Reforma administrativa é aprovada por 44 votos, comemora Bakri | Fábio Campana

Reforma administrativa é aprovada por 44 votos, comemora Bakri

Por 44 votos contra apenas 5, a Assembleia Legislativa aprovou, nesta terça-feira (16), o projeto de reforma administrativa do Governo do Paraná. A proposta, que reduz o número de Secretarias de Estado de 28 para 15, teve apoio maciço dos deputados, que demonstraram estar em sintonia com a gestão Ratinho Junior (PSD).

“Esse é o primeiro grande projeto do Governo e já deixa claro que o intuito da Assembleia Legislativa é colaborar com o Executivo. Essa relação respeitosa só trará benefícios para os mais de 11 milhões de paranaenses”, comemorou o Líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD). “O objetivo é dar mais agilidade e eficiência à máquina pública, permitir que cada área tenha mais facilidade para se comunicar e interagir com outros setores do Governo.”

A reforma administrativa prevê uma economia anual de R$ 10,6 milhões aos cofres estaduais, a partir da redução de pastas e, também, da extinção de 339 cargos comissionados e funções gratificadas. Na sequência, o Governo ainda irá promover mais duas etapas de reestruturação: junção de autarquias e redução da estrutura física do Estado. Somadas as três fases, a economia deve passar dos R$ 30 milhões ao ano.

Na segunda votação desta terça-feira, o projeto da reforma recebeu algumas emendas, que serão avaliadas pela Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) antes de voltarem ao plenário. A tendência é que a proposta seja definitivamente aprovada na semana que vem e, então, siga para sanção governamental.


4 comentários

  1. Yuri
    quarta-feira, 17 de abril de 2019 – 7:55 hs

    Diminuir as secretarias de 28 para 15 é fácil, quero ver se a receita de gastos com esse povo também diminui ou a farra dos privilegiados (Não servidores concursados) continuará.
    O governador já provou que é novo mas com espírito da velha e malandra política.

  2. xiru de palmas
    quarta-feira, 17 de abril de 2019 – 8:01 hs

    Cheiro de pólvora no ar.
    O governo passado tambem não tinha nenhuma dificuldade em aprovar suas maluquices, pois tinha a assembléia na mão.
    A tendência natural, quando não há oposição forte e uma posição “vaquinha de presépio”, é que ocorram desmandos.
    Sempre confiei no Ratinho Jr.
    É uma pessoa reta e honesta, cheia de boas intenções.
    Mas o perigo, quando não ha oposição às suas idéias é que o poder lhe transforme.
    Porque vender a Copel telecom?
    Para pagar contas?
    Para investir?
    Contas a Cidinha não deixou, segundo ela.
    Investir tudo bem,, mas acabar com um investimento para começar outro?
    Não v ai poupar milhões não dando aumento para os funcionários do executivo?
    Não vai enxugar o orçamento do legislativo e judiciário?
    Vai sobrar dinheiro para investir.
    Então porque vender um investimento que proporciona lucros?
    Veja o que o Jaiminho fez com a sanepar.
    Estamos aguentando um aumento de 150% na água nos últimos 4 anos.
    A assembléia vai apoiar totalmente a venda, pois as vaquinhas de presépio sempre dizem amem.
    RATINHO não ponha os pés pelas mãos. Não invente a roda. Poupe este ano, reduza os orçamentos do judiciário e da assembléia que já comprovaram que são superavitários, atenda os coitados dos funcionários do executivo que estão com a corda no pescoço. Um levantamento feito por amostragem no PR Consig mostrou que 93% dos funcionários do executivo estão sem margem consignada, isto é já empenharam 40% dos seus vencimentos para poderem sobreviver. Agora, com certeza, para poder sustentar suas famílias estão nas mãos dos bancos agiotas como BMG, PAN, AGIBANK que não ficam nenhum pouco envergonhados em emprestar dinheiro pra inadimplentes as taxas de 20% ao mes.
    Prestigie que lhe prestigia. Não acabe com a força de trabalho do estado.Um número significativo de funcionários estão pedindo aposentadoria de forma prejudicada, proporcional ou por idade, para poderem procurar outro emprego para sobreviver.

  3. Gustavo Reis
    quarta-feira, 17 de abril de 2019 – 11:27 hs

    Ok. Agora tá faltando vender as estatais que só dão prejuízo e serve de cabide de emprego pra políticos e seus apadrinhados e familiares.

  4. johan
    quarta-feira, 17 de abril de 2019 – 18:46 hs

    Caro Fábio, com a redução no número das secretarias, poderemos vislumbrar uma redução no orçamento das despesas de pessoal. Como ficou o FIM do pagamento das aposentadorias ilícitas dos ex-governadores, também foi aprovado… A sociedade aguarda ansiosa que essa redução chegue ao povão, com redução na carga dos impostos – ICMS, e melhoria dos serviços prestados pelo estado, como estradas, mais escolas, mais pontes, mais saúde, rede trifásica de energia rural, apenas isso. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*