Reativados, grupos de WhatsApp bolsonaristas defendem Previdência | Fábio Campana

Reativados, grupos de WhatsApp bolsonaristas defendem Previdência

Liderados por bolsonaristas, grupos de WhatsApp que tinham sido desativados após a campanha voltaram a operar. A retomada coincidiu com o apelo da cúpula do Congresso para que o presidente religasse, em nome da reforma da Previdência, a rede de contatos que o ajudou a chegar no Planalto. Além de textos de defesa da medida, as comunidades elegeram um alvo comum: o Supremo. Montagens pedem o “fim do STF”, apontam “a toga contra o povo” e chamam os ministros de criminosos. As informações são da Folha de S.Paulo.

Além do tom de protesto, mensagens que circulam nesses grupos disseminam informações falsas sobre a função, o funcionamento e os membros do STF.

Uma das postagens chega a afirmar que a corte tem “clientes como o BNDES”, e que “OAB e Judiciário estão aparelhados com essa máfia comunista e o narcotráfico de toda a América Latina”. “O STF só pode ser derrubado com uma ação efetiva e massiva do povo. O governo não pode os tirar de lá (sic)”.

Há ainda postagens que pedem apoio a Jair Bolsonaro, que estaria sendo “engolido pelo sistema” e “jogado aos leões”. “Ele precisa de nós. (…) Pare de compartilhar bobagens e intriguinhas feita pela mídia podre.”


2 comentários

  1. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 11:19 hs

    E que a Folha faça uma pesquisa – séria, se for capaz, se não são essas as vontades da grande maioria. A grande maioria dos ministros das altas cortes foram nomeados por Lula e Dilma, muitos sem as mínimas condições para o exercício inteligente e correto do cargo, além de notórios comerciantes de sentenças.
    E quanto ao comportamento editorial da Folha?
    Totalmente dedicado à desestabilização do Governo.
    Vamos engrossar as redes sociais de denúncias e de indignação, sim senhor.

  2. Rr
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 11:25 hs

    Ministros ? Onde ?
    Esses aí estão mais pra corruPTos togados,tem que fechar esse prostíbulo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*