303 ações trabalhistas na Justiça podem levar Gazeta do Povo a prejuízo de R$ 100 milhões | Fábio Campana

303 ações trabalhistas na Justiça podem levar Gazeta do Povo a prejuízo de R$ 100 milhões

do Paraná Portal

Com 303 certidões positivas de ações trabalhistas do primeiro grau, registradas no Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região – PR, o Grupo GRPCOM, que administra as empresas Editora Gazeta do Povo, Editora o Estado do Paraná e Sociedade Rádio Emissora Paranaense (TV Canal 12), contabiliza mais um rombo superior a R$ 100 milhões só em trabalhistas em aberto.

Este volume de ações e passivo deverá resultar na demissão de mais de 80 pessoas, segundo fontes do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Paraná, o que aumentaria ainda mais a dívida do Grupo de Comunicação que vem amargando prejuízos desde 2010 e já teve que se desfazer de sete empresas da área jornalística.

A informação de novas demissões do jornal eletrônico Gazeta do Povo, hoje com mais de 200 colaboradores – a empresa já teve perto de 900 quando ainda mantinha a edição impressa – deverá provocar um desastre no Grupo GRPCOM, administrado pelos irmãos Ana Amélia e Guilherme Cunha Pereira.

A decadência do império do maior grupo de comunicação no Paraná começou em 2015, quando o empresário Mariano Lemanski vendeu sua parte (50% das ações) na sociedade da Editora Gazeta do Povo para os irmãos Cunha Pereira por simbólicos R$ 1, o que causou surpresa no mercado.
Agora mais uma polêmica envolve a gestão dos irmãos Cunha Pereira. A saída da Gazeta do Povo do prédio na Praça Carlos Gomes 4, de propriedade da família Lemanski, para uma nova sede na rua Victor Ferreira do Amaral, 306, no Tarumã, alugada por R$ 250 mil por mês, teria mexido com os ânimos dos sócios.

O que também chama a atenção em relação às atividades do grupo é que desde 2015 não publica balanço da Editora Gazeta do Povo, descumprindo lei que determina que o balanço patrimonial deve ser tornado público. Por que razões a editora não publica o seu patrimônio? É a pergunta que se faz nos meios empresariais de Curitiba.

Na esteira da transação da Gazeta do Povo por R$ 1 vieram a sucumbir outras empresas do grupo, a começar pela própria Gazeta do Povo, um dos mais tradicionais jornais do Estado do Paraná, com 100 anos de atividades. Lemanski vendeu sua parte através da Lemanski Participações depois de ter, supostamente, dado um prazo de três anos para que a empresa reduzisse os prejuízos mensais que somavam perto de R$ 1,5 milhão por mês.

Foi no balanço de 2015 que acendeu sinal vermelho para o sócio- proprietário: prejuízo de R$ 44,790 milhões o que levou a contabilizar um Patrimônio Líquido negativo de R$ 41,303 milhões. Esses sucessivos prejuízos agravaram a descapitalização da empresa.

Nos sucessivos erros de má gestão empresarial, o império deixado pelo jornalista Francisco Cunha Pereira Filho quase foi à lona e a toalha só não foi jogada graças à força da Emissora Rede Globo que segura a RPCTV.

A compra do jornal Tribuna do Paraná também teria sido um fracasso do ponto de vista econômico ao ponto de os irmãos Cunha Pereira anunciarem possível fechamento ainda para este ano. O mesmo aconteceu com o Jornal de Londrina que sucumbiu e há rumores de que esse empreendimento teria sido pago pelo erário municipal, conforme denunciou à época, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná.

Como nas previsões sacramentadas pelo jornalista Aroldo Murá quando observou, em artigo publicado em seu blog, em desagravo ao também jornalista Celso Nascimento, que as decisões na Gazeta do Povo, pós Francisco Cunha Pereira Filho “vem carregada de inexperiência e teimosa solidão e não importa que, para isso, tenha que fechar sete empresas jornalísticas, como já ocorreu no grupo. A realidade que foi muito além de mera gestão empresarial”.


28 comentários

  1. Fabiano Seth
    sábado, 18 de maio de 2019 – 12:15 hs

    Adiós, mercenários do capital.

  2. Lucia
    sábado, 18 de maio de 2019 – 12:45 hs

    Fui funcionaria da gazeta do povo por 15 anos na época do dr. Francisco. Meu Deus que triste fim da gazeta que bem como vc falou provocado pelos inúmeros erros da diretoria pós Francisco. Lamentável

  3. Rr
    sábado, 18 de maio de 2019 – 13:05 hs

    Quem tem que falir,fechar as portas,é a globosta.

