Ora, pois, quem diria, ou o discurso na prática é outro | Fábio Campana

Ora, pois, quem diria, ou o discurso na prática é outro

Nada escapa ao olhar atento dos deputados de oposição. Examinam com lupa todos os documentos oficiais do governo. E encontram coisas inacreditáveis porque contraditórias com o discurso palaciano. É claro que Ratinho Jr não deve saber, pois não cometeria deslizes de tal alcance.

Vejam só. A Cohapar, criada para construir casas populares, acaba de nomear a direção de sua Superintendência de Regularização Fundiária. Pois contrariando discurso de que o governo só vai nomear técnicos de experiência comprovada, nada de acertos políticos, nomeou como Superintende Elizabeth Nishimori, a mulher do popular deputado Luiz Nishimori. Também nomeou Fábio Ortigara, filho de Norberto Ortigara, secretário de Agricultura, para cuidar das obras. E pasmem, paranaenses. Para cuidar da regularização fundiária, entronizou Anselmo Meyer, que é jornalista e era porta-voz do ex-governador Beto Richa, lotado no gabinete de Deonilson Roldo. Sabe-se de sua experiência sobre questões fundiárias que ele cuidava dos 300 metro quadrados do gabinete do governador e arredores para evitar a presença de chatos, estranhos e tipos do baixo clero.


20 comentários

  1. Roberta Cavalcanti
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 16:07 hs

    Boa tarde ! Verdade teoria inovadora …prática antiga ….Nepotismo presente no governo estadual ! Cada dia vem a público essa vergonha das nomeações! Discurso inovador do Chefe da Casa Civil ??? Acorde Guto Silva ! Começaram mal o Governo ” Inovador “…

  2. Clécio Rabelo
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 17:07 hs

    Como eu disse há alguns meses: Todo discurso de início de governo segue a mesma cartilha que começa com um capítulo estigante que dura até o carnaval… e depois de 3 ou 4 meses vai para o capítulo seguinte, entitulado: O ASSENTAMENTO!

  3. RAPAHOC
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 17:24 hs

    Prezado Fábio, esqueceu de citar a nomeação de Marina Kopper Pereira, filha do ex-prefeito de Foz do Iguaçu o Sr. Reni Pereira, de apenas 23 anos para o cargo de Superintendente Financeira. Sem falar que ela está grávida de 8 meses, isso mesmo nomearam uma grávida de 8 meses para receber R$ 20 mil por mês. Como é caridoso esse governo.

  4. Gaudério do Piquiriguaçu
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 17:41 hs

    É Cascavel participando mais uma vez das “grandes momentos” de nossa história.

  5. EU
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 18:05 hs

    É o “novo jeito” de governar prometido ao logo da campanha.

  6. Estadista da Silva
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 18:21 hs

    Cai fora Lange. Tão incompetente ou acertado com os caras. Bata na bunda dele Sciarra. Este teu pupilo ñ vale a pena.

  7. Liani
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 18:59 hs

    Nepotismo em todo lugar. Vejam na CELEPAR

  8. OBSERVADOR INTRIGANTE
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 19:37 hs

    CRIAÇÃO DE ANGORÁS?
    CUIDADO GOVERNADOR, GATO COME RATO.

  9. Sergio
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 21:23 hs

    E o Ademir Bier, gravado pelo MP fraudando o SUS, virou diretor de Obras

  10. Joaquim Lima Pereira
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 21:28 hs

    Que governo? Que vergonha? Deve ter mais pela frente. tristes trópicos.

  11. Paulo
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 22:06 hs

    Lange é um pau mandado que está vivendo de cargos políticos desde 1999. Esperar algo diferente é que seria novidade.

  12. Ladislau
    quinta-feira, 14 de março de 2019 – 22:14 hs

    Se tudo correr bem ESSE GOVERNO VAI ACABAR MUITO MAL.

  13. sexta-feira, 15 de março de 2019 – 0:01 hs

    Foi nomeada Chefe da Ciretran do município de Santa Helena, no extremo oeste do estado a senhora Marlete Rigol Davila. Ela é amásia do empresário do ramo de eventos, Paulo Roberto Neckel. Corre na região que ela é indicada pelo deputado Moacir Micheletti (PR). Ocorre que Paulo, que até pouco tempo desfilava pela cidade com tornozeleira eletrônica, seria sócio de Micheletto e ninguém menos que o governador Ratinho Júnior, em uma rádio na cidade de Assis Chateubriant, berço eleitoral do deputado. A emissora faz parte da rede que pertence a família do governador. Detalhe, a bela ainda não foi trabalhar.

  14. Ratinho JR Não Merece
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 0:58 hs

    Governador Ratinho Junior,

    Você teve um grande discurso na sua campanha que me convenceu como mulher a votar em você, mas como todos dizem que todo Governo começa sempre com uma proposta Inovadora, mas após os 100 dias de provação um bom Gestor pode revelar as verdadeiras garras e grupo.

    Se você deseja ser o Governador brasileiro que implantou compliance na Administração Pública, o conjunto de disciplinas para fazer cumprir as normas normas legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio e para atividades de cada Instituições ou Empresas e do Governo Geral, bem como evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer.

    Se o Governador foi eleito pelo povo Paranaense, não adianta dar desculpas que você está nomeando pessoas técnicas e competentes, pois essa é a mesma fala de todos os ex-governadores quando foram questionados e o revoltante que nenhum praticou ou respeitou o voto do povo. Compliance exige comprometimento para cumprir uma série de regras e políticas para o perfeito acompanhamento de cada Instituição e acompanhando os seus atos e até mesmo as suas nomeações, resultadas estas de reuniões de diretoria e indicações externas. Governador não acredito que você seja tão inocente de falar que não sabia dos nomes que estão compondo a pasta MILIONÁRIA das Diretorias e Superintendências da COHAPAR. Os funcionários já estão se revoltando com a volta de todos que trabalharam na campanha da CIDA, ou até mesmo, trabalharam nas duas campanhas da CIDA e do Ratinho, ou você na realidade já estava sabendo de acerto de bastidores de RATINHO JR, BETO E CIDA???

