Em 2 meses, bancada do Paraná gasta R$ 6 milhões com assessores  | Fábio Campana

Em 2 meses, bancada do Paraná gasta R$ 6 milhões com assessores 

Em apenas dois meses de mandato, os 30 deputados federais do Paraná gastaram mais de R$ 6,1 milhões com o pagamento de salários de assessores em cargos comissionados. Em média, cada um dos 30 parlamentares gastou em fevereiro e março R$ 204.411,82 com esse tipo de despesa. Encargos trabalhistas como 13º, férias e auxílio-alimentação dos secretários parlamentares não são cobertos pela verba de gabinete – são pagos com recursos da Câmara, o que significa que o custo final para o contribuinte é ainda maior. As informações são do Bem Paraná.

Como podem trabalhar tanto em Brasília quanto nas bases políticas dos parlamentares no Estado, esses assessores muitas vezes atuam como cabos eleitorais dos deputados. Cada parlamentar tem à disposição R$ 111.675,59 por mês em dinheiro público para pagar salários de até 25 secretários parlamentares, que trabalham para o mandato na Capital Federal ou nos estados. Eles são contratados diretamente pelos deputados, com salários cujos valores variam de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32 por mês.

Em fevereiro, o gasto dos deputados do Paraná com a verba de gabinete foi de R$ 2.945.647,14. Em março, o valor aumentou para R$ 3.186.707,53. Caso o valor siga o mesmo até o final do mandato, cada parlamentar paranaense terá à sua disposição R$ 5.360.428,32 em quatro anos para pagar os salários de seus assessores. Esses valores não incluem outros cargos que são disponibilizados aos parlamentares que ocupam lideranças ou postos de direção na Mesa Executiva e comissões da Câmara, que dão direito a outras nomeações de comissionados.


2 comentários

  1. segunda-feira, 15 de abril de 2019 – 9:40 hs

    SÃO ELES, ESSA LEGIÃO DE SANGUESSUGAS E CANINOS QUE SUSTENTAM UMA LEGIÃO DE POLITIQUEIROS VAMPIROS QUE SE ALIMENTAM DO SANGUE DOS CONTRIBUINTES!!!!

  2. Jorge
    segunda-feira, 15 de abril de 2019 – 13:01 hs

    São frutos da “constituição cidadã” de 1986(ou 7?).
    Na época do regime militar a carga tributária era ± metade do que a de agora e os investimentos do governo em infraestrutura era o dobro do que a de agora ( agora se privatizam rodovias ).
    Muita coisa tem que mudar

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*