  4. Adelino Zanella
    sábado, 18 de maio de 2019 – 13:29 hs

    Tem que fechar mesmo não seve para nada. O Brasil precisa de quem defende a Pátria Amada não de factoides manipulados

  5. sábado, 18 de maio de 2019 – 15:12 hs

    MIXARIA,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  6. Juliano Ribas Dea
    sábado, 18 de maio de 2019 – 16:18 hs

    Mandaram o Galindo embora, deu nisso. E fechar a Tribuna já é sacanagem, melhor jornal.

  7. sábado, 18 de maio de 2019 – 16:21 hs

    Aonde vou encontrar as Fake agora? Cuidado que a RPC com aquele noticiário do tempo e trânsito que não agrada ninguém tá no caminho. Com certeza terão mais uma centena de ações trabalhistas.

  8. ELEITOR DE BOA MEMÓRIA
    sábado, 18 de maio de 2019 – 21:35 hs

    A FONTE SECOU, QUERO DIZER QUE A IMPRENSA MANIPULADORA NO BRASIL ACABOU

  9. Eloy Olindo Setti
    sábado, 18 de maio de 2019 – 21:40 hs

    Há um grande desperdício de tempo e talentos da RPC em fazer reportagens longas e enfadonhas sobre tempo, polícia, trânsito e transporte público. Não digo que tudo seja inútil, mas a maior parte é pra encher linguiça. Não se pode saber, pela RPC, o que está, efetivamente, acontecendo no Paraná. Falta autocrítica e jornalismo de verdade. Parece que há uma preocupação em mostrar e promover todas as “pratas da casa”. Que saudades do Show de Jornal. Quem é dos anos 70 sabe do que falo.

  10. Intruso
    domingo, 19 de maio de 2019 – 0:01 hs

    A justiça trabalhista é voraz contra os empresários e tchutchuca c/ advs trabalhistas..

  11. Antonio Marcos de Campos
    domingo, 19 de maio de 2019 – 1:30 hs

    Sitezinho chapa branca medíocre. Quem vai pagar pra ver propaganda e notícia falsa dos fascistas curitibanos?

  12. frank rudolph young
    domingo, 19 de maio de 2019 – 1:55 hs

    pra quebrar um monopólio haja talento! ainda mais com governo injetando dinheiro… parabéns aos envolvidos, transformaram um jornal respeitado em panfleto

    o que o texto omite é que a gazoide teve um gás de dinheiro ao se alinhar mais à direita e fazer noticias mais nacionais/gerais para angariar mais clientes

    vendam logo pra RBSTV ou chamem o Boni pra ressuscitar a moribunda empresa

  13. Junior
    domingo, 19 de maio de 2019 – 5:56 hs

    Demissões, má visão/gestão, etc. Mas, o que não se pode fugir, a transformação constante de midias! É fatal que grandes grupos comecem a ruir diante da tecnologia e tb, do simplismo com que vimos tendo acesso às informações… Gazeta do Povo, Estado do Paraná, Tribuna do Paraná sempre fizeram parte de minha vida… Vida de Papel…

  14. Luiz Teixeira
    domingo, 19 de maio de 2019 – 11:12 hs

    Em recente visita a nova estrutura pude constatar que a Gazeta revolucionou sua atuação e está anos a frente de muitos jornais com sua plataforma digital. Conta com novos e excelentes profissionais, uma equipe coesa, dinâmica e moderna.
    Temos que saber reconhecer que o mundo está em constante mudança e a fórmula do passado não garante mais sucesso no presente.
    Fico na torcida para que continue dando certo, gerando empregos e informações.

  15. Telvino Petroli
    domingo, 19 de maio de 2019 – 12:28 hs

    Tem que fechar mesmo.
    Bando de incompetentes tendenciosos, filhotes da rede bosta de televisão.

  16. antonio carlos
    domingo, 19 de maio de 2019 – 16:49 hs

    KKK já vai tarde, esta é uma prova do total desprestígio que a Poderosa tem no Paraná.

