Beto Richa pede devolução de objetos pessoais apreendidos pelo Gaeco | Fábio Campana

Beto Richa pede devolução de objetos pessoais apreendidos pelo Gaeco

A defesa de Beto Richa (PSDB) pediu ao juíz Fernando Bardelli Silva Fischer, da 9ª Vara Criminal de Curitiba, que objetos pessoais apreendidos pela Justiça sejam devolvidos ao ex-governador.

O pedido, feito nesta segunda-feira (15), alega que canetas, relógios, abotoaduras e óculos de sol apreendidos têm “valor irrisório” e são de uso pessoal de Richa.

De acordo com os advogados do ex-governador, os objetos devem ser devolvidos “em razão da ausência de previsão legal para apreensão e manutenção de bens pessoais” e porque não há “pertinência dos bens apreendidos para fins de elucidação dos crimes investigados”.

Os objetos foram apreendidos quando Beto Richa foi preso pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), no dia 19 de março, por fatos investigados na Operação Quadro Negro, que investiga desvio aproximadamente R$ 20 milhões na Educação. O ex-governador foi solto no dia 4 de abril após uma decisão do Tribunal de Justiça do Paraná.

No dia 10 de abril, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) solicitou à Justiça que os objetos fossem avaliados e leiloados para evitar a “depreciação econômica” dos bens e para garantir “ressarcimento” aos cofres públicos.

A defesa afirma, no entanto, que o processo está em fase inicial de apuração e que os supostos danos não foram calculados.

Os advogados de Richa alegam também que, caso os bens sejam leiloados e o réu seja absolvido, a perda dos itens causaria um dano irreparável ao ex-governador “visto que grande parte dos bens apreendidos são dotados de inestimável valor sentimental, pois foram dados de presente ao requerente por entes queridos em ocasiões especiais”.

No pedido, a defesa destaca que o próprio Ministério Público afirma “tais bens não [foram] adquiridos com valores oriundos das práticas ilícitas”.

Veja quais são os objetos apreendidos

12 óculos de sol de marcas como Prada, Dolce & Gabbana, Ray Ban, Dior, e Mormaii;
14 pares de abotoaduras de marcas como Mont Blanc, Bvlgari e um prendedor de gravatas;
21 canetas de marcas como Crown, Mont Blanc, Harley Davidson, Porsche, Cartier, Waterman e Parker;
6 relógios de marcas como Cartier, Carrera, Richard Mille, e Zodiac;
1 cinto da marca Mont Blanc;
Joias: três correntes, uma pulseira e um anel de marcas não identificadas pela polícia.


4 comentários

  1. Zé Venancio
    terça-feira, 16 de abril de 2019 – 16:40 hs

    Também acho um exagero pegar os objetos pessoais para leiloar e reaver dinheiro do erário.
    Sabe-se que, quando se fala do ex governador, tem sempre caroço no angú, gato na tuba…
    Mas essas ninharias não são nada comparadas aos valores exorbitantes de propinas e desvios de dinheiro público, crimes dos quais Richa é acusado.
    E pensar que assisti na sede do Paraná Clube da Kennedy, o velho José Richa falando para as professoras: “Vocês sabem que em mim, podem confiar! Não é por ele ser meu filho, mas é um homem honesto, honrado e será um grande governador!” Naquela eleição, Richa saiu no primeiro turno…
    Grandes sonhos, grandes quedas. O sonho do PSDB era Aécio presidente e Richa vice… Deus nos livre!

  2. Antonio Carlos
    terça-feira, 16 de abril de 2019 – 17:31 hs

    Sessão “non sense” do ministério público pretender leiloar óculos de sol usado Ray Ban ou Mormaii, canetas Crown ou Parker, correntes, anéis ou cinto de couro. É jogar para a plateia, fazer firula desnecessária, isto diminui a imagem do Ministério Público, será que eles não percebem?

  3. Yuri
    quarta-feira, 17 de abril de 2019 – 7:59 hs

    …”e porque não há “pertinência dos bens apreendidos para fins de elucidação dos crimes investigados”
    Mas tem advogado que é tonto mesmo…. E ele, o bandido Richa, comprou tais objetos caríssimos com que dinheiro???????? Com certeza o nosso dinheiro, da população do Paraná.

  4. Tico Tico no Fubá
    quarta-feira, 17 de abril de 2019 – 9:02 hs

    Minha diarista disse que não vai devolver a cuéca que ele usou na prisão, de jeito nenhum

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*