Pendências na Justiça eleitoral ameaçam PSL | Fábio Campana

Pendências na Justiça eleitoral ameaçam PSL

Coluna do Estadão

O partido do presidente Jair Bolsonaro corre risco de não conseguir lançar candidatos nas eleições municipais de 2020. Hoje, a maioria dos diretórios estaduais do PSL não está regularizada na Justiça Eleitoral devido a falhas nas prestações de contas e multas de gestões passadas. Em São Paulo, por exemplo, berço político de Janaína Paschoal, Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann, todos cotados para a Prefeitura, a situação é crítica: o diretório funciona por meio de liminar e, se não se resolver até o meio do ano, não terá candidatos a cargo nenhum.

Os bolsonaristas atribuem as dificuldades a gestões anteriores, supostamente sem estrutura e mal organizadas. A “herança maldita”, como diz o tesoureiro Victor Metta, resultou numa multa de R$ 1,5 milhão em São Paulo.

O estatuto do PSL prevê que eleitos paguem do próprio bolso com 5% do salário para abater a dívida e que diretórios municipais entrem no rateio com contribuições de R$ 100 a R$ 1 mil.

Por causa das pendências, o diretório de São Paulo não poderá receber o Fundo Partidário até novembro. Nacionalmente, a cifra deve chegar a R$ 8,1 milhões mensais.


2 comentários

  1. Fabio
    sábado, 2 de março de 2019 – 20:39 hs

    Não entendo colocar a foto do Jair com as “pendências” eleitorais de outros candidatos! A Joice já desmentiu faz tempo sobre suas contas, que afinal, foram aprovadas! Estadão é lixo como a Globo, Folha, Antagonistas, Veja, IstoÉ e et caterva!

  2. Aprigio Fonseca
    segunda-feira, 4 de março de 2019 – 15:33 hs

    Você queria que o Campana colocasse a foto do Queiroz?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*