Guedes: 'Os políticos têm de controlar 100% do orçamento' | Fábio Campana

Guedes: ‘Os políticos têm de controlar 100% do orçamento’

Em plena guerra para aprovar a reforma da Previdência, o ministro da Economia, Paulo Guedes, diz que o governo articula a tramitação de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no Senado para mudar o chamado pacto federativo, acabando com as despesas obrigatórias e as vinculações orçamentárias. Em entrevista ao Estado na sexta-feira, a primeira para um veículo de comunicação nacional desde que tomou posse no cargo, realizada na representação do Ministério da Fazenda no Rio, ele afirma que a proposta dará aos políticos 100% do controle sobre os orçamentos da União, Estados e municípios, e não deverá prejudicar a aprovação da reforma da Previdência. As informações são do Estadão.

Confira, no Leia mais, o trecho da entrevista em que Paulo Guedes explica a PEC.

Guedes:
(…)a principal função política é controlar os recursos públicos. É aí que entra a PEC do pacto federativo.

Estadão:
Que PEC é essa?

Guedes:
Os políticos vão entender que, em vez de discutir R$ 15 milhões ou R$ 5 milhões de emendas, vão discutir R$ 1,5 trilhão de orçamento da União, mais os orçamentos dos municípios e dos Estados. A classe política hoje está sob opinião pública desfavorável: muitos privilégios, aposentadoria, salários, estabilidade, assessoria, moradia, uma porção de coisas, e não tem atribuições nem obrigações. É inequívoco isso. A eleição do Bolsonaro foi uma crítica à velha política. Essa classe política brasileira vai se reinventar, porque eles são capazes, são inteligentes. Estão percebendo que o caminho mudou. Pergunte à classe política se em algum lugar do mundo o sujeito é eleito para comandar 4% ou 100% do orçamento? Se a proposta é menos Brasília e mais Brasil, preciso do pacto federativo para fazer o dinheiro chegar lá. Todo mundo com quem a gente conversa está entendendo que o caminho é esse.


Um comentário

  1. Intruso
    domingo, 10 de março de 2019 – 18:20 hs

    É bem isso mesmo TEM Q SER CX ÚNICO, sem essa de X% pra uma entidade e Y% par outra. O PODER PÚBLICO É UNO, INDIVISÍVEL..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*