Vara Federal de Curitiba já recebe pedidos para enviar ações à Justiça Eleitoral | Fábio Campana

Vara Federal de Curitiba
já recebe pedidos para enviar
ações à Justiça Eleitoral

O procurador da força-tarefa da Operação Lava Jato Deltan Dallagnol disse hoje (15) que a 13ª Vara Federal em Curitiba começou a receber pedidos de advogados de investigados na operação para que os processos sejam enviados à Justiça Eleitoral, conforme decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são da Agência Brasil.

“A 13ª Vara Federal em Curitiba já começou a receber pedidos de declinação de competência, ou seja, pedidos para que os casos da Lava Jato sejam remetidos para a Justiça Eleitoral. Efeito da decisão de ontem do STF”, informou o procurador, em mensagem divulgada no Twitter.

Os pedidos serão encaminhas aos juízes Luiz Antonio Bonat e Gabriela Hardt, relatores de processos oriundos da Lava Jato.Na sessão de ontem (14), o Supremo decidiu que a Justiça Eleitoral deve julgar casos de corrupção quando envolverem simultaneamente caixa 2 de campanha e outros crimes comuns, como lavagem de dinheiro.

Dessa forma, os processos contra políticos investigados na Lava Jato e outras apurações que envolvam simultaneamente esses tipos de crimes deverão ser enviados da Justiça Federal, onde tramitam atualmente, para a Justiça Eleitoral. No entanto, a decisão não é automática e necessita da decisão dos juízes que relatam os casos.


4 comentários

  1. johan
    sábado, 16 de março de 2019 – 15:32 hs

    Caro Fábio, essa matéria coloca muito bem, a crise de moralidade por que passa a elite política e judiciária do país. Parcela dos ministros desejam facilitar o caminho da parcela dos políticos que devem para a sociedade e para a justiça. Essa parcela comprometida ainda não entendeu o recado dado nas urnas, pelos eleitores nas eleições de 2018. Basta de corrupção e corruptos. Isso é um descalabro. A sorte da sociedade, é que o ministério público atualmente, é composto por profissionais novos em idade, porém muito bem preparados para suportar os escaninhos provocado pela alta corte, como também preparados para superá-los. Essa parcela citada na matéria, não obterá vantagem, talvez ganhe um pouco mais de tempo livres, mas encontrarão seu momento de prestar contas com a sociedade. Atenciosamente.

  2. Parreiras Rodrigues
    sábado, 16 de março de 2019 – 19:36 hs

    Não há que se negar a competência dos tribunais eleitorais QUANTO ÁS QUESTÕES a eles atinentes. O do Paraná, por exemplo, é bala.
    Mas ele, o STE, não tem estrutura para o que lhe é proposto pelo STJ.
    Indubitavelmente, uma medida bem a gosto dos corruptos, dos corruptores e dos mascates de sentença, manjadíssimos, aliás.
    Urge acabar com essa putaria de nomeações, de apadrinhamentos.
    Lançada a campanha: CONCURSO PÚBLICO PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS DOS TRIBUNAIS TODOS, INCLUSIVE OS DE CONTAS DA UNIÃO, DOS ESTADOS!

  3. Intruso
    domingo, 17 de março de 2019 – 0:20 hs

    O direito é construído com base num jogo de empurra empurra.. Tipo cabo de guerra mesmo.. Somente os q nasceram ontem ñ sabem disso..

  4. PIMENTA PURA
    domingo, 17 de março de 2019 – 7:46 hs

    Espero que exercito esteja de olhos bem abertos aguardando este
    desfecho do STF que afronta a dignidade dos brasileiros. Saber que
    uma operação como a Lava Jato está sofrendo retrocesso só pode
    ser pesadelo… Que a democracia deste jeito vá pro inferno e o exer-
    cito fritem os caras do STF.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*