Licença-prêmio vai acabar | Fábio Campana

Licença-prêmio vai acabar

A grita vai ser grande, sabe o governo. Ninguém abre mão de nenhum dirito estabelecido sem chiar. As licenças-prêmio concedidas a servidores públicos estatutários custa R$300 milhões por ano. O governo diz que não há como manter esse benefício que, para o trabalhador comum cheira a privilegio. O governo se propõe até a oferecer aos servidores uma troca: fim das licenças-prêmio por retomada de reajustes anuais nos salários.

A folha dos servidores está congelada há três anos, sem nem recomposição da inflação, com defasagem de 16% de perda. Por lei, apenas servidores da administração direta e das autarquias, submetidos ao regime estatutário, e os militares têm direito, como prêmio de assiduidade, a 90 dias de licença em cada período de cinco anos de exercício, desde que não tenham sofrido qualquer penalidade administrativa. Quando o servidor recusa o direito, o Estado precisa pagar o equivalente em dinheiro. Esse é o principal ponto em discussão, já que o argumento do governador é ausência de caixa para manter pagamentos de todos os benefícios.


9 comentários

  1. Barnabé
    segunda-feira, 22 de abril de 2019 – 16:42 hs

    vale salientar que o servidor que se recusar a receber o benenficio ,NÃO recebe em dinheiro

  2. observador
    segunda-feira, 22 de abril de 2019 – 17:13 hs

    e quem disse que o estado paga?

  3. segunda-feira, 22 de abril de 2019 – 17:53 hs

    EU CONCORDO COM O FIM DA LICENÇA ESPECIAL. É MELHOR TER AUMENTO DO Q LICENÇA, ÀS FÉRIAS JÁ ESTÃO BOAS.

  4. Rogério
    segunda-feira, 22 de abril de 2019 – 18:42 hs

    Que tal começar cortando os cargos comissionados, privilégios do políticos, poder judiciário e ministério público, mas é mais fácil cortar dos trabalhadores. Então governo , sai governo e continua a mesma bagunça.

  5. terça-feira, 23 de abril de 2019 – 10:12 hs

    Isso aí é puro mimimi ou cortina de fumaça para agradar pessoas incautas, tendo em vista que a maior parcela dos servidores públicos nem tem “esse direito”. Quem tem “esse direito” são os cargos TOP pois os servidores públicos OREIA só vem tomando na cabeça…

  6. JM
    terça-feira, 23 de abril de 2019 – 11:09 hs

    Esse governo é um safado igual ao betinho,.corte os comissionados e deixe de frescura.

  7. Renata Nolasco
    terça-feira, 23 de abril de 2019 – 12:57 hs

    Mt gente q não é da educação palpitando….esse governo é so uma continuação do outro…mais 4 anos ferrados….se a educaçao sobreviver sera uma grande conquista…as coisas nao mudarao eqt o povo nao souber votar

  8. terça-feira, 23 de abril de 2019 – 12:59 hs

    Como ficam as licenças já vencidas e que foram indeferidas até 2018. Quando vamos tirar ou pagarão em dinheiro? Uma coisa è não ter mais novas, mas as já vencidas è um direito adquirido em governos anteriores.

  9. Roger Pinto de Molina
    quarta-feira, 24 de abril de 2019 – 12:49 hs

    É uma piada este governo. Mais do mesmo, contínua governo do Beto.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*