PGR acusa Collor de intervir na BR Distribuidora para favorecer empresário | Fábio Campana

PGR acusa Collor de intervir na BR Distribuidora para favorecer empresário

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou denúncia contra o senador Fernando Collor de Mello, ex-presidente da República, por peculato. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o parlamentar usou de influência para firmar contratos de R$ 240 milhões a favor do empresário João Lyra. Informações do Correio Braziliense.

De acordo com a denúncia, Collor atuou para que a BR Distribuidora firmasse contratos com a empresa Laginha Agro Industrial, que pertence a João Lyra. O senador mantém relações profissionais, familiares e de amizade com o executivo. Os fatos relatados teriam ocorrido em 2010, quando Collor era candidato a governador e o empresário concorria a uma vaga de deputado federal. Os contratos não levaram em consideração que a empresa de Lyra estava em crise financeira, aponta o MPF.

Reuniões
As investigações apontam que, em 2010, houve uma reunião na sede da BR Distribuidora, no Rio de Janeiro. Na ocasião, Collor e o empresário falaram da necessidade da compra futura da safra de álcool, no valor de R$ 1 bilhão. No entanto, a negociação foi barrada por técnicos da empresa.

“O presidente da BR Distribuidora, que estava presente à reunião, assegurou ao senador que seria encontrada alternativa para o pedido, o que acabou sendo viabilizado por meio de três contratos, negociados e firmados em tempo recorde. O primeiro foi assinado em 9 de julho, apenas dez dias após a reunião na sede da BR Distribuidora”, aponta o Ministério Público.

Ainda de acordo com a investigação, José Zônis, então diretor de operações logísticas da empresa estatal, foi apontado como principal executor dos contratos firmados.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*