  17. Wilmar
    domingo, 19 de maio de 2019 – 20:24 hs

    Antes de fechar esse grupo oportunista deveria devolver o que ganhou com publicidade vinda de verbas públicas e empresas do pedagio (anunciantes que bancaram os privilégios do grupo).
    Jornal que virou blog, que virou rede social da rpc, para retransmitir seus fakes e dar mais credibilidade.
    Não há uma matéria séria de economia, ou política mundial, ou mesmo nacional. Parece que o mundo da gazeta era o bairro do centro cívico com suas estórias forcadas para cativar interesses de alguns, inclusive do ministério público que em troca nunca investigou quem efetivamente bancou o grupo, ou seja nunca seguiu o dinheiro (sujo?).
    Quem sabe como começou, tem a certeza que muito dinheiro suspeito rolou para que o fechamento demorasse tanto tempo. Basta ver como outros veículos do mesmo porte evoluíram no tempo. Não estamos diante de um case de sucesso e ruína. Estamos diante de um case regional de ruína que durou enquanto bancado por dinheiro suspeito.
    Triste fim, merecido.

  18. Luciano
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 8:25 hs

    Exponha sua opinião livre de censura, porém
    Não acho correto colocar números e valores que são
    Apenas boatos. Boa semana.

  19. Do Interior...
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 8:27 hs

    As leis trabalhistas servem para isso. Aumentar o desemprego e falir as empresas. Todo mundo sabe que se uma empresa se endivida, não consegue sair dela só por causa das ações trabalhistas.

    Agora, querem voltar com a cobrança obrigatória dos sindicatos, o inimigo do trabalhador.

  20. Paulo
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 8:54 hs

    Gazeta do povo acabou quando parou de imprimir jornal. Jornalismo fraco e regionalista, semelhante a jornais de bairro.
    Tal qual aqueles compradores de likes e fakes, a gazeta engana anunciantes com distribuição de acessos e instituição do leiturometro, uma ferramenta na qual exige dos empregados e colaboradores uma performance de visualizações e comentários diários.
    Sem falar nos fakes mesmo. Basta ver o nome dos comentaristas…. tem bastante nome de robô.

  21. segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 9:38 hs

    A RPC não faz jornalismo, faz enchimento de linguiça, com o eventos de praia, passeios no ônibus, clima, congestionamento. Quanto aos assuntos de verdadeiro interesse da sociedade como a situação política, a roubalheira dos políticos e das administrações públicas, e, tantos outros temas que dariam destaque às programações. Mas, ficam isentos com medo de serem questionados. Não precisa e não devem tomar partido mas a apresentação do fato real é o que falta para a RPC. O comentário do fato com um ancora verdadeiro a RPC nunca teve ou nunca deixaram que alguém o fizesse. Portanto, a telinha perde o interesse.

  22. Novela
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 12:05 hs

    A administração da Gazeta parece a novela Anos 90 da Globo, uma “POP TV” administrada por herdeiros mimados, sem escrúpulos, rumo à bancarrota.

  23. Fiora Neto
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 12:13 hs

    Jornais da RPC —> papo de comadre…

  24. Nemcomrezabrava
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 14:36 hs

    E ficam falando mal do Clube Athlético Paranaense, com a nossa discusão na justiça sobre o racha das despesas da Copa com o Município e Estado para saldar a FOMENTO.

    Isso é bem a cara de que cuida do quintal do vizinho, mas não cuida do seu.

  25. Daniel
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 14:51 hs

    Mais uma empresa paranaense centenária prestes a fechar as portas.

    Mas é sempre assim: Quando o patriarca morre não há empresa que resista a má administração e a briga de egos dos herdeiros.

  26. Everardo Madureira
    segunda-feira, 20 de maio de 2019 – 17:34 hs

    Faz tempo que não leio a Gazeta, e na RPC só assistia o jornal local das 19h. Mas esse jornal se tornou insuportável, inventaram um cara que fala do tempo que é um chato de galochas, foi o que bastava para eu nunca mais ter visto a RPC. Com esses irmãos no comando o grupo está indo de mal a pior!

  27. Rudolfo Strassmann
    quinta-feira, 23 de maio de 2019 – 19:02 hs

    Participes do golpe, deram com os burros na água. Tentam agora tardiamente, readquirir alguma credibilidade, exatamente como na Vênus Platinada, cujo destino será semelhante, por terem faltado com seus deveres.

  28. Ricardo Tomé Branco
    sábado, 25 de maio de 2019 – 14:12 hs

    Era assinante, mais pela parte esportiva, mas depois que passaram sistematicamente a destruir os clubes daqui de Curitiba, principalmente o furacão, cancelei a assinatura.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*