs

    bom… tem deputado citado ai que só quer é garantir emprego para a família e amigos nas indiretas mesmo com a reforma.

  4. Arlindo da Rosa
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 19:57 hs

    O Paraná precisa de empregos, funcionários públicos melhores remunerados, é muito conversa política e nada de ação para ajudar o trabalhador, empresas fechando desemprego aumentando.v

  5. Aparecido Pereira Lima
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 21:48 hs

    Gostaria de saber do Sr Governador, quando que ele vai cumprir promessa de campanha, referente a data base e o pagamentos das reposição da inflação aos Funcionários Públicos, que ele foi a Televisao e era a primrira coisa a fazer, quanfo tomasse posse.

  6. Maria
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 22:15 hs

    Até que enfim isso deveria acontecer em todas as repartições públicas na presidência tem em temos que enxugar a máquina pública que parece mais uma teta muito grande só tem pessoas mamando o tempo todo .

  7. quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 23:40 hs

    Tem que ser visto os cabides de empregos no Hospital Colônia Adauto , onde grande maioria recebe por cargos comissionados , altos salários e nada fazem , sem o devido respeito com a classe sofrida de servidores da enfermagem que é mais sucateadas , contratos isurbitantes com várias empresas , no ramo de hotelaria , cozinha entre outros , Servidores sempre esperando por melhorias , Atual gestão há oito anos e não se vê melhoria no Hospital Colônia Adauto Botelho ! Sito Parque das Nações , Rua Ivonete Pimente
    l , sem número.

  8. Luiz Henrique Mantovani
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 23:50 hs

    O maior problema do Estado está na fiscalização de contratos e contratos mal feitos.
    Escândalos comprovam tudo isto. Pedágio, escolas, estradas, etc. Só nas escolas foram milhões.

  9. Eider Ribeiro Luz
    quarta-feira, 29 de maio de 2019 – 23:56 hs

    Parabéns governador, austeridade e desempenho satisfatório é o que nós paranaenses esperamos do seu governo. Confiamos em você e apoiamos incondicionalmente suas sábias decisões.

  10. Jucimari Aparecida Merchiori D
    quinta-feira, 30 de maio de 2019 – 11:34 hs

    Bom dia…
    De 2515 cargos comissionados cortou apenas 261…e acha que fez muita economia…faz favor!!! Corta mais mil que os outros que ficarem ainda vão trabalhar com folga!!! É muita gente pra pouco serviço!!! Tem que cobrar produção!!!
    FALEI….

  11. johan
    quinta-feira, 30 de maio de 2019 – 15:34 hs

    Caro Fábio, com mais essa determinação o governador está dando start no processo de enxugamento da máquina pública. Não pode ficar nisso. Por outro lado, há necessidade imperiosa de conter a ânsia do legislativo. Para isso, pode encaminhar projeto de lei estadual, propondo que o legislativo dentro de sua competência, proponha um corte linear no orçamento das despesas do órgão. Por outro lado, sabedores que somos, que o legislativo é um órgão gastador por opção, este não proporá redução de despesas. Feito isso, e não sendo atendido, o governador encaminha um projeto de lei, cortando 50,0% do orçamento de despesas da ALEP para o ano de 2020. O tempo petista de gastança descontrolada encerrou em 2018. Estamos iniciando os 7 anos de estiagem, e os ilustres deputados devem contribuir com a cota que lhes cabe. Caso contrário, 2022 está aí, logo na frente. Atenciosamente.

  12. Maria Rodrigues
    quinta-feira, 30 de maio de 2019 – 19:52 hs

    Tem meu apoio parabéns pela atitude. Se continuar assim vai ser o presidente da República. Quem aprende a arrumar a própria casa que é seu estado e capaz de ser um dia o presidente da República brasileiro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*