    Primeiro ato da sua pessoa de devolver o avião do Governador, que na realidade é da COPEL, parecida uma atitude de tendência de uma grande Gestão, e logo depois o projeto de lei para acabar com a aposentadoria de ex-governadores, mostrou da sua parte mais uma grande atitude de COMPLIANCE com a máquina Pública. Uma atitude para ampliar este pacote de bondades era enviar um projeto também para acabar com a Lei que OBRIGOU a criação de 45 cargos comissionados da COHAPAR, pelo TURCO que agora não tem nada para fazer e vive levando prefeitos a toda hora na COHAPAR (Você sabia disso?).

    Governança no setor público: compreende essencialmente os mecanismos de liderança, estratégia e controle postos em prática para avaliar, direcionar e monitorar a atuação da gestão, com vistas à condução de políticas públicas e à prestação de serviços de interesse da SOCIEDADE. Vou finalizando por aqui, mas deixando uma lista de tarefas para você Governador e sua equipe de COMPLIANCE começar a meditar rápido e ajudar a COHAPAR.

    LISTA DE TAREFAS:

    1. Projeto de Lei para REVOGAR a lei nº 192/2016 que criou 45 cargos comissionados na COHAPAR de livre nomeação;
    2. Exonerar a Superintendente Grávida, antes de ficar de 6 a 9 meses em casa recebendo um salário de R$ 22.000,00 (R$ 44.000,00 com encargos) e filha de condenado e amigo de BETO RICHA;
    3. Acabar com o Nepotismo Cruzado de Superintendentes;
    4. Verificar Diretores que recebem da mesma Instituição duas Fontes de RENDA;
    5. ANALISAR, de VERDADE, todas as LICITAÇÕES da Gestão 2011 para frente;
    6. Retirar da liderança e chefias, todos que fizeram campanha para CIDA e ainda estão no PODER.
    7. Implantar Compliance na Empresa mais conceituada no BRASIL, pelo maior banco brasileiro de Habitação – CAIXA ECONÔMICA FEDERAL.

    E ainda, o Decreto Federal n. 8.420/2015, que regulamenta a Lei Anticorrupção no âmbito da União, define em seu art. 41 o denominado Programa de Integridade, que em uma tradução para o português, quer representar exatamente a lógica de “compliance”, qual seja:

    “conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo a denuncia de irregularidades e na aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta, políticas e diretrizes com objetivo de detectar e sanar desvios, fraudes, irregularidades e atos ilícitos praticados contra a administração pública, nacional ou estrangeira.”

    Sem dúvida estes conceitos, conjugados, conduzem à Administração a um agir mais responsável e ético, onde predomina a prevenção à repressão, o consenso à sanção e, principalmente, a eficiência à omissão do Estado.

    ASSINADO
    Uma Eleitora Que Confia na Sua Gestão

  15. urtica urens
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 7:49 hs

    … e assim segue a COHAPAR, cabide de para politicos, e seus aparentados ….

    filho do Sec de Agricultura, esposa do Nishimori, Jornalista e uma grávida à 1 mes de ver nascer seu filho …..

    é um grande e NOVO governo com as mesmas patifarias arcaicas e costumeiras na politica …..

  16. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 7:53 hs

    A cada dia, um arrependimento. Lá e cá. É o ânus da tapir, como diria o cruzadista…

  17. xiru de palmas
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 10:27 hs

    Enquanto isso, servidores que ocupavam cargos de coordenadores de setores, muitos extremamente vitais, perderam seus cargos, mas continuam exercendo as mesmas funções, estão a ver navios. Diga-se de passagem: na secretaria de educação

  18. MARCELO
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 10:53 hs

    Na verdade é isso mesmo discurso bonito, muito marketing, já estão falando até em preparação para substituir Bolsonaro em 2022, mas nem sequer conhecem o nosso Estado, no entanto na pratica é isso que está acontecendo os velhos costumes e a velha maneira de governar. Portanto trabalhem primeiro pelo Paraná para se credenciar e futuramente ser lembrado para presidente, porque nesse momento ainda está muito longe dessa realidade.

  19. CLOVIS PENA - Dúvidas.......
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 11:43 hs

    E ainda propalam que o governo tem rumo. Preocupante isto, pois a responsabilidade é de quem escolhe rumos, equipe, estrutura e meios…… Então, o problema está no “topo” !

    Não é possível ver coerência neste processo elementar .

    Enquanto isto, o tempo vai adiante e o povo fica sem entender as finalidades do orçamento e dos tributos que paga.

  20. johan
    sexta-feira, 15 de março de 2019 – 12:06 hs

    Caro Fábio, parabenizamos-o pelo excelente trabalho de imprensa investigativa e divulgativa dos atos, mal conduzidos pelos assessores do governador Ratinho. Acreditamos e confiamos que não ficará só nesses casos apresentados. O governador Ratinho, foi eleito com uma proposta diferente dos governos anteriores, petistas e tucanos. Esperemos que seja apenas um espasmo. Há tempo de corrigir o ato falho. Não se compare com aos governos anteriores. Esperemos que esse tipo de falha não se repita. Desse jeito o seu governo não se qualifica e deixa de representar os eleitores que lhe confiaram voto